CONFLITOS DE BENTINHO: UM ESTUDO SOBRE “DOM CASMURRO” A PARTIR DE CONCEITOS PIAGETIANOS

  • Rosana Lopes ROMERO
  • Geiva Carolina CALSA UEL - Londrina-PR
Palavras-chave: Educação, Teoria piagetiana, Literatura

Resumo

A obra machadiana Dom Casmurro publicada em 1900, é considerada clássico da literatura brasileira, tanto pelo enredo ambíguo de adultério/fidelidade, ódio/amor, emoção/razão, quanto pela linguagem próxima ao leitor. Entremeio ao romantismo e realismo, as características internas e externas das personagens são reveladas gradualmente no decorrer de toda a história de maneira a evidenciar, principalmente na visão de Bento de Albuquerque Santiago, protagonista e narrador, sentimentos e conflitos que envolvem pecados, paixões, medos e dúvidas. Bento é um homem de cinquenta e quatro anos com “hábitos calados e reclusos”, que rememora sua história de amor e ciúmes com Capitolina Pádua, conhecida como Capitu. Bento passa por inúmeros conflitos durante o enredo cujos principais podem ser considerados dois: a promessa de sua mãe de torná-lo padre, possível impedimento para que ele pudesse viver um romance com Capitu, sua amada e; posteriormente, a suspeita da traição de sua esposa com Escobar, amigo próximo que conheceu no seminário. Ao pensarmos por esse caminho questionamo-nos, como Bentinho resolve os conflitos que surgem no decorrer de sua história do ponto de vista cognitivo? Que recursos cognitivos a personagem utiliza para dar conta das perturbações que surgem de suas relações com o meio? Com intuito de responder a essas perguntas objetivamos analisar o processo de resolução de problemas apresentado por Bentinho a partir da teoria piagetiana da equilibração. Para a análise focalizamos os conceitos de perturbação e criação de possíveis e necessários. Os resultados mostram que Bento opta por caminhos cognitivos peculiares que o conduzem à superações frente as perturbações viven-ciadas ao longo de sua história, entretanto, o possível adultério de Capitu, o grande conflito da vida de Bentinho, o mantém em constante desequilíbrio cog-nitivo em busca de possíveis que o permitam compreender o que de fato aconteceu em sua história de amor e/ou traição. Concluímos que Bentinho supera o primeiro conflito, saindo do seminário e casando-se com Capitu. Entretanto fecha seus possíveis em um pseudonecessário no segundo conflito e acaba por não superá-lo. Com base em tais caminhos do protagonista percebemos a importância do incentivo à abertura de possíveis e valorização do erro no processo educativo, para que as crianças aprendam a ampliar seu repertório tanto na resolução dos conflitos escolares quanto em suas vidas para não prolongarem sofrimentos, como faz Bentinho.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-28
Seção
Artigos