A Tomada de Consciência da Crise de Identidade Profissional em Professores do Ensino Fundamental 1

Autores

  • Eliane Paganini da Silva Centro Universitário de São José do Rio Preto
  • Cilene Ribeiro de Sá Leite Chakur Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2009.v2n3.581

Palavras-chave:

Identidade profissional do professor, Tomada de consciência da crise de identidade docente, Profissionalização docente, Papel profissional do professor.

Resumo

Este trabalho investigou se professores do II Ciclo do Ensino Fundamental (5ª a 8ª séries) de uma escola paulista têm consciência de suas funções e responsabilidades como professores, como avaliam a crise da profissão docente, descrita na bibliografia educacional, e se estão conscientes dessa crise com seus determinantes. A pesquisa recorreu a estudos que tratam da identidade, dos saberes e das dificuldades do professor, utilizando como suporte teórico para a análise a teoria de Jean Piaget do desenvolvimento cognitivo e da tomada de consciência. Foram entrevistados 12 professores com base em um roteiro semi-estruturado, tendo como eixo temático as características e consciência da crise de identidade docente. A partir de análise qualitativa e quantitativa, foi possível estabelecer níveis distintos da tomada de consciência dessa crise: Nível I. Consciência elementar ou periférica da crise de identidade profissional; Nível II. Consciência incipiente da crise de identidade profissional e Nível III. Consciência refletida da crise de identidade profissional. Concluiu-se que a tomada de consciência da crise de identidade profissional docente não se mostra repentina, nem consiste em um processo de “iluminação”, mas se revela em certos níveis hierárquicos. E para que os professores atinjam o terceiro nível de consciência, devem ter refletido sobre as reais causas dos acontecimentos e dos problemas, percebendo os elementos centrais da situação em detrimento dos seus elementos periféricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARROYO, M. G. Ofício de Mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis, RJ: Vozes,
2000.
BRZEZINSKI, I. (Org.). Profissão professor: identidade e profissionalização
docente. Brasília, D.F.: Editora Plano, 2002.
CHAKUR, C. R. de S. L. Desenvolvimento profissional docente: contribuições de
uma leitura piagetiana. Araraquara: JM Editora, 2001.
CUNHA, M. I. Profissionalização docente: contradições e perspectivas. In:
VEIGA, I. P. A; CUNHA, M. I. da. (Org.). Desmistificando a profissionalização do
magistério. Campinas, SP: Papirus, 1999. p. 127-147.
ESTEVE, J. H. Mudanças sociais e função docente. In: NÓVOA, A. (Org.)
Profissão professor. 2 ed. Porto: Porto Editora, 1995. p. 95-124.
Volume 2 Número 3 – Jan-Jul/2009 241
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
ESTEVE, J. H. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. São
Paulo: EDUSC, 1999.
GAUTHIER, C. et. al. Por uma teoria da Pedagogia: pesquisas contemporâneas
sobre o saber docente. Ijuí: Ed. Unijuí, 1998.
GIDDENS, A. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.
GIMENO SACRISTÁN, J. Consciência e acção sobre a prática como libertação
profissional dos professores. In: NÓVOA, A. Profissão Professor. Porto: Porto Ed.,
1991. p. 61-92.
HIPOLYTO, A. M. Trabalho docente e profissionalização: sonho prometido ou
sonho negado? In: VEIGA, I. P. A; CUNHA, M. I. da (Org.) Desmistificando a
profissionalização do magistério. Campinas, SP: Papirus, 1999. p. 81-100.
LOURENCETTI, G. C. Mudanças sociais e reformas educacionais: repercussões no
trabalho docente. 2004. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Faculdade de
Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista. Araraquara, 2004.
MOGONE, J. A. De alunas a professoras: analisando o processo da construção
inicial da docência. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) –
Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista. Araraquara,
2001.
NACARATO, et al. O cotidiano do trabalho docente: palco, bastidores e
trabalho invisível... abrindo as cortinas. In: GERALDI, C. M. G.; FIORENTINI,
D.; PEREIRA, E. M. de A. (Org.). Cartografias do trabalho docente: professor(a)-
pesquisador(a). Campinas: Mercado das Letras, 2000.
PIAGET, J. Problemas de psicologia genética. Rio de Janeiro: Forense, 1973.
PIAGET, J. A tomada de consciência. São Paulo: Melhoramentos, 1977.
PIAGET, J. Fazer e compreender. São Paulo: Melhoramentos, 1978.
PIMENTA, S. G. Formação de Professores – Saberes da Docência e Identidade
do Professor. Nuances, v. III, Presidente Prudente, 1997. p. 05-14.
TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Rio de janeiro: Vozes, 2002.
VIANNA, C. Os nós do “nós”: crise e perspectiva da ação coletiva docente em
São Paulo. São Paulo: Xamã, 1999.

Downloads

Publicado

2022-02-02

Edição

Seção

Artigos