Sob o domínio do capital: a precariedade do trabalho artístico nas indústrias culturais

Autores

  • Ricardo Normanha Doutor em Ciências Sociais, Mestre em Educação e Bacharel em Sociologia e Ciência Política pela Unicamp. Pesquisador colaborador do Grupo de Pesquisa em Diferenciação Sociocultural. normanha.ricardo@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.36311/0102-5864.2020.v57n1.12.p131

Palavras-chave:

Trabalho artístico; Indústria Cultural; Trabalho precário; Valor; Mercadoria.

Resumo

Este artigo tem como objetivo abarcar as características capitais do trabalho artístico, de forma geral. Também reside neste intento o esforço em compreender o trabalhador e trabalhadora do campo artístico como elementos centrais na criação de valor e acumulação de capital no contexto da indústria cultural. O mundo das artes tem se tornado um segmento cada vez mais economicamente relevante, iluminando um duplo processo: em primeiro lugar, nota-se que a arte é dotada de valor econômico, é transformada em mercadoria da Indústria Cultural, o que a localiza no universo das relações sociais de produção; em segundo lugar, observa-se também que os valores e competências típicos do universo artístico são conduzidos à esfera da produção de bens materiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-29

Edição

Seção

Crítica Cultural