Hegel, Espinosa e o marxismo: para além de dicotomias

  • Mauricio Vieira Martins Professor do Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da UFF; Doutor em Filosofia
Palavras-chave: Hegel; Espinosa; marxismo;

Resumo

O artigo analisa alguns aspectos do pensamento de Hegel e de Espinosa, no que diz respeito à contribuição destes pensadores para o marxismo. Tal análise se insere nas tentativas ocorridas, de alguns anos para cá, de superar aquelas abordagens dicotômicas que apresentavam como excludentes as contribuições destes dois pensadores para a teoria marxista. Em Espinosa, foram enfatizados: seu distanciamento frente às doutrinas criacionistas de sua época; sua crítica à suposição de que existe uma teleologia na natureza; sua defesa da democracia como regime político. Em Hegel, abordamos a importância das contradições no processo histórico; as determinações de reflexão (pares categoriais que só existem em referência recíproca); a descontinuidade trazida pelo trabalho humano na causalidade natural. O artigo se encerra discutindo dentro de que limites pode-se sustentar as categorias da negação e da negatividade numa abordagem contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-06-29