A IDEIA DE MEDIAÇÃO NO INTERACIONISMO PIAGETIANO: ALGUNS APONTAMENTOS

Autores

Palavras-chave:

Piaget, Dialética, Mediação, Cognição, Epistemologia

Resumo

O propósito do presente artigo é o de fazer alguns apontamentos acerca da ideia de mediação no interacionismo piagetiano. Parte-se de uma discussão acerca do problema da interação entre sujeito e objeto do conhecimento, apresentando aspectos da explicação piagetiana para o modo como se dá a construção de conhecimento (como forma, estrutura). Mobiliza-se, para tanto, o conceito de abstração reflexionante, com seus dois momentos: reflexionamento e reflexão. Em seguida, aborda-se o sentido de mediação em uma perspectiva dialética, especificamente, dialética hegeliana (momento da negação e contradição inerente ao processo de superação). Analisando a abordagem interacionista de Piaget, particularmente a explicação do processo de construção de conhecimento, demonstra-se que este é entendido dialeticamente, o que fica explícito a partir do constructo da abstração reflexionante. Por fim, observa-se que a ideia de mediação na abordagem piagetiana é eminentemente dialética na medida em que não existe apenas como algo que está no meio de dois momentos, o que lhe torna essencialmente distinta da ideia de mediação própria das abordagens de cunho positivista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. Tradução: Alfredo Bosi. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

SÓFOCLES. Édipo Tirano. Tradução: Leonardo Antunes. 1 ed. São Paulo: Todavia, 2018.

BECKER, F. Abstração pseudo-empírica e reflexionante: Significado epistemológico e educacional. Schème: Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, Marília, v. 6, Número Especial, pp. 104-128, 2014.

BORNHEIM, G. A. A invenção do novo. In: NOVAES, A. (Org.). Tempo e História. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BORNHEIM, G. A. Dialética: teoria, práxis; Ensaio para uma crítica da fundamentação ontológica da Dialética. Porto Alegre: Globo, 1983.

CASTORINA, J. A. La Epistemología Genética, ¿es una epistemología naturalizada? Schème: Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, Marília, v. 6, n. 2, pp. 4-26, 2014.

FIGUEIREDO, L.C.M.; SANTI, P.L.R. Psicologia: uma (nova) introdução. São Paulo: Educ, 1997. HEGEL, F. Fenomenologia do espírito. [1807]. Tradução: Paulo Meneses. 4 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

HEGEL, F. Ciência da Lógica. [1812]. Tradução: Christian G. Iber, Marloren L. Miranda e Federico Orsini. Petrópolis: Edidora Vozes, 2016.

HEGEL, F. Enciclopedia de las Ciencias Filosóficas en Compendio. [1830]. Tradução: Ramón Valls Plana. Madrid: Alianza Editorial, 2005.

HEGEL, Friedrich. Introdução à história da filosofia. [1837]. Tradução: Antônio Pinto de Carvalho. São Paulo: Abril Cultural, 1980. (Os Pensadores).

HERÁCLITO. In: Os Pré-socráticos. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Os Pensadores).

INWOOD, M. Dicionário Hegel. Tradução: Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

KESSELRING, T. Reconstrução racional de dialética no sentido de Hegel. In: STEIN, E; BONI, L. A. de. (Org.). Dialética e Liberdade: Festschrift em homenagem a Carlos Roberto Cirne Lima. Petrópolis, RJ: Vozes; Porto Alegre: Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1993.

LIDELL, H. G.; SCOTT, R. Greek-english léxicon. New York: Oxford University Press, 1996.

LOURENÇO, Orlando. Além de Piaget? Sim, mas Primeiro Além da Sua Interpretação Padrão. Análise Psicológica, Lisboa, v. 4, n. 16, p. 521-552, 1998.

MACHADO, D. D. S. Epistemologia Genética e Neurociências: Construção do sujeito cognoscente. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

MENESES, P. Para ler a Fenomenologia do Espírito. São Paulo: Loyola, 1985.

MONTANGERO, J.; MAURICE-NAVILLE, D. Piaget ou a inteligência em evolução. Tradução: Fernando Becker e Tânia Beatriz Iwaszko Marques. Porto Alegre: Artmed, 1998.

MOURA, J. B. Totalidade e Contradição. Acerca da Dialética. Lisboa: Livros Horizonte, 1977. NOWINSKI, C. Biologia, teorias do desenvolvimento e dialética. In: PIAGET, J. (Org.). Lógica e Conhecimento Científico. Volume 2. Livraria Civilização: Porto, 1981.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. [1936]. Tradução: Alvaro Cabral. 4 ed. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 1987.

PIAGET, J. Sabedoria e ilusões da filosofia [1965]. Tradução: Nathanael C. Caixeiro; Zilda Abujamra Daeir; Célia E. A. Di Piero. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

PIAGET, J. Biologia e Conhecimento: ensaio sobre as relações entre as regulações orgânicas e os processos cognoscitivos. [1967]. Tradução: Francisco M. Guimarães. Petrópolis: Vozes, 1973.

PIAGET, J. Psicologia e Epistemologia: Por uma teoria do conhecimento. [1970]. Tradução: Agnes Cretella. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1978.

PIAGET, J. Problemas de psicologia genética [1972]. Tradução: Nathanael C. Caixeiro; Zilda Abujamra Daeir; Célia E. A. Di Piero. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Os Pensadores.)

PIAGET, J. Abstração reflexionante; relações lógico-aritméticas e ordem das relações espaciais. [1977]. Tradução: Fernando Becker e Petronilha B. G. da Silva. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

PIAGET, J. Las formas elementares de la dialéctica. [1980]. Barcelona: Editorial Gedisa, 1996.

PIATTELLI-PALMARINI, M. Teorias da linguagem, teorias da aprendizagem: o debate entre Jean Piaget e Noam Chomsky. São Paulo: Cultrix/EDUSP, 1983.

RAMOZZI-CHIAROTTINO, Z. Em busca do sentido da obra de Jean Piaget. São Paulo: Ática, 1994.

RAMOZZI-CHIAROTTINO, Z. Psicologia e Epistemologia Genética de Jean Piaget. São Paulo: EPU, 1988.

RAMOZZI-CHIAROTTINO, Z. Organismo, lógica e sociedade no modelo piagetiano do conhecimento. In: FREITAG, B. (Org.). Piaget: 100 anos. São Paulo: Cortez, 1997.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Artigos