A PARTICIPAÇÃO DE ATLETAS COM DEFICIÊNCIA NAS CORRIDAS DE RUA NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS REGULAMENTOS DAS PROVAS

Autores

Palavras-chave:

Atividade Motora Adaptada, Corrida de Rua, Atletismo Paralímpico, Gestão

Resumo

O presente artigo teve como objetivo analisar como os organizadores de quatro eventos de corrida de rua no Brasil abordam a presença dos atletas com deficiência. Para alcançar tal intento selecionou-se como fontes os regulamentos dos eventos, normas referentes à participação de atletas com deficiência da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e artigos científicos que abordam assuntos pertinentes a temática. Como resultados encontrou-se que as normas sugeridas pelo CPB e o regulamentos das provas não estão em completa sintonia. O que permitiu chegar à conclusão de que um diálogo maior entre o CPB e as organizações das corridas de rua deveria ocorrer para que os atletas com deficiência possam participar mais ativamente desses eventos esportivos.

Recebido em: 11/12/2020

Reformulado em: 15/01/2021

Aceito em: 15/01/2021

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Iglesiaz Menegaldo Menegaldo, Universidade Estadual de Maringá

Aluno de doutorado UEM

Marcelo Moraes e Silva, Universidade Federal do Paraná

Professor Doutor do Departamento de Educação Física da UFPR

Referências

BRAUN, V., CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, v. 3, n. 2, p. 77-101, 2006. DOI: https://doi.org/10.1191/1478088706qp063oa

CARTAXO, C. A. F. Amizade, corpo e consumo entre corredores de rua de assessorias esportivas na zona sul do Rio de Janeiro. 2012. 97 p. Dissertação (Mestrado) - Curso de Antropologia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.

CLARKE, V. (2017). Thematic analysis: What is it, when is it useful, & what does "best practice" look like? Youtube, 2017. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=4voVhTiVydc&feature=youtu.be>. Acesso em 20 de nov. 2020.

DALLARI, M.M. Corrida de rua: um fenômeno sociocultural contemporâneo. 2009. 130 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

FOLHA DE SÃO PAULO. Paratletas reclamam da falta de incentivo. 2011. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/17541-paratletas-reclamam-da-falta-de-incentivo.shtml>. Acesso em: 15 fev. 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOTAAS, T. CORRER: A história de uma das atividades físicas mais praticadas no mundo. São Paulo: Matrix, 2013.

IBGE. Cartilha do Senso 2010: Pessoas com Deficiência. Brasília: SDH-PR/SNPD, 2012.

MARATONA SP. Regulamento da Maratona Internacional de São Paulo. 2016. Disponível em: <http://www2.yescom.com.br/2016/maratonadesaopaulo/regulamento>. Acesso em: 24 maio 2019.

MONTENEGRO, S. P. Livro-reportagem: Cinco atletas paralímpicos e suas histórias de vida. 2017. 116 f. Dissertação (Mestrado em Jornalismo) – Programa de Pós-graduação em Jornalismo, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2017.

O ESTADO DE SÃO PAULO. Deficientes querem prêmio em dinheiro na São Silvestre. Estadão: São Paulo, 01 de janeiro de 2008. Disponível em: <http://esportes.estadao.com.br/noticias/geral,deficientes-querem-premio-em-dinheiro-na-sao-silvestre,103126>. Acesso em: 15 de maio 2020.

OLIVEIRA, S. N. Lazer sério e envelhecimento: loucos por corrida. 2010. 101 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Normas sobre a Equiparação de Oportunidades para Pessoas com Deficiência. Nova Iorque, Estados Unidos. Assembleia geral, n. 48/96, 1993. Disponível em: <http://cac-php.unioeste.br/projetos/pee/m_gra/nor_equ.php>. Acesso em 15 fev. 2020.

RIBEIRO, C. H. V. Turismo esportivo e seu papel no desenvolvimento econômico e social. In: Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. In: CNC. Turismo em Pauta: quem pensa e faz o Turismo acontecer. Rio de Janeiro: Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, 2019. pp. 37 - 42.

ROJO, J. R. et al. Transformações no modelo de Corridas de Rua no Brasil: um estudo na “Prova Rústica Tiradentes”. Revista brasileira de ciência e movimento, v. 25, n. 1, p. 19-28, 2017a.

ROJO, J. R. et al. Corrida de rua: reflexões sobre o “universo” da modalidade. Corpoconsciência, v. 21, n. 3, p. 82-96, 2017b.

ROJO, J. R. Processo de transformação das corridas de rua: um estudo da prova rústica Tiradentes. 2014. 102 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) – Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2014.

ROJO, J. R.; ROCHA, F. F. Análise do perfil dos corredores e eventos de corridas de rua da cidade de Curitiba-PR. Educación Física y Ciencia, La Plata, v. 20, n. 4, 2018.

ROSA, J. P. Corridas de rua: aprendizagens no tempo presente. 2013. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Curso de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

SÁVIO, A.; LIMA, J. F. Corridas de rua e a participação de cadeirantes. Corpo, Movimento e Saúde, v. 3, n. 2, jul-dez., 2012.

SILVA, J. V. P. Políticas públicas de esporte/lazer e in(ex)clusão de pessoas com deficiência. Campo Grande: Editora UFMS, 2015.

SOUZA, L. K. Pesquisa com análise qualitativa de dados: conhecendo a Análise Temática. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 71, n. 2, p. 51-67, 2019.

Downloads

Publicado

2021-04-05