Educação midiática, cultura digital e as fake news em tempos de pandemia

Autores

  • Márcia Gorett Ribeiro Grossi Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Débora Cristina Cordeiro Campos Leal Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - (CEFET-MG)
  • Mônica Ferreira da Silva Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

DOI:

https://doi.org/10.36311/2236-5192.2021.v22esp2.p179

Palavras-chave:

Educação Midiática, Cultura Digital, Fake News

Resumo

Frente à necessidade dos professores de auxiliarem os alunos a lidarem com a infodemia, uma vez que atualmente as salas de aula estão inseridas numa cultura digital, foi realizada uma pesquisa que teve como objetivo apresentar as possibilidades de desenvolver nos alunos um senso crítico em relação às informações que os cercam. Para tal, foi feita em 2021 uma pesquisa de abordagem qualitativa. De acordo com o objetivo traçado, o tipo de pesquisa foi a descritiva. Quanto aos procedimentos técnicos, optou-se pelas pesquisas bibliográfica e documental. Os resultados revelam a importância da educação midiática que abrange o desenvolvimento de competências para combater a desinformação e, ao mesmo tempo possibilita criar um ceticismo saudável, pois a escola é o ambiente que forma cidadãos midiáticos, onde os alunos constroem a relação com o conhecimento e a informação. A partir dessa necessidade, este artigo apresenta 12 dicas para identificar uma fake news e, sugere cinco atividades pedagógicas que ajudam na identificação dessas fake news.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Gorett Ribeiro Grossi, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Doutora em Ciências da Informação pela UFMG; professora titular do CEFET- MG, lotada no Departamento de Educação e no Programa de Pós-Graduação em Educação Tecnológica.

Débora Cristina Cordeiro Campos Leal, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - (CEFET-MG)

Mestre em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG. Licenciada em Pedagogia pela UFLA. Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância pela UFF.  Especialista em Designer Instrucional para EaD virtual pela UNIFEI. Integrante dos Grupos de Pesquisa AVACEFETMG.

 

Mônica Ferreira da Silva, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Doutoranda em Estudos de Linguagens pelo CEFET-MG. Mestre em Meio ambiente e Turismo pela UNA. Graduada em Pedagogia pela Fundação Educacional Monsenhor Messias. Coordenadora Pedagógica dos Programas de Pós-graduação (lato sensu) da Nova Faculdade. Integrante do Grupo de Pesquisa AVACEFETMG.

 

Referências

ABU-FADIL, Magda. Combatting disinformation and misinformation through Media and Information Literacy (MIL). In: IRETON, Cherilyn; POSETTI, Julie. Journalism, ‘Fake News’ & Disinformation: handbook for Journalism Education and Training. Paris: UNESCO, 2018.

BAGO, Bence; Rand, David G., PENNYCOOK, Gordon. Fake news, fast and slow: Deliberation reduces belief in false (but not true) news headlines. Journal of Experimental Psychology: General, v. 49, n. 8, p.1608–1613, 2020. Disponível em: <https://psycnet.apa.org/record/2020-00479-001>. Acesso em: 27 mar. 2021.

BLASZKO, Caroline Elizabel; CLARO, Ana Lúcia de Araújo; UJIIE. Nájela Tavares. A contribuição das metodologias ativas para a prática pedagógica dos professores universitários. Educ. Form., Fortaleza, v. 6, n. 2, e3908, maio/ago. 2021. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/3908/3952>. Acesso em: 27 mar. 2021.

BORTOLAZZO, Sandro. O lugar da educação na cultura digital: esboços de crianças e jovens digitais. Textura, v. 20, n. 44, p.27-44, set/dez. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular: Educação é base. 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf >. Acesso em: 27 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para a educação infantil. 1998. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf >. Acesso em: 27 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Todo ser humano tem direito à liberdade de expressão e opinião. 2018. Disponível em: <https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2018/novembro/artigo-19deg-todo-ser-humano-tem-direito-a-liberdade-de-expressao-e-opiniao-1>. Acesso em: 22 jun. 2021.

BUCKINGHAM, David. The media education manifesto. Cambridge, UK; Medford, MA, USA: Polity Press, 2019.

CANETTIERI, M. K.; PARANAHYBA, J. de C. B.; SANTOS, S. V. Habilidades socioemocionais: da BNCC às salas de aula. Educ. Form., [S. l.], v. 6, n. 2, p. e4406, 2021. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/4406>. Acesso em: 30 jun. 2021.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Trad Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CAVALCANTE, Pedro. A questão da desigualdade no Brasil: como estamos, como a população pensa e o que precisamos fazer. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. 2020. Disponível em: <http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/10263/1/td_2593.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2021.

EDUCAMÍDIA. Guia da Educação Midiática. 2021. Disponível em: <https://educamidia.org.br/guia>. Acesso em: 05 mar. 2021.

FILHO, Otávio Frias. O que é falso sobre fake news. Revista USP, São Paulo, n. 116, p. 39-44, 2018.

GADOTTI, Moacir. Reinventando Freire: A práxis do Instituto Paulo Freire. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2019.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GROSSI, Márcia Gorett Ribeiro. Usar tecnologias digitais nas aulas remotas durante a pandemia da COVID-19? Sim, mas quais e como usar? Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 24, p. 1-12, 2021. Disponível em: <https://revistas2.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/15879>. Acesso em: 22 jun. 2021.

HEINSFELD, Bruna Damiana; PISCHETOLA, Magda. Cultura digital e educação, uma leitura dos estudos culturais sobre os desafios da contemporaneidade. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, n. esp. 2, p. 1349-1371, ago. 2017.

HOBBS, Renee; JENSEN, Amy. The Past, Present, and Future of Media Literacy Education. Journal of Media Literacy Education, v. 1. n. 1, p. 1-11, 2009. Disponível em: <https://digitalcommons.uri.edu/jmle/vol1/iss1/1/>. Acesso em: 23 set. 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD Contínua 2018 - Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101705_informativo.pdf>. Acesso em: 22 set. 2020.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: 34, 1999.

MANDELLI, Mariana. Sociedade conectada tem novas práticas de ensinar e aprender. 2019. Disponível em: <https://educamidia.org.br/sociedade-conectada-tem-novas-praticas-de-ensinar-e-aprender/>. Acesso em 14 jun. 2021.

MATOS, Morgana Aparecida de. Cultura digital e o cotidiano escolar: a elaboração de textos em inglês e a utilização de recursos tecnológicos para a aquisição do conhecimento de língua estrangeira. 2016. 40f. Monografia (Especialização em Educação na Cultura Digital) - Programa de Especialização da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

MORAN, José. Metodologias ativas e modelos híbridos na educação. In: YAEGASHI, Solange e outros. (Orgs.). Novas Tecnologias Digitais: Reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. CRV, p. 23-35, 2017, Curitiba. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2018/03/Metodologias_Ativas.pdf>. Acesso em: 22 set. 2020.

MURPHY, Gillian; LOFTUS, Elizabeth F.; GRADY, Rebecca Hofstein. False Memories for Fake News During Ireland’s Abortion Referendum. 2019. Disponível em: <https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0956797619864887 >. Acesso em: 27 mar. 2021.

OPAS. Organização Pan-Americana da Saúde. Entenda a infodemia e a desinformação na luta contra a COVID-19. 2020. Disponível em: <https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52054/Factsheet-Infodemic_por.pdf?sequence=14>. Acesso em: 23 set. 2020.

OXFORD DICTIONARIES. Word of the Year 2016. 2016. Disponível em: https://en.oxforddictionaries.com/word-of-the-year/word-of-the-year-2016. Acesso em: 22 fev. 2021.

SOARES, Ismar de Oliveira. Educomunicação: o conceito, o profissional, a aplicação: contribuições para a reforma do Ensino Médio. São Paulo: Paulinas, 2011.

SORJ, Bernardo. NOUJAIM, Alice. Corações e mentes: Pensando de forma autônoma fora e dentro da internet. 2021. Disponível em: <https://www.coracoesementes.org.br/download/Coracoes_e_Mentes_completo.pdf>. Acesso em: 30 mar. 2021.

UNESCO. Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura. Comunication and informmation. 2017. Disponível Em: <http://www.unesco.org/new/en/communication-and-information/capacity-building-tools/media-and-information-literacy/>. Acesso em: 25 set. 2020.

VATTINO, Edoardo Fillipo de Queiroz. Humanidade posta à prova. Revista Ser médico, São Paulo, n. 90, Ano XXI, jan./mar. 2020.

ZAROCOSTAS, John. How to fight an infodemic. The Lancet, v. 395, n. 10.225, p. 676, 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-22