FOUCAULT E A EDUCAÇÃO: ENTRE O PODER DISCIPLINAR E AS TÉCNICAS DE SI (É POSSÍVEL EDUCAR PARA A LIBERDADE?)

Autores

  • Fábio Antonio Gabriel Doutorando em Educação na Universidade Estadual de Ponta Grossa, professor de filosofia da Rede Estadual do Paraná, bolsista de doutorado- bolsa concedida no âmbito CAPES/Fundação Araucária http://orcid.org/0000-0002-4990-4102
  • Ana Lucia Pereira Universidade Estadual de Ponta Grossa https://orcid.org/0000-0001-9479-5550

DOI:

https://doi.org/10.36311/2236-5192.2018.v19n2.03.p27

Palavras-chave:

Técnicas de si, Poder disciplinar, Foucault

Resumo

Este texto trabalha dois conceitos teóricos relevantes de Foucault: poder disciplinar e técnicas de si. O objetivo é mostrar que a compreensão desses conceitos ajuda, certamente, a pensar o tipo de educação que se quer, pois a educação é peça importante dos dispositivos de poder-saber e das técnicas de si que formam a subjetividade humana. A hipótese é de que a educação escolar atrelada ao poder disciplinar produz subjetividades obedientes e dóceis; e a educação escolar atrelada às técnicas de si conduzem à formação de subjetividades autônomas. Para isso, busca-se uma articulação entre os conceitos de poder disciplinar e educação, e as técnicas de si e educação, como uma relação binária entre esses conceitos, de onde emerge um novo olhar para o contexto educacional a partir do trabalho teórico de Foucault. Isso permitiu apontar que é importante abrir mão do paradigma disciplinar no campo educacional e apostar mais em paradigmas que apontam para a liberdade, para a formação e para a autoformação, pois acredita-se na liberdade e jamais na sujeição, seja ela de que tipo for. 

Recebido em: 18/07/2017.
Aprovado em:10/06/2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Antonio Gabriel, Doutorando em Educação na Universidade Estadual de Ponta Grossa, professor de filosofia da Rede Estadual do Paraná, bolsista de doutorado- bolsa concedida no âmbito CAPES/Fundação Araucária

Doutorando em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, mestre em Educação pela referida universidade.Licenciado em Filosofia pela Faculdade Padre João Bagozzi e Bacharel em Teologia pela Pontifica Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Graduado em Pedagogia. Possui especialização em Filosofia e Ética pela Faculdade do Noroeste de Minas (FINOM) e em Metodologia do Ensino de Filosofia e Sociologia. Professor do Quadro Próprio de Magistério da SEED PR, Bolsista de doutorado ( bolsa concedida no âmbito do acordo CAPES/Fundação Araucária).

Ana Lucia Pereira, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Mestre (2005) e doutora (2011) em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Graduada em Ciências e Matemática na Universidade do Norte Pioneiro (UENP, 1994). Professora do Departamento de Matemática e Estatística da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG, Brasil) desde 2012. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação, em que serviu como vice-coordenador (2014-2015) e do Programa em Ensino de Ciências e Educação Matemática (2017) na Universidade Estadual de Ponta Grossa. Também atuou como coordenadora Institucional do Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID / Capes / UEPG, 2012-2013) e como Coordenadora de Gestão e Processos Educacionais no PIBID (Capes / UEPG, 2014-2016). Foi Chefe do Núcleo Regional de Educação de Jacareziho no Estado do Paraná (2009-2010). Presidente do Sindicato dos Professores (APP) da região Jacarezinho (2002-2009). Autor de vários artigos em revistas e atua como referee nas áreas de Políticas Educacionais, Formação de Professores, Práticas e Desenvolvimento Curricular, Ensino e Aprendizagem, Psicanálise e Educação Matemática. Editor associado da Frontiers in Psicologia da Educação desde 2015. Atualmente realiza Pós-Doutorado no exterior, na Universidade de Strathclyde, Reino Unido, com bolsa da Capes.

Referências

BACCON, Ana Lúcia Pereira. Um ensino para chamar de seu: uma questão de estilo. 2011. 153 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2011.
DELEUZE, Gilles. Conversações (1972-1990). São Paulo: Editora 34, 1992.
FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos: Genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014a. p. 177-191.
FOUCAULT, Michel. As técnicas de si. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos: Genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014b. v. 9. p. 264-296.
FOUCAULT, Michel. Espaço, saber e poder. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos: Segurança, penalidade e prisão. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012. v. 8. p. 206-222.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. 37. ed. São Paulo: Vozes, 2009.
FOUCAULT, Michel. El poder psiquiátrico: Curso em El Collège de France (1973-1974). Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2007.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Tradução de Roberto Machado. 19. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2004.
FOUCAULT, Michel. Loucura, Literatura e Sociedade. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos: Problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999. p. 210-234.
NOBLIT, George W. Tradução de Belmira O. Bueno. Poder e desvelo na sala de aula. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 119-137, jul./dez. 1995.
SCHUBERT, Karsten. Como fazer teoria política com Foucault? – O debate sobre a liberdade nas obras de Foucault. Coluna ANPOF, jun. 2017. Disponível em: <http://anpof.org/portal/index.php/pt-BR/comunidade/coluna-anpof/1187-como-fazer-teoria-politica-com-foucault-o-debate-sobre-a-liberdade-nas-obras-de-foucault-1>. Acesso em: 25 jun. 2017.
VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault e a educação. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

Downloads

Publicado

2018-11-19

Edição

Seção

Artigos