DANÇA E SÍNDROME DE DOWN: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

Palavras-chave:

Atividade Motora Adaptada, Terapia através da Dança, Deficiência Intelectual, Desenvolvimento

Resumo

A dança, que pode ser considerada a mais antiga forma de arte, é usada pelo homem para que ele possa se expressar através do corpo, transcendendo o poder das palavras. Através da dança, a pessoa com síndrome de Down pode ressignificar sua deficiência, aceitando seu corpo e criando seu próprio vocabulário. Para compreender a funcionalidade da dança nesse sentido, foi realizada uma revisão sistemática de estudos em cinco bases de dados (Lilacs, MEDLINE, Periodico Capes, PubMed e Web of Science), contemplando os procedimentos metodológicos do PRISMA. Foram selecionados 11 artigos, dos quais foram divididos em três grandes áreas para análise – aspecto físico, cognitivo e social. Os artigos, em sua maioria, refletem sobre os benefícios que a dança proporciona para a pessoa com síndrome de Down, trazendo à tona a sua funcionalidade quando aplicada para esse público. O trabalho conclui que a dança é uma ferramenta positiva para a pessoa com síndrome de Down, nos aspectos que foram estudados, mas também traz a reflexão de que a dança pode ser introduzida muito além da necessidade terapêutica, como também recreação e profissionalização.

Recebido em: 06/01/2021
Reformulado em: 01/03/2021
Aceito em: 10/03/2021

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-04-05 — Atualizado em 2021-04-06

Versões

Edição

Seção

Revisão sistemática da literatura