A PRÁXIS DO TRABALHO ASSOCIADO: DA ECONOMIA SOLIDÁRIA PARA A PERSPECTIVA DA SOLIDARIEDADE ORGÂNICA E AUTOGESTÃO SOCIETAL

Autores

  • Édi Augusto BENINI
  • Gabriel Gualhanone NEMIROVSKY
  • Elcio Gustavo BENINI

DOI:

https://doi.org/10.36311/1519-0110.2012.v13n2.2659

Palavras-chave:

economia solidária, autogestão, sistema orgânico do trabalho.

Resumo

Ao se centralizar o escopo multifacetado das diversas práticas organizativas da economia solidária na perspectiva do trabalho associado, percebe-se que não há ainda – mesmo após duas décadas de vasta produção teórica sobre o tema – uma profunda discussão, de teor estruturante e, ao mesmo tempo, prático, capaz de colocar em debate as mediações e elementos-chave necessários a uma tentativa real de consolidação de uma alternativa à produção social dominada pelo capital, viabilizada pela organização autogestionária da sociedade. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo é dar início a essa discussão, promovendo uma proposta para a construção das possíveis bases materiais que sustentariam as mediações de um intercâmbio social inovador centrado no trabalho associado. Desse modo, conclui-se que a tentativa de se superar a real subsunção da economia solidária ao plano de mediações alienadas do capital implica em se construir uma proposta para a formação de relações econômicas profundas entre as experiências do trabalho associado, sob a égide de um Sistema Orgânico do Trabalho. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Edição

Seção

Artigos