Arquitetura da informação com enfoque semiótico no Guia Gay São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/1981-1640.2019.v13n1.07.p68

Palavras-chave:

Arquitetura da Informação, Semiótica, Sistema de Rotulagem, Guia Gay São Paulo

Resumo

As atuais Tecnologias de Informação e Comunicação propiciam o desenvolvimento de ambientes informacionais digitais que contemplam entretenimento, informações turísticas entre outros. Neste sentido, destacamos os websites de turismo para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Travestis e Queer (LGBTQ), que são ambientes criados à disponibilização de dados e informações turísticas para esse público. Esses websites apresentam riqueza de vocabulários e rótulos específicos a essa comunidade; assim, necessitam ser representados e estruturados a fim de facilitar a Recuperação da Informação. O objetivo, neste trabalho, foi o de analisar a Arquitetura da Informação, com enfoque no sistema de rotulagem e abordagens da semiótica no website Guia Gay São Paulo. A metodologia utilizada foi a de observação não-participante no website; para a coleta de dados utilizou-se check-list baseado nos elementos descritos por Rosefend, Morville e Arango (2015). De modo geral, no website estão expostos os serviços e notícias disponibilizados aos usuários, pressupondo inovações em seus serviços no que se refere a um espaço composto por linguagens convergentes, onde é possível divulgar. Conclui-se que essas representações sígnicas são de extrema importância o que fortalece a visibilidade do website e a inserção da comunidade LGBTQ.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Agner, L. (2012). Ergodesign e arquitetura da informação: trabalhando com o usuário. 3. ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2012.
Badre, A. N (2002). Shaping web usability: interaction design in context. Boston: Pearson Education, 2002.
Brito, J. F.; Matias, M.(2018). Arquitetura da Informação e Princípios de Usabilidade: proposta de um modelo de análise e desen-volvimento para websites de turismo LGBTQ. // Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia. 3 (Maio 2018).
Camargo, L. S. A.; Vidotti, S. A. B.G (2011). Arquitetura da Informação: uma abordagem prática para o tratamento de conteúdo e interface em ambientes informacionais digitais. 1. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2011.
Foucault, M. (1999). História da sexualidade 1: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1999.
Jakobson, R. (1979). Comunicação e sociedade. In. BLECUA, José Manuel. Linguística e comunicação. São Paulo: Salvat Editora, 1979.
Joly, M. (1996). Introdução à análise da imagem. Campinas, SP: Papirus, 1996.
Miyagawa, H.; Lesure, C.; Nóbrega, V. A. (2018). Cross-Modality Information Transfer: A Hypothesis about the Relationship among Prehistoric Cave Paintings, Symbolic Thinking, and the Emergence of Language.// Frontiers in Psychology 9. (2018).
Moura, M. A. (2006). Ciência da Informação e Semiótica: conexão de saberes. // Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf. 2:2. (2006).
Nicolau, M. et al (2010). Comunicação e Semiótica: visão geral e introdutória à Semiótica de Peirce. // Revista Eletrônica Temática 6: 8 (Agosto 2010).
Nöth, W. (1995). Handbook of semiotics. Bloomington and Indianapolis: Indiana University Press, 1995.
Oliveira, H. P. C. (2014). Arquitetura da Informação pervasiva: contribuições conceituais. 2014. 202 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) –Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014.
REIS, G. A. (2007) Centrando a arquitetura de informação no usuário. 2007. 250 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Artes) -Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.
Ribeiro, O. B.; Vidotti, S. A. B. G. (2009). Otimização do acesso à informação científica: discussão sobre a aplicação de elementos da arquitetura da informação em repositórios digitais. //Biblos, Rio Grande 23:2 (2009) 106-116.
Rosenfeld, L.; Morville, P. (2006). Information Architecturefor the Word Wide Web. 3. ed. Sebastopol, CA: O’Reilly, 2006.
Rosenfeld, L. Morville, P.; Arango, J (2015); Information Architecture for the world wide web. 4. ed. Sebastopol, USA: O’Reilly Media Inc., 2015.
Santaella, L. (2005). O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 2005.
Silva, M. A. T. et al (2011). O que é arquitetura da informação? // Biblionline 7:1 (2011) 11-21.
Straioto, F. (2002). A arquitetura da informação para a World Wide Web: um estudo exploratório. 2002. 120f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) –Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília.
Torres, E. F.; Mazzoni, A. A (2004) Conteúdos digitais multimídia: o foco na usabilidade e acessibilidade // Ciência da informação, Brasília 33:(Agosto 2004) 152-160.
Vechiato, F. L. (2010). Repositório digital como ambiente de inclusão digital e social para usuários idosos. 2010. 183f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília. 2010.
Vechiatto F. L.; Vidotti, S. A. B. G (2016). Arquitetura da Informação como subsídio teórico e prático para o projeto e para a avaliação de recursos, serviços e ambientes informacionais digitais. In: Tomaél, M.i; Alcará, A. R (org.). Fontes de informação digital. 1. ed. Londrina: Eduel, 2016, p. 45-76.
Vidotti, S. A. B. G.; Sanches, S. A. S. (2004). Arquitetura da informação em website. //Simpósio Internacional de Bibliotecas Digitais,2., 2004, Campinas. Anais... Campinas: UNICAMP, 2004

Downloads

Publicado

2019-03-29

Como Citar

Brito, J. F., R. D. Afonso, e M. Matias. “Arquitetura Da informação Com Enfoque semiótico No Guia Gay São Paulo”. Brazilian Journal of Information Science: Research Trends, vol. 13, nº 1, março de 2019, p. 68-76, doi:10.36311/1981-1640.2019.v13n1.07.p68.

Edição

Seção

Artigos