COMO É POSSÍVEL A FILOSOFIA? UMA ANÁLISE A PARTIR DO MODELO DO SISTEMA DE ESQUEMAS DE AÇÕES E OPERAÇÕES SOBRE SÍMBOLOS E SIGNOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/1984-1655.2020.v12n2.p6-40

Palavras-chave:

Conhecimento Filosófico, Construção do Real, MoSEAOSS, Descentração epistêmica

Resumo

Por que teorias filosóficas parecem ser tão reais aos filósofos que as propõem? Por que, mesmo se apresentando como reais aos seus autores, existe uma grande diversidade de teorias filosóficas? Quais seriam, pelo menos em linhas gerais, as estruturas necessárias ao conhecimento filosófico? Na medida em que a Epistemologia Genética se constitui como uma teoria do conhecimento que estuda as estruturas necessárias ao conhecimento, seria importante que, a partir dos estudos e pesquisas nessa área, buscasse-se responder a tais questões. O objetivo deste artigo é discutir, em linhas gerais, como o Modelo do Sistema de Esquemas de Operações sobre Símbolos e Signos (MoSEAOSS), introduzido por Tassinari (2014), explica a possibilidade do conhecimento filosófico e, nesse sentido, responder a tais questões. O MoSEAOSS foi elaborado a partir de alguns dos principais resultados teóricos e experimentais a que chegaram Jean Piaget, suas colaboradoras e seus colaboradores, articulando-os em uma visão sistêmica, sistemática e sintética. Trata-se aqui de uma discussão teórica envolvendo os conceitos fundamentais do MoSEAOSS e resultados das Epistemologia e Psicologia Genéticas. Mediantes as razões apresentadas a partir do MoSEAOSS, mostra-se que sempre existe a possibilidade de uma grande diversidade de teorias filosóficas e cada uma delas aparenta ser real ao filósofo que a propõe. A razão principal é que a coordenação de seus esquemas de ações e operações sobre símbolos e signos constituem o real para ele, ou ainda, as diversas teorias filosóficas determinam operações sobre signos (envolvendo significações teóricas) que coordenam os esquemas de operações sobre símbolos (em especial, sobre imagens mentais), regulando as possibilidades de imaginação, e, consequentemente, as possibilidades dos comportamentos atribuídos aos objetos e às suas próprias ações. Conclui-se, pois, que o sistema de esquemas de ações e operações sobre símbolos e signos se constitui em uma estrutura necessária, não apenas ao conhecimento científico, mas também ao fazer e conhecer filosóficos. Por fim, os resultados obtidos possibilitam introduzir a descentração epistêmica como à visão filosófica que compreende e explica a existência de diversas teorias e visões filosóficas e científicas possíveis, bem como de diferentes realidades, construídas devido a elas. Nesse sentido, a descentração epistêmica se mostra como um estágio superior das formas de compreensão do real e, seria o cume das diversas formas de descentrações estabelecidas por Piaget, suas colaboradoras e seus colaboradores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DANTAS, L. C. V. A Ressignificação na Terapia Cognitiva: Uma Análise a partir da Modelo do Sistema de Esquema de Ações e Operações sobre Símbolos e Signos (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2016. Disponível em: http://repositorio.unesp.br. Acesso em: 01 nov 2020.

DANTAS, L. C. V.; TASSINARI, R. P. A Ressignificação na Terapia Cognitiva: Uma Análise a Partir do Modelo do Sistema de Esquema de Ações e Operações sobre Símbolos e Signos. IV Colóquio Internacional de Epistemologia e Psicologia Genéticas: Teoria e Prática na Construção do Conhecimento. Marília - SP: Fundepe - Editora, 2016. Disponível em:

https://drive.google.com/file/d/0B5Clk9eE1rBkVjhIMl83UEptTWs/view?usp=sharing.

Acesso em: 01 nov 2020.

FERRAZ, A. A. Como é Possível o Conhecimento Matemático: Uma Análise a Partir da

Epistemologia Genética (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2014. Disponível em: http://repositorio.unesp.br. Acesso em: 01 nov 2020.

FERRAZ, A. A.; TASSINARI, R. P. Como é Possível o Conhecimento Matemático: As Estruturas Lógico-Matemáticas a partir da Epistemologia Genética. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015. Disponível em: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo/como-e-possivel-o-conhecimento-matematico-uma-analise-a-partir-da-epistemologiagenetica/. Acesso em: 01 nov 2020.

FERRAZ, A. A.; TASSINARI, R. P. Como é Possível o Conhecimento Matemático: Uma Análise Fundamentada no Modelo do Sistema de Esquemas de Ações e Operações sobre Símbolos e Signos. IV Colóquio Internacional de Epistemologia e Psicologia Genéticas: Teoria e Prática na Construção do Conhecimento. Marília - SP: Fundepe Editora, 2016. Disponível em:

https://drive.google.com/file/d/0B5Clk9eE1rBkYUs2WEJPQUJuX1U/view?usp=sharin

g. Acesso em: 01 nov 2020.

FERREIRA, R.R. Sobre o uso da função proposicional e sua gênese segundo a Epistemologia Genética (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2011. Disponível em: http://repositorio.unesp.br. Acesso em: 01 nov 2020.

FERREIRA, R. R.; TASSINARI, R. P. Piaget e a Predicação Universal. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013. Disponível em: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo/piaget-e-a-predicacao-universal/. Acesso em: 01 nov 2020.

FREITAS, S. F. Animismo e Artificialismo: Uma análise a partir do Modelo do Sistema de Esquemas de Ações e Operações sobre Símbolos e Signos (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2020. Disponível em: http://repositorio.unesp.br. Acesso em: 01 nov 2020.

INHELDER, B.; PIAGET, J. (1970). Da Lógica da Criança à Lógica do Adolescente: Ensaio sobre a Construção das Estruturas Operatórias Formais. São Paulo: Pioneira, 1976.

LATANSIO, V. D. A Significação na Epistemologia Genética: Contribuições para uma Teoria do Conhecimento (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2010 Disponível em: http://repositorio.unesp.br. Acesso em: 01 nov 2020.

MARÇAL, V.E.R.; TASSINARI, R. P. O Modelo Grupo Prático de Deslocamentos em Psicologia e Epistemologia Genéticas e sua Formalização. Schème: Rev. Eletr. de Psic. e Epist. Gen., Marília, [Online]. v. 5, n. 1, p. 6-18, 2013. Disponível em: http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/scheme. Acesso em: 01 nov 2020.

MARÇAL, V.E.R.; TASSINARI, R. P. O Caráter a priori das Estruturas Necessárias ao Conhecimento, Construídas segundo a Epistemologia Genética. Schème: Rev. Eletr. de Psic. e Epist. Gen., Marília, [Online]. v. 6, n. Especial, p. 225-241, 2014. Disponível em: http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/scheme. Acesso em: 01 nov 2020.

PENTEADO, M. L.; TASSINARI, R. P. Teoria da Relatividade Restrita, Epistemologia Genética e o Modelo do Sistema de Esquema de Ações e Operações sobre Símbolos e Signos. IV Colóquio Internacional de Epistemologia e Psicologia Genéticas: Teoria e Prática na Construção do Conhecimento. Marília - SP: Fundepe Editora, 2016. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/0B5Clk9eE1rBkTk9oVk5oRmtJdW8/view?usp=sharing. Acesso em: 01 nov 2020.

PIAGET, J. (1936). O Nascimento da Inteligência na Criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1974.

PIAGET, J. (1945). A Formação do Símbolo na Criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

PIAGET, J. Introduction a l’Épistémologie Génétique. Tomo I: La Pénsée Mathématique. Paris: P.U.F., 1950.

PIAGET, J. (1967). Biologia e Conhecimento. Petrópolis: Vozes, 1973.

PIAGET, J. (1972). Sabedoria e Ilusões da Filosofia. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Coleção ‘Os Pensadores’).

PIAGET, J. (1974). Fazer e Compreender. São Paulo: Melhoramentos; EdUSP, 1978.

PIAGET, J.; INHELDER, B (1966). A Psicologia da Criança. São Paulo: Difel, 1986.

TASSINARI, R. P. Sobre uma Estrutura Fundamental para a Lógica Operatória Concreta. In: DONGO-MONTOYA, A. O. D.; MORAIS-SHIMIZU, A.; MARÇAL, V. E. R.; MOURA, J. F. B. (Orgs.). Jean Piaget no século XXI: Escritos de Epistemologia e Psicologia Genéticas. Marília; São Paulo: Oficina Universitária; Cultura Acadêmica, 2011, p. 31-46. Disponível em: www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/jean_piaget.pdf. Acesso em: 01 nov 2020.

TASSINARI, R. P. O Sistema das Autoconsciências: da Epistemologia Genética a um Idealismo Especulativo. Schème: Rev. Eletr. de Psic. e Epist. Gen., Marília, [Online]. v. 5, n. Especial, p. 724-283, 2013. Disponível em: http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/scheme. Acesso em: 01 nov 2020.

TASSINARI, R. P. Formalização em Epistemologia Genética e Digrafos. Cognitio (PUCSP), v. 14, p. 255-272, 2013b. Disponível em: http://revistas.pucsp.br. Acesso em: 01 nov 2020.

TASSINARI, R. P. O Modelo do Sistema de Esquemas de Ações e Operações sobre Símbolos e Signos. Schème: Rev. Eletr. de Psic. e Epist. Gen., Marília, [Online]. v. 6, n. Especial, p. 7-44, 2014. Disponível em: http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/scheme. Acesso em: 01 nov 2020.

TASSINARI, R. P. O Sistema das Autoconsciências: Da Epistemologia Genética a um Idealismo Especulativo (Reedição Revisada). In: SOUZA, D. G.; LIMA, F.J.G. (Org.). Filosofia & Interdisciplinaridade: Festschrift em Homenagem a Agemir Bavaresco. Porto Alegre: Editora Fi, 2015, p. 851-890. Disponível em: https://www.editorafi.org/63agemir. Acesso em: 01 nov 2020.

TASSINARI, R. P. Ser (Neo)Hegeliano Hoje: O Espírito Enciclopédico. In: TASSINARI, R.P.; BAVARESCO, A.; MAGALHÃES, M. M. (Org.). Enciclopédia das ciências filosóficas: 200 anos. Porto Alegra - RS: Editora Fi, 2018, p. 237-257. Disponível em: https://www.academia.edu/36818006/Ser_Neo_Hegeliano_Hoje_O_Esp%C3%ADrito_

Enciclop%C3%A9dico_ Acesso em: 01 nov 2020.

TASSINARI, R. P.; GUTIERRE, J. H. B. Lógica e Filosofia da Ciência. São Paulo: NEaD - Núcleo de Educação à Distância; Secretaria de Estado da Educação SP, 2012. Disponível em: www.academia.edu/3114150/Logica_e_Filosofia_da_Ciencia_- _2a_Edicao. Acesso em: 01 nov 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Artigos