Jesse Shera, The Wars and The Pietá

social epistemology as criticism of information ontology

Autores

  • Rodrigo Porto Bozzetti Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ
  • Gustavo Saldanha Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT)Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) https://orcid.org/0000-0002-7679-8552

DOI:

https://doi.org/10.36311/1981-1640.2017.v11n2.08.p79

Palavras-chave:

Jesse Shera, Epistemologia social, Epistemologia histórica, Filosofia da informação, Ciência da Informação

Resumo

O objetivo deste trabalho, reconhecida a relevância do pensamento sheriano e suas repercussões, é reposicionar, em termos epistemológico-históricos, as abordagens de Jesse Shera e seus impactos segundo uma relação entre vida e obra do epistemólogo. Sem o intuito de uma discussão exaustiva, o propósito delineado está em compreender, segundo uma via filosófico-pragmática, algumas relações entre a crítica de Shera para o contexto de sua formulação teórica e as consequências desta abordagem contrária a algumas tendências oriundas das raízes técnico-burocráticas do campo (antes e depois da Segunda Guerra Mundial). Em certa medida, a partir da reflexão, depreende-se como Shera, mais do que observar a realidade sócio política e sócio técnica na qual estava inserida a tessitura de um pensamento biblioteconômico (mas já visualizada por ele na mutação teórico-terminológica como documentalista-informacional), estabelece, em sua própria práxis, a epistemologia social como uma espécie de “crítica do futuro”, ou seja, como práxis da atividade reflexiva do sujeito inserido nesta episteme. A abordagem epistemológico-social representa, em nossa discussão, uma vanguarda para o contexto de sua afirmação, uma reavaliação para as décadas imediatas à sua apresentação (anos 1960 e 1970) e uma crítica para o futuro do que se consolidou sob a noção de information science, antecipando afirmações de “cunho social” dos anos 1980 e 1990 no campo informacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Araújo, C. A.; Lage, D. F. de S.; Souza, R. M. F; Assis, R. A (2010). A contribuição de J. H. Shera para a Ciência da Informação no Brasil // Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis,15: 2 (jul./dec, 2010) 71-89.
Bates, M. J. (1999). The Invisible Substrate of Information Science // Journal of the American Society for Information Science. 50:12 (1999) 1043-1050. http://pages.gseis.ucla.edu/faculty/bates/substrate.html
Black, E. (2001). IBM e o Holocausto. Rio de Janeiro: Campus, 2001.
Borko, H. (1968). Information Science: what is it? // American Documentation 19:1 (1968) 3-5.
Buckland, M. K. (1991). Information as thing. // Journal of the American Society of Information Science. 42:5 (June 1991) 351-360.
Budd, J. M. (2002). Jesse Shera, social epistemology and praxis. // Social Epistemology. 16: 1 (2002) 93-98.
Capurro, R. (2003). Epistemologia y Ciencia de la Información. // Anais do Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, 5, 2003, Belo Horizonte: Escola de Ciência da Informação da UFMG, 2003.
Cornelius, I. (2004). Information and its philosophy // Library Trends. 52:3 (win. 2004) 377-386.
Fallis, D. (2002). Introduction: social epistemology and Information Science // Social Epistemology 16:1 (2002) 1-4.
Floridi, L. (2004). Afterword library and Information Science as applied philosophy of information: a reappraisal // Library Trends, 52: 3 (2004) 658-665.
Frohmann, B. (2004). Documentation redux: prolegomenon to (another) philosophy of information. // Library Trends, 52: 3 (win.2004) 387-407.
Frohmann, B. (2011). Reference, representation, and the materiality of documents // Colóquio Científico Internacional da Rede Mussi. 2011. Anais. Toulouse: Université de Toulouse 3, 2011.

Downloads

Publicado

2017-06-23

Como Citar

Bozzetti, R. P., e G. Saldanha. “Jesse Shera, The Wars and The Pietá: Social Epistemology As Criticism of Information Ontology”. Brazilian Journal of Information Science: Research Trends, vol. 11, nº 2, junho de 2017, doi:10.36311/1981-1640.2017.v11n2.08.p79.

Edição

Seção

Artigos