Relações entre a Teoria Espiral do Desenvolvimento Musical e a Epistemologia Genética

Autores

  • Caroline Caregnato Universidade do Estado do Amazonas - Manaus-AM

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2013.v5n1.p128-146

Palavras-chave:

Desenvolvimento Musical, Teoria Espiral do Desenvolvimento Musical, Epistemologia Genética.

Resumo

A Teoria Espiral do Desenvolvimento Musical foi formulada, de acordo com seus auto-res Swanwick e Tillman, a partir de conceitos tomados da Epistemologia Genética. Este artigo busca observar as relações existentes entre os fundamentos dessas duas teorias de desenvolvimento a fim de identificar se existe de fato essa relação entre a Teoria Espiral e a teoria de Piaget. Neste artigo é realizada uma breve revisão de literatura, acompanhada da análise comparativa de conceitos como egocentrismo, assimilação, acomodação, imitação e intuição, encontrados na Epistemologia Genética e na Teoria Espiral do Desenvolvimento Musical. Através desse trabalho de confrontação de con-cepções foi possível observar, por exemplo, que Swanwick e Tillman – ao contrário de Piaget – concebem a assimilação e a acomodação como processos separados, que se manifestam em diferentes momentos do desenvolvimento musical. Para aqueles auto-res, a imitação também só se manifesta em um momento intermediário do desenvol-vimento das competências musicais e o comportamento musical é guiado pela intuição no começo de todos os grandes momentos do desenvolvimento. Embora Swanwick e Tillman apresentem uma visão diferente da proposta por Piaget em questões relativas à imitação e à intuição, cabe frisar que aqueles autores defendem questões também defendidas pela teoria piagetiana. Um exemplo dessa semelhança seria o reconheci-mento por parte dessas duas teorias (Teoria Espiral e Epistemologia Genética) da im-portância da ação (da experimentação) no início do desenvolvimento. De forma geral, no entanto, é possível afirmar que Swanwick e Tillman realizaram uma interpretação livre de alguns dos fundamentos da teoria de Piaget, e que aqueles autores chegaram a empregar conceitos supostamente piagetianos em seus trabalhos de uma forma dife-rente da forma como esses conceitos são empregados dentro de trabalhos de Piaget. Essas constatações podem nos levar a negar a ideia já difundida de que a Teoria Espiral do Desenvolvimento Musical seja uma teoria de base piagetiana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARNEIRO, Aline Nunes. Desenvolvimento musical e sensório-motor da
criança de zero a dois anos: relações teóricas e implicações pedagógicas. 96 f.
Dissertação (Mestrado em Música). Escola de Música, Universidade Federal de
Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.
DELVAL, Juan. Crescer e pensar: a construção do conhecimento na escola.
Tradução: Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
______. Método clínico: descobrindo o pensamento das crianças. Tradução:
Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002.
DOLLE, Jean-Marie. Para compreender Jean Piaget: uma iniciação à psicologia
genética piagetiana. Tradução: Maria José J. G. de Almeida. 2 ed. Rio de Janeiro:
Zahar Editores, 1978.
HENTSCHKE, Liane. A Adequação da Teoria Espiral como Teoria de
Desenvolvimento Musical. Fundamentos da Educação Musical. ABEM, Porto
Alegre. Vol. 1, p.47-69, 1993.
KEBACH, Patrícia Fernanda Carmem. Musicalização coletiva de adultos: o
processo de cooperação nas produções musicais em grupo. 301f. Tese
(Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do
Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.
MAFFIOLETTI, Leda de Albuquerque. Diferenciações e integrações: o
conhecimento novo na composição musical infantil 279f. Tese (Doutorado em
Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do
Sul, Porto Alegre, 2005.
PIAGET, Jean. O nascimento da inteligência na criança. Tradução: Álvaro
Cabral. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.
______. A epistemologia genética. In PIAGET, Jean. Os pensadores: Piaget.
Tradução: Nathanael C. Caixeiro. São Paulo: Editora Abril, 1983a.
______. Problemas de psicologia genética. In PIAGET, Jean. Os pensadores:
Piaget. Tradução: Célia E. A. Di Piero. São Paulo: Editora Abril, 1983b.
______. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagem e
representação. Tradução: Álvaro Cabral. 3ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 1990.
PULASKI, Mary Ann Spencer. Compreendendo Piaget: uma introdução ao
desenvolvimento cognitivo da criança. Tradução: Vera Ribeiro. Rio de Janeiro:
Zahar Editores, 1983.
Volume 5 Número 1 – Jan-Jul/2013 146
www.marilia.unesp.br/scheme
ISSN: 1984-1655
SWANWICK, Keith. Music, mind and education. London: Routledge, 1988.
______. Musical knowledge: intuition, analysis and music education. London:
Routledge, 1994.
SWANWICK, Keith; TILLMAN, June. The sequence of musical development:
a study of children’s composition. British Journal of Music Education. Cambridge Journals, Cambridge. Vol. 3, p. 305-339, 1986.

Downloads

Edição

Seção

Artigos