DERROTISMO POLÍTICO ÀS VÉSPERAS DO TERCEIRO REICH. CONTEXTUALIZANDO A POLÊMICA WALTER BENJAMIN-ERICH KÄSTNER

Autores

  • Felipe Vale da Silva Doutor em Letras/Alemão pela Universidade de São Paulo. Enail: Felipe.vale.silva@gmx.com

DOI:

https://doi.org/10.36311/0102-5864.2020.v57n2.p125-138

Palavras-chave:

Walter Benjamin. Erich Kästner. Engajamento político. Estética.

Resumo

O artigo trata do contexto de escrita de uma resenha menos conhecida de Walter Benjamin, Melancolia de esquerda. Sobre o novo volume de poesia de Erich Kästner (1931). Defende-se que, antes de se portar como um resenhista interessado em descrever os pormenores do lançamento de Kästner, Benjamin atuou como um polemista: seu texto logo se reverte em um panorama sobre a literatura da época — da chamada Nova Objetividade — e falta de engajamento político efetivo por parte dos intelectuais da República de Weimar. Isso torna a resenha em questão um documento importante de estética filosófica (e um dos argumentos mais contundentes a favor da coligação entre estética e política do século XX), além de um retrato privilegiado sobre a passividade da classe intelectualizada às vésperas da ascensão do nazifascismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-29

Edição

Seção

Crítica Cultural