Objetividade do juízo estético

Autores

  • António Marques Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.36311/2318-0501.2019.v7n1.03.p11

Palavras-chave:

objectividade, subjectividade, universalidade, juízo estético, comunicação estética

Resumo

Neste verbete é discutido o problema da “objectividade do juízo estético”, tal como Kant a entende no quadro da Terceira Crítica. Uma das soluções mais fortes ao nosso dispor para esclarecer essa questão seria a defesa de um princípio realista, a perfeição, que sustentasse a objectividade pretendida para esse tipo de juízo. Nesse caso a objectividade seria justificada por um conjunto de qualidades pertencendo ao próprio objecto. Porém, o facto é que o juízo de gosto é completamente independente de qualquer conceito de perfeição (§ 15). Uma crítica do juízo estético mostra que a sua universalidade e necessidade são qualidades que não podem ser separadas de um princípio universal de comunicação entre subjectividades. Sendo assim, a objectividade de um tal juízo não é a que é própria de um juízo de conhecimento, o qual é baseado no conceito de objecto, mas sim o tipo de objectividade que é associado a uma comunicação universal. No entanto, deverá ainda acrescentar-se um elemento central para que essa universalidade e necessidade tenha um fundamento seguro (não apenas o de um consenso): a ideia de um fundamento supra-sensível da natureza, o qual é uma pressuposição transcendental imprescindível.

Recebido / Received: 7.1.2019.
Aprovado / Approved: 14.1.2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

António Marques, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

Professor de Filosofia na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde até 2019 dirigiu, durante cerca de 20 anos, o Instituto de Filosofia da Nova (IFILNOVA). Foi bolseiro da Alexander von Humboldt-Stiftung (Universität Münster) e professor visitante na Boston University. É autor de livros sobre Kant, Nietzshe e Wittgenstein, assim como de diversas publicações em editoras nacionais e estrangeiras.

Downloads

Publicado

2019-07-23

Edição

Seção

Artigos/Articles