O ENSINO DOS JOGOS COOPERATIVOS E A INCLUSÃO ESCOLAR: CONTRIBUIÇÕES A PARTIR DOS PRESSUPOSTOS DE JEAN PIAGET

Autores

  • Giseli SIKORA CEPEPE/UFPR - Curitiba-PR
  • Antonio Augusto Venetzi PACHECO CEPEPE/UFPR - Curitiba-PR
  • Gislaine Cristina VAGETTI GPEH/UFPR - Curitiba-PR
  • Valdomiro de OLIVEIRA CEPEPE/UFPR - Curitiba-PR

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2017.v9n2.05.p89

Resumo

A prática dos jogos cooperativos proporciona aos participantes um ambiente de múltiplas possibilidades e constitui-se como um recurso propício à educação inclusiva. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo, de cunho bibliográfico e documental, é refletir acerca do potencial contributivo dos jogos cooperativos, diante da proposta de inclusão escolar, tendo como base a teoria da Epistemologia Genética. Os jogos cooperativos apresentam elementos que são consonantes com a teoria de Jean Piaget e que contribuem para processo de inclusão e socialização de alunos com necessidades educativas especiais, atreladas ou não à deficiência, em âmbito escolar regular. No primeiro momento, são abordados os aspectos relativos à definição e estrutura dos jogos cooperativos; em seguida, discorre-se sobre a visão piagetiana acerca do conceito de cooperação; por último, são elencadas, com base nos pressupostos de Piaget, as possíveis contribuições dos jogos cooperativos para a educação inclusiva. Os resultados do estudo mostram que os princípios dos jogos cooperativos buscam o vivenciar de experiências interativas e favorecem o desenvolvimento dos aspectos cognitivos, motores, sociais e afetivos dos participantes. Outrossim, a aproximação desses princípios com os contributos teóricos de Piaget, reforça ainda mais a necessidade da utilização de dinâmicas cooperativas como estratégia de práticas inclusivas em âmbito escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-04-17

Edição

Seção

Artigos