QUANDO AS DIVINDADES SE HUMANIZAM: MITO, ÉTICA E HISTÓRIA EM ÉDIPO REI

  • Tito Barros Leal Doutorando em História e Cultura do Brasil pela Universidade de Lisboa
Palavras-chave: Mitologia, Tragédia, Historicidade Ética, Édipo Rei

Resumo

O artigo apresenta uma análise sobre o processo de transformação das mentalidades do homem grego na transição dos universos arcaico e clássico. Neste sentido, analisa-se a gradativa laicização dos processos sociopolíticos no universo cultural do dito período de transição a partir da efetivação do lógos como meio de reconhecimento da realidade e efetivação política na pólis. Analisar-se-á, ainda, numa perspectiva de história das mentalidades, o processo que levará o homem ao reconhecimento das suas historicidade e eticidade. As fontes escolhidas para o debate proposto são as tragédias sofoclianas, em especial Édipo Rei, e a ética aristotélica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARISTÓTELES. Ética a Nicomaco. São Paulo: Abril Cultural, 1973.

______. Etica Eudemia. Madri: Alianza, 2002.

______. Poética. São Paulo: Abril Cultural, 1973.

______. Politics. Londres: Harvard University Press, 2005. (Edição bilíngue: GregoInglês)

HESÍODO. O trabalho e os dias (primeira parte). São Paulo: Iluminuras, 1996.

SÓFOCLES. A trilogia tebana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2002.

ALLAN, D. J. A filosofia de Aristóteles. Lisboa: Presença, 1970.

AUBENQUE, P.. A prudência em Aristóteles. São Paulo: Discurso Editorial, 2003.

BROADIE, S. Ethics with Aristotle. Oxford: Oxford University Press, 1991.

BRUN, J. Aristóteles. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986.

______. Aristote et le Lycée. Paris: Pressess Universitaires de France, 1961.

DETIENE, M. A invenção da mitologia. Brasília: UNB, 1998.

GAZOLLA, R. Para não ler ingenuamente uma tragédia grega – Ensaios. São Paulo: Loyola, 2001.

______. Tragédia Grega: a cidade faz o teatro. Revista Philosophica. 2003: 1.18.

GRIMAL, P. Mitologia clássica: mitos, deuses e heróis. Lisboa: Texto &Grafia, 2009.

KURY, M. da G. Dicionário de Mitologia Grega e Romana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

LEAR, J. Aristóteles: o desejo de entender. São Paulo: Discurso Editorial, 2006.

MARTINS, L. R. O dom de Édipo. In: NOVAES, Adauto (org). Os sentidos da Paixão. São Paulo: Cia. Letra/Funart, 2002. p. 329 – 357.

MOSSÉ, C. Atenas – A história de uma democracia. Brasília: UNB, 1997.

MORRALL, J. B. Aristóteles. Brasília: UNB, 2000.

PEREIRA, M. H. da R. Estudos de cultura clássica (vol. 1 e 2). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1980.

REALE, G. Introduzione a Aristotele. Roma: Laterza, 1991.

RIBEIRO, J. C. Vocabulário e Fabulário da Mitologia. São Paulo: Martins Fontes, 1962.

ROSENFIELD, K. H. (org). Filosofia e literatura: o trágico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

SEGAL, C. La musique du sphinx: poésie et estructure das la tragedia grecque. Paris: Editions La Découverte, 1987.

______. Sophocle's tragic world: divinity, nature, society. Cambridge: MA Harvard University Press, 1995.

TRUEBA, C.. Etica y tragedia en Aristóteles. Barcelona: Anthropos: 2004.

______. Poesía y filosofía en la poética de Aristóteles. In: Signos filosóficos 8 (2002): 35.50.

URMSON, O. Aristotle's Ethics. Oxford: Blackwell, 1998.

VELOSO, C. W. Aristóteles Mimético. São Paulo: Discurso Editorial, 2004.

VERNANT, J. P. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Difel, 2003.

______. Mito e Sociedade na Grécia Antiga. Rio de Janeiro: Difel, 1999.

______. O universo, os deuses e os homens. São Paulo: Cia. Letras, 2000.

______.; VIDAL-NAQUET, P. Mito e tragédia na Grécia antiga. São Paulo: Duas cidades, 1977.
Publicado
2011-07-30
Seção
Artigos