Representação do “bom” professor: o “bom” professor em geral e o “bom” professor de educação física em particular

Autores

  • António Camilo CUNHA

DOI:

https://doi.org/10.36311/2236-5192.2010.v11n2.2320

Palavras-chave:

formação. professores. representações.

Resumo

A necessidade de encontrar um modelo de “bom” professor foi (e continua a ser) uma preocupação constante pelas repercussões que poderá ter na formação de professores, na qualidade de ensino e ainda na imagem social e profissional da função docente. Em termos objetivos, a representação do “bom” professor é difícil de concretizar, dada a existência de inúmeros fatores (humanos, pedagógicos, científicos, culturais, profissionais) que condicionam o “perfil” desses profissionais. Paralelamente, podemos encontrar diferentes concepções – a missionária, a militante, a laboral, a profssional, a burocrática, a romântica (FORMOSINHO, 1997) – em função de diferentes contextos – sociedade, pais, alunos, professores, currículos – que influenciam e determinam diferentes atuações num “bom” professor. O texto tenta encontrar (sintetizar) um retrato robot (perfil) do “bom” professor, apoiado em estudos efetuados em Educação/Formação de professores em geral e também na Educação Física e no Desporto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-09-15

Edição

Seção

Artigos