DESENVOLVIMENTO MORAL:

O QUE A EDUCAÇÃO INFANTIL TEM A VER COM ISSO?

Autores

  • Denise Rocha PEREIRA Rede Municipal de Ensino - Lins-SP e Unisalesiano - Lins-SP
  • Alessandra MORAIS Universidade Estadual Paulista - Marília-SP

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2016.v8n2.06.p105

Palavras-chave:

desenvolvimento moral, educação infantil, professor, práticas pedagógicas.

Resumo

O desenvolvimento moral do ser humano inicia-se nas relações que ele estabe-lece com seu meio, desde o momento em que nasce. Essas relações são permea-das por valores, princípios e regras para o convívio coletivo.  Na perspectiva piagetiana pode-se fazer menção a tendências morais no desenvolvimento da criança: a da heteronomia e a da autonomia. Mas pode-se dizer que anterior à heteronomia há um período caracterizado como anomia em que a criança não tem consciência das normas sociomorais presentes no mundo na qual está inse-rida, para ela as regras não fazem sentido. Porém imergida no universo das regras, a criança começa a desenvolver a noção de dever, decorrente da ideia de certo e errado, de boas e más ações, apresentando uma moral heterônoma, da obediência, em que as regras lhe são exteriores.  Para alcançar a autonomia, é preciso que além da superação de suas tendências heterônomas e egocêntricas, a criança possa ter possibilidades de exercer a cooperação e a consciência de necessidade de regras boas e justas, ou seja, que possa ter boas experiências que a levem ao desenvolvimento autônomo.  Na educação infantil, primeira etapa da educação básica que tem como objetivo a formação integral de crianças de zero a cinco anos, ocorrem inúmeras situações que envolvem regras. No entanto, muitas vezes o professor faz intervenções que não favorecem o desenvolvimento moral com vistas à autonomia. Este artigo tem por objetivo refletir sobre alguns aspectos do desenvolvimento moral sob a ótica da Epistemologia Genética, bem como refletir sobre as ações do educador da infância no momento da aplicação das sanções na escola. A metodologia utilizada, além da revisão da literatura especializada, contou com a experiência, a observação e ação supervisora de educadora da infância.  A pesquisa aponta para a necessidade da formação dos educadores em desenvolvimento moral, pois muitas intervenções que têm ocorrido tem somente contribuído para a formação da moral heterônoma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília,
DF: Senado Federal, Centro Gráfico, 1988.
BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. (1990). Lei Federal nº 8069, de 13 de
julho de 1990. Índice elaborado por Edson Seda. Curitiba: Governo do Estado do Paraná.
BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/96. MEC: Brasília,
1996.
BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. MEC: Brasília,
1998.
BRASIL. Resolução 5 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais
para a Educação Infantil. MEC/CEB/CNE: Brasília, 2009.
DEVRIES, R; ZAN, B. A ética na educação infantil (o ambiente sócio-moral na escola)
Tradução Dayse Batista. Porto Alegre: Artmed,1998.
FREIRE. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. Apresentação
de Ana Maria Araújo Freire. Carta-prefácio de Balduino A. Andreola. São Paulo: Editora UNESP, 2000.
KAMII, C. A criança e o número. Trad. Por Regina A. de Assis. Campinas: Editora
Papirus, 2010.
KAMII, C. Jogos em Grupo na educação Infantil. Implicações da Teoria de Jean Piaget.
São Paulo: Trajetória Cultural, 1991.
LA TAILLE, Y. de. Moral e ética: dimensões intelectuais e afetivas. Porto Alegre: Artmed, 2006.
LA TAILLE, Y. Nossos alunos precisam de princípios e não só de regras. Disponível
em: http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/fala-mestreyves-la-taille- 466838.shtml.Novaescolaedição 213,junho/julho2008. Acesso em 15 de
janeiro de 2014.
137
ISSN: 1984-1655
LA TAILLE, Y. Prefácio. In: PIAGET, J. O juízo moral na criança. São Paulo:
Summus, 1994.
PIAGET, J. O juízo moral da criança. Trad. Por Elzon Lenardon, São Paulo: Summus,
1994. (Original publicado em 1932).
PIAGET, J. Os Procedimentos da Educação Moral. In: PARRAT-DAYAN, S.;
TRYPHON, A. (Org.). Jean Piaget. Sobre a Pedagogia. Textos inéditos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998. p. 26-58.
PIAGET, J. A representação do mundo na criança. Aparecida: Ideias e Letras, 2005.
(Original publicado em 1947).
PUIG, J, M. A Construção da personalidade Moral. São Paulo: Editora Atica, 1996.
SUPERNANNY. Se você não se comportar, eu vou chamar a super Nanny. 4ª temporada. DVD. 190 minutos. SBT, 2009.
VINHA, T. P. O Educador e a moralidade infantil: uma visão construtivista, Campinas,
SP: Mercado das letras; São Paulo: FAPESP, 2000.
VINHA, T. P. O educador e a moralidade infantil numa perspectiva construtivista. Revista do Cogeime, Jul, 1999. Disponível em: http:
www.cogeime.org.br/revista/cap0214.pdf. Acesso em: agosto de 2016.

Downloads

Publicado

2017-02-25

Edição

Seção

Artigos