Recurso informacional de jogadores de videogame

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/1981-1640.2019.v13n1.04.p21

Palavras-chave:

Comportamento informacional, Videogames, Competência em informação, Letramento informacional.

Resumo

O presente estudo teve como objetivo investigar empiricamente o comportamento informacional de alunos de graduação no contexto de videogames. Para tanto, desenvolve-se o marco teórico apoiado nos entendimentos sobre videogames e nos constru-tos de letramento informacional e competência em informação. Metodologicamente a pesquisa possui abordagem quantitativa, quanto ao meio de investigação se deu por meio de pesquisa de campo utilizando questionário para coleta dos dados. Na análise e interpretação dos dados foram utilizados métodos estatísticos diversos. O local de realização da pesquisa foi o Departamento de Ciências Administrativas da UFPE. A população era composta por 1077 matriculados no curso de Administração no segundo semestre de 2016. A amostra foi não probabilística, por conveniência e estratificada, tendo participado 347 sujeitos, desses, con-siderou-se para as análises 194 que declararam jogar pelo menos um tipo de jogo de videogame. Os resultados da pesquisa rev-elaram que o engajamento em videogames denota ser a regra com mais da metade da amostra declarando jogar. Quanto as fontes e canais de informação, o elemento que prepondera é o da interação social direta, para as fontes predominando a opinião de amigos e colegas, e a observação de outros, já para os canais predominando as conversas presenciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvio Luiz de Paula, Departamento de Ciência da Informação, Universidade Federal de Pernambuco

Autor de livro, possui mestrado e graduação em administração pela Universidade Federal de Pernambuco-UFPE. Atualmente é professor de Gestão da Informação no Departamento de Ciência da Informação na Universidade Federal de Pernambuco-UFPE. Tem experiência na área de administração, com ênfase em Gestão de pessoas, Comportamento organizacional, Competência em informação e Inteligência informacional.

Bruno Campello de Souza, Professor do Departamento de Ciência Administrativa da Universidade Federal de Pernambuco

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1996), mestrado em Psicologia (Psicologia Cognitiva) pela Universidade Federal de Pernambuco (2000) e doutorado em Psicologia (Psicologia Cognitiva) pela Universidade Federal de Pernambuco (2004). É professor adjunto da Universidade Federal de Pernambuco, sendo docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Administração (PROPAD) da mesma instituição. Ocupa o cargo de Superintendente de Formação de Recursos Humanos para Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo de Pernambuco. Atualmente realiza pesquisas envolvendo as relações das tecnologias digitais com indivíduos e organizações, inovação e empreendedorismo, criminologia e policiamento, cognição, processos psicológicos e sociais, gestão de pessoas, medicina e a aplicação de métodos estatísticos em qualquer contexto.

Referências

Ala-Mutka, Kirsti (2011). Mapping Digital Competence: Towards a Conceptual Understanding. Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2011.
American Library Association – ALA (1989). Presidential Committe on Information Literacy: final report. 1989. http://www.ala.org/acrl/publications/whitepapers/presidential. (dez/2017).
Araújo, Maicon Hackenhaar de Araujo; Stein, Mônica; Romão, João Jair da Silva (2012). Jogo e serious games: conceito e bons princípios para análise do jogo SpaceCross, da Volkswagen. Anais. XI SBGames, Brasília: 2012.
Barboza, Eduardo Fernando Uliana; Silva, Ana Carolina de Araújo (2014). // A evolução tecnológica dos jogos eletrônicos: do videogame para o newsgame. 5° Simpósio Internacional de Ciberjornalismo. 2014.
Bawden, David (2001). Information and digital literacies: a review of concepts. // Journal of Documentation 57:2 (2001) 218-259.
Behrens, Shirley J. A conceptual analysis and historical overview of information literacy. // College & Research Libraries 55:4 (1994) 309- 323.
Boyle, Elizabeth A.; Hainey, Thomas; Connolly, Thomas M.; Gray, Grant; Earp, Jeffrey; Ott, Michela; Lim, Theodore; Ninaus, Manuel; Ribeiro, Claudia; Pereira, João (2016). An update to the systematic literature review of empirical evidence of the impacts and outcomes of computer games and serious games. // Computers & Education 94:1 (2016) 178-192.
Campello, Bernadete (2003). O movimento da competência informacional: uma perspectiva para o letramento informacional. // Ci. Inf., Brasília 32:3 (2003) 28-37.
Caregnato, Sônia Elisa (2000). O Desenvolvimento de Habilidades Informacionais: o papel das bibliotecas universitárias no contexto da informação digital em rede. // Revista de Biblioteconomia & Comunicação 8:1 (2000) 47-55.
Carvalho, M. B (2017). Serious games for learning: a model and a reference architecture for efficient game development. Proefschrift Technische Universiteit Eindhoven. Netherlands, 2017.
Catts, Ralph; Lau, Jesus (2008). Towards Information Literacy Indicators. UNESCO: Paris, 2008.
Coiro, J.; Knobel, M.; Lankshear, C.; Leu, D. J (2008). Handbook of research on new literacies. New York-London: Routledge, 2008.
Dudziak, Elisabeth Adriana (2003). Information literacy: princípios, filosofia e prática. // Ci. Inf. 32:1 (2003) 23-35.
Durand, T. Forms of Incompetence (1998). Proceedings Fourth International Conference On Competence-Based Management. Oslo: Norwegian School of Management, 1998.
Falcão, Jorge Tarcísio da Rocha (2006). O que sabem os que não sabem? Contribuições para a exploração psicológica das competências cognitivas humanas. // Meira, Luciano Lemos. Spinillo, Alina G. (Org.) Psicologia Cognitiva: Cultura, Desenvolvimento e Aprendizagem. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2006.
Farias, G. B (2014). Competência em informação no ensino de biblioteconomia: por uma aprendizagem significativa e criativa. 183 f. // Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista. Marília: UNESP, 2014.
Ferrari, Anusca (2012). Digital Competence in Practice: An Analysis of Frameworks. Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2012
Ferreira, Nuno (2002). Serious Games. Distributed Computer Graphics. Universidade do Minho. Portugal, 2002.
Fleury, Alonso; Fleury, M. A (2001). Competência e aprendizagem organizacional. São Paulo: Atlas, 2001.
Gasque, Kelley Cristine Gonçalves Dias (2010). Arcabouço conceitual do letramento informacional. // Ci. Inf. 39:3 (2010) 83-92.
Horton, Forest Woody Jr (2007). Understanding Information Literacy: APrimer. Paris: UNESCO, 2007.
Landis, J. Richard, Koch, Gary G (1977). The Measurement of Observer Agreement for Categorical Data. // Source: Biometrics, 33:1 (1977) 159-174.
Mcclelland, David C (1973). Testing for competence rather than intelligence. // American Psychologist. 1:28 (1973) 1-14.
Newzoo (2017). Global Games Market Report: An Overview Of Trends & Insights. Newzoo Games, 2017.
OJEU. Official Journal of the European Union (2016). http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=OJ:L:2006:394:0010:0018:en:PDF (novembro de 2016).
Oliveira, Selma; Mendes, Luciano (2013). O videogame como produto cultural: proposta para definir o jogo eletrônico como objeto empírico do campo da comunicação. // Esferas. 1:2 (2013) 135-144.
Paula, Sílvio Luiz de (2018). Conceituação, condicionantes e impactos da inteligência informacional: um estudo sobre aspectos informacionais no contexto de videogames e suas implicações entre estudantes de graduação em administração. 188f. // Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.
Paula, Sílvio Luiz de; Souza, Bruno Campello (2018). Influência da Inteligência Informacional em Estudantes de Graduação. // XIX Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação – ENANCIB. Londrina.
Prensky, M. H (2009). Sapiens Digital: From Digital Immigrants and Digital Natives to Digital Wisdom // Journal of Online Education, 5:3 (2009).
Rabello, Rodrigo (2013). Leituras sobre usuário e uso de informação na Ciência da Informação. // Perspectivas em Ciência da Informação. 18:4 (2013) 152-184.
Ramos, Daniela Karine (2008). A Escola Frente ao Fenômeno dos Jogos Eletrônicos: Aspectos Morais e Éticos. // Novas Tecnologias na Educação. 6:1 (2008) 23-38.
Salem, Katie; Zimmerman, Eric (2004). Rules of play – Game Design Fundamentals. Cambridge, Massachusetts: The MIT Press, 2004.
Silva, Marco (2006). Criar e professorar um curso online: relato de experiência. // Silva, Marco (org.). Educação online. São Paulo: Edições Loyola, 2006.
Silveira, Sérgio Amadeu (2001). Exclusão Digital: a miséria na era da informação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.
Sioux, Blend & ESPM (2017). Pesquisa Game Brasil. 2017.
Souza, Alba Regina Battisti De; Sartori, Ademilde Silveira; Roesler, Jucimara (2008). Mediação pedagógica na educação a distância: entre enunciados teóricos e práticas construídas. // Rev. Diálogo Educ. 8:24 (2008) 327-339.
Souza, Bruno Campello; Silva, Leonardo Xavier de Lima; Roazzi, Antônio (2010). MMORPGS and cognitive performance: A study with 1280 Brazilian high school students. // Computers in Human Behavior 26:6 (2010) 1564–1573.
Souza, Alba Regina Battisti de; Sartori, Ademilde Silveira; Roesler, Jucimara (2008). Mediação pedagógica na educação a distância: entre enunciados teóricos e práticas construídas. // Rev. Diálogo Educ 8:24 (2008) 327-339.
Souza, B. C.; Silva, A. S.; Silva, A. M.; Roazzi, A.; Carrilho, S. L. S (2012). Putting the Cognitive Mediation Networks Theory to the test: Evaluation of a framework for understanding the digital age. // Computers in Human Behavior 07:1 (2012).
Steinkuehler, C.A (2006). Massively multiplayer online videogaming as participation in a discourse. // Mind, Culture, & Activity 13 (2006) 38–52.
Streiner, D. L (2003). Being inconsistent about consistency: when coefficient alpha does and doesn´t matter. // Journal of Personality Assessment 80 (2003) 217-222.
Vergnaud, Gerard (1996). Algunas ideas fundamentales de Piaget en torno a la didáctica. // Perspectivas 26:10 (1996) 195-207.
Zarifian, Philippe (2001). Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2001.

Downloads

Publicado

2019-03-29

Como Citar

Paula, S. L. de, e B. C. de Souza. “Recurso Informacional De Jogadores De Videogame”. Brazilian Journal of Information Science: Research Trends, vol. 13, nº 1, março de 2019, p. 21-32, doi:10.36311/1981-1640.2019.v13n1.04.p21.

Edição

Seção

Artigos