Aprendizagem situada e comunidades de prática

um olhar sobre o processo de aprendizagem de artesãs da associação mãos nativas no contexto da prática social

Autores

  • Ednalva Mendonça Tavares de Mendonça Telinhos Pereira Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT
  • Werner Bessa Vieira Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT
  • Isis Maria Monteles Bastos Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT
  • Ângela Valéria de Amorim Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT
  • Patricia Carly de Farias Campos Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT
  • Ana Cunha Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - ULHT
  • Ceci Figueiredo de Moura Santiago Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT

DOI:

https://doi.org/10.36311/2236-5192.2021.v22n2.p105

Palavras-chave:

Aprendizagem Situada, Comunidades de Prática, Associação Mãos Nativas.

Resumo

O presente trabalho teve como proposta analisar o processo de aprendizagem com foco na participação e aplicação dos conceitos de comunidade de prática, tendo como referência para análise a Associação Mãos Nativas no Brasil. Estudo de caráter qualitativo e exploratório, procurou interpretar numa perspectiva socioconstrutivista, as interações sociais contextualizadas teoricamente com base nos conceitos de aprendizagem situada, considerando que a aprendizagem nesse contexto pode ser entendida como uma atividade focada no processo de participação periférica legitimada na participação e engajamento dos sujeitos envolvidos que se tornam participantes plenos. A aplicação do método qualitativo para análise decorre da necessidade de compreensão dos sentidos e significados construídos pelas pessoas inseridas a partir de suas experiências e relações. A coleta de dados e entrevistas configuraram-se como etapas fundamentais, considerando a necessidade de observação, seguidas por uma análise que ao longo desse estudo está descrita com ênfase na aprendizagem coletiva, processo de aprendizagem situada e práticas sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ednalva Mendonça Tavares de Mendonça Telinhos Pereira, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT

Doutoranda em Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (Lisboa/PT, iniciado em 2020), Mestra em Ciências da Educação pela Faculdade Humanística Europa/Instituto Erasmo de Rotterdam, de Lisboa/PT (2019); professora concursada de Ciências Biológicas da Secretaria de Educação do município de Lauro de Freitas (BA).

Werner Bessa Vieira, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT

Doutorando em Educação pela Universidade Lusófona de Lisboa (Portugal), mestre em Ciências Biológicas (UnB, 2005); Professor do Centro Universitário Uniprojeção e de Ciências biológicas na Secretaria de Educação do Distrito Federal.

Isis Maria Monteles Bastos, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT

Doutoranda em Educação na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa (Portugal); Mestre em Tecnologias Educacionais pelo Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (UFMA); Chefe da Divisão de Formação Profissional e Avaliação de Desempenho da PROGEP da Universidade Estadual do Maranhão; Supervisora Educacional da Secretaria de Educação do Maranhão; Professora das Séries Iniciais da Secretaria Municipal de Educação de São Luís, Maranhão. Atua com docência no ensino superior e projetos na área de educação.

Ângela Valéria de Amorim, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT

Doutoranda em Ciências da Educação e mestre em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (2011), revalidado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em (2016); professora do Instituto Federal de Pernambuco Abreu e Lima.

Patricia Carly de Farias Campos, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT

Doutoranda em Ciência da Educação. Possui mestrado em Engenharia Mecânica (UFPE, 2003). Atualmente professora do IFPE- Abreu e Lima.

Ana Cunha, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - ULHT

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Nova de Lisboa, pós-graduada em Ciências da Educação pela ULHT, onde frequenta o Doutoramento em Educação, Diretora Executiva do Instituto Lusófono de Investigação e Desenvolvimento, e Professora Assistente na Universidade Lusófona.

Ceci Figueiredo de Moura Santiago, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT

Doutoranda em Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias; Mestre em Avaliação pela Fundação Cesgranrio; docente na UFRJ.

Referências

Barros, A. J. S; Leihfeld, N. A. S. (2017). Introdução à Metodologia do Trabalho Científico. 10ª ed. São Paulo: Atlas.

Crabtree, B. F., & Miller, W. F. (1992). A template approach to text analysis: Developing and using codebooks. In B. F. Crabtree & W. L. Miller (Eds.), Research methods for primary care, Vol. 3. Doing qualitative research (p. 93–109). Sage Publications, Inc

Fox, S. (1997). From management education and development to the study of

managerial learning. In: J. Burgoyne; M. Reynolds. Management learning:

integrating perspectives in theory and practice. (pp. 102-120). London: Sage Publications.

Geertz, C. (1973). The interpretacion of cultures. New York: Basic Books.

Gil, A. C. (2019). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 7ª ed. São Paulo: Atlas.

Gherardi, S; Nicolini, D. & Odella, F. (1998). Toward a social understanding of how people learn in organizations. Management learning, 29 (3), 273-297.

Gudolle, L. S; Antonello, C. S; & Flash, L. (2012). Aprendizagem situada, participação e legitimidade nas práticas de trabalho. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 13(1), 14-39. https://dx.doi.org/10.1590/S1678-69712012000100002

Lave, J. & Wenger, E (1991). Situated learning: legimate periheral participation. Cambridge: Cambridge University Press.

Lee, S. & Roth, W, M. (2003). Becoming and Belonging: Learning Qualitative Research Through Legitimate Pheriferal Participation. Forum: Qualitative Social Research / Forum Qualitative Sozial forschung. 4(2).

Marconi, M. A.; Lakatos, E. M. (2017). Fundamentos de metodologia científica. 8. ed. São Paulo: Atlas.

Yin, R. K. (2016). Pesquisa qualitativa do início ao fim. Penso.

Downloads

Publicado

2021-08-13

Edição

Seção

Artigos