Brasil, Geopolítica e o Sistema Mundial

Autores

  • Shiguenoli Miyamoto Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.36311/2237-7743.2020.v9n3.p462-490

Palavras-chave:

geopolítica do Brasil, América Latina, globalização, sistema mundial

Resumo

Desde a década de 1920 o Brasil aspira lugar de realce no contexto internacional. Naquela oportunidade, o país já reivindicava vaga como membro permanente do Conselho de Segurança da Liga das Nações. Desde então, várias foram as ocasiões em que o tema da ascensão internacional do país foi colocado pelo governo, enquanto setores diversos da sociedade, incluindo a academia, igualmente debateram esse assunto. Neste texto, analisamos as aspirações e possibilidades de ascensão do país no cenário global, considerando suas características e capacidades. Ao mesmo tempo abordamos a geopolítica como campo de estudos no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANSELMO, Rita de Cássia Martins de Souza. Geografia e geopolítica na formação nacional brasileira: Everardo Adolpho Backheuser. Tese (doutorado) Programa de Pós- Graduação em Geografia, Unesp, Rio Claro, 2000, versão digitalizada.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Programa Corredores de Exportação. Brasília: Banco Central do Brasil, 1972, mimeografado.

BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO. Desarrollo mas allá de la Economía - Informe 2000. Washington: BID, 2000.

BARAT, Josef. Corredores de transportes e desenvolvimento regional, Pesquisa e Planejamento Econômico, dezembro, Rio de Janeiro, IPEA, v. 2 , n. 2: 301-338, 1972.

BUENO, Clodoaldo. Política externa da Primeira República. Os anos de apogeu (de 1902 a 1918). São Paulo: Editora Paz e Terra, 2003.

BRAUDEL, Fernand. O Mediterrâneo e o mundo mediterrâneo, v. I, 2a. ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1995.

BRUNDTLAND, Gro Harlem (org.). Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1988.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto nº 585-A, de 15 de janeiro de 1951. https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=9113375A8BBD8A9DC514E5EC4B92127C.proposicoesWebExterno2?codteor=1221773&filename=Dossie+-PL+585/1951, 1952. Acesso em 7 de fevereiro de 2019.

CÂMARA FEDERAL. Transferência da capital para o interior foi proposta em 1821. http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/CIDADES/146924-TRANSFERENCIA-DA-CAPITAL-PARA-O-INTERIOR-FOI-PROPOSTA-EM-1821.html, 2010. Acesso em 10 de março de 2018.

CASTRO, Josué de. Geopolítica da fome. Rio de Janeiro: Editora O Cruzeiro, 1946.

CASTRO, Therezinha de. Rumo à Antártida. São Paulo: Livraria Freitas Bastos, 1976.

CAUBET, Christian Guy. Le barrage d'Itaipu et le droit international fluvial, 2 tomes, Thèse d'Etat, Toulouse I-France, Décembre 1983, mimeografado.

CHAGAS-BASTOS, Fabrício H. La invención de la inserción internacional: fundaciones intelectuales y evolución histórica del concepto. Análisis Político, Bogotá/Colombia, septiembre-diciembre, n. 94: 10-30, 2018.

COELHO, Djalma Poli. A localização da nova capital do Brasil. Revista Geográfica, Rio de Janeiro, Instituto Pan-americano de Geografia e História, v. 15, n. 41: 1-31, 1954.

COUTO E SILVA, Golbery do. Aspectos geopolíticos do Brasil. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1957.

COUTO E SILVA, Golbery do. Geopolítica do Brasil. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1967.

CRULS, Luiz. Relatório Cruls – Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil. Brasília: Edições do Senado Federal, 2003.

DIARIO OFICIAL DA UNIAO (1951) - Extrato de Estatuto do Instituto Brasileiro de Geopolítica. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 69, 4 de janeiro. https://www.jusbrasil.com.br/diarios/2273357/pg-69-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-04-01-1951. Acesso em 7 de fevereiro de 2019.

FERRO, Marc. História das colonizações. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

FIGUEIRÓ, Asdrúbal. Brasil deve dominar tecnologia da bomba atômica, diz ministro. https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2003/030105_amaralafdi.shtml. 2003. Acesso em 15 de fevereiro de 2019.

GALL, Norman. Atoms for Brazil, Dangers for All. Foreign Policy, n. 23: 155-201, Summer 1976.

GUGLIALMELLI, Juan Enrique. Argentina, Brasil y la bomba atómica. Buenos Aires: Tierra Nueva, 1976.

HAUSHOFER, Karl. De la géopolitique. Paris: Fayard, 1986.

JALDUN, Ibn. Introducción a la historia universal (Al-Muqaddimah). México: Fondo de Cultura Económica, 1997.

KAROL, Eduardo. Geografia política e geopolítica no Brasil (1982-2012). Tese de doutorado em Geografia, USP, 2014.

KJELLEN, Rudolf. Autarquia, in RATTENBACH, Augusto R. (org.) – Antologia geopolítica. Buenos Aires, Editorial Pleamar, p. 53-81, 1975.

MACKINDER, Halford John. The geographical pivot of History, The Geographical Journal, December, v. 170, n. 4: 298–321, 2004.

MATTOS, Carlos de Meir. Projeção mundial do Brasil. São Paulo: Editora Leal, 1960.

MATTOS, Carlos de Meira. Brasil Geopolítica e destino. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1975.

MATTOS, Carlos de Meira. A geopolítica e as projeções do poder. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 1977.

MATTOS, Carlos de Meira. A geopolítica brasileira – predecessores e geopolíticos. Revista da Escola Superior de Guerra, v. XVII, n. 39: 58-82, 2000.

MENDONÇA, J. C. F. (1808) apud CRULS, L. – Relatório Cruls – Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil. Edição fac-similar. Brasília: Senado Federal, 2003.

MIRROW, Kurt Rudolf. Loucura nuclear (os enganos do acordo Brasil-Alemanha). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

PETITJEAN, Patrick & DOMINGUES, Heloisa M. Bertol. A redescoberta da Amazônia num projeto da Unesco: o Instituto Internacional da Hileia Amazônica. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, v. 14. n. 26: 265-292, 2000.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA – Metas e bases para a ação de governo. (nova impressão, janeiro de 1971). Rio de Janeiro: Serviço Gráfico da Fundação IBGE, 1971.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Segurança e desenvolvimento ao norte das calhas dos rios Solimões e Amazonas – Projeto Calha Norte. Brasília: Secretaria Geral do Conselho de Segurança Nacional, 1985.

RATZEL, Friedrich. Le sol, la société et l’État, L’Année Sociologique 1898-1899, Paris, v. III: 1-14, 1900.

RATZEL, Friedrich. Las leyes del crecimiento espacial de los Estados. Geopolítica, Madrid, v. 2, n. 1: 135-156, 2011.

RICARDO, Cassiano. Marcha para Oeste, 2 volumes, Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1959.

SANTOS, S. M. G. Dos. A cultura opulenta de Everardo Backheuser. Conceitos e leis básicas geopolíticas. Rio de janeiro: Editora Carioca da Engenharia, 1989.

SENADO FEDERAL. Reforma administrativa: organização da administração federal. Decreto-Lei nº 200/67, 4ª ed. Brasília: Senado Federal, 1984.

SOARES, Álvaro Teixeira. História da formação das fronteiras do Brasil. 3a. Ed. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 1973.

SOARES, José Carlos de Macedo. Fronteiras do Brasil no Regime Colonial. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1939.

SONDERN JR., Frederic. The thousand scientists behind Hitler. The Reader’s Digest, 23-28, june1941.

SPYKMAN, Nicholas John & ROLLINS, A. A. Geographic Objectives in Foreign Policy, I, The American Political Science Review, v. 33, n. 3: 391-410, june 1939.

SPYKMAN, Nicholas John & ROLLINS, A. A. Geographic Objectives in Foreign Policy, II, The American Political Science Review, v. 33, n. 4: 591-614, august 1939a.

TAMBS, Lewis. March to the West: a geopolitical analysis of Brazilian expansion (1500-1808). Santa Barbara, University of California (Ph.D. Dissertation), 1967, datilografado.

TAMBS, Lewis. A influência da geopolítica na formulação da politica internacional e na estratégia das grandes potências. Politica e Estratégia, São Paulo, Centro de Estudos Estratégicos, v. I, n. 1: 73-104, 1983.

TRAVASSOS, Mario. Aspectos geográficos sul-americanos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1931.

WAIBEL, Leo. Determinismo Geográfico e Geopolítica - contribuição ao problema da mudança da capital - , Boletim Geográfico, Rio de Janeiro, IBGE, v. XIX, n. 164: 612-617, setembro/outubro 1961. Originalmente publicado por O Jornal, Rio de Janeiro em 19 de dezembro de 1948.

Downloads

Publicado

2021-09-02

Edição

Seção

Artigos