A expansão da educação infantil nas políticas públicas e o direito à educação de qualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36311/2236-5192.2021.v22nEdição%20Especial.p91

Palavras-chave:

Políticas Educacionais, Educação Infantil, Qualidade

Resumo

Este artigo discute as políticas educacionais de expansão da educação infantil com qualidade e analisa o cenário atual da oferta desta etapa educacional. Apoia-se em pesquisa bibliográfica; nos argumentos teóricos de Kuhlmann Júnior (1998, 2000), Rosemberg (2002, 2003), Campos (2002) e Kramer (1995, 2006) - entre outros - e usa como metodologia o ciclo de políticas de Ball &Bowe (1992) e Ball (1994), à luz dos estudos de Mainardes (2006). As análises evidenciam que as matrículas nas instituições de educação infantil aumentaram e mesmo sem atingir a meta de universalização da pré-escola conforme o proposto pelo PNE (2014-2014) com prazo bastante curto, a questão da qualidade na educação infantil começa a aparecer como um fator importante para a concretização do direito à educação e evidencia um grande desafio às políticas educacionais.

Recebido em: 08/08/2020.
Aprovado em: 23/11/2020.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Jardim Paes Leme de Mesquita, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR); Bolsista CAPES; Graduada em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUCMG). Participa do grupo de Pesquisa: Políticas Educacionais: Concepções e Práticas (PUCPR).

Maria Lourdes Gisi, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doutorado em Educação Brasileira pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e Pós-Doutorado pela Universidade de Genebra; Professora titular da Pontifícia Universidade do Paraná (PUCPR); Coordena o Grupo de Pesquisa: Políticas Educacionais: Concepções e Práticas (PUCPR).

Referências

AGÊNCIA SENADO. Senadores cobram votação imediata do novo Fundeb. Senado Notícias, Brasília, DF, 23 de julho de 2020. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/07/23/senadores-cobram-votacao-imediata-do -novo-fundeb. Acesso em: 24 jul. 2020.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF:Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 53, de 19 de dezembro de 2006. Dá nova redação aos arts. 7º, 23, 30, 206, 208, 211 e 212da Constituição Federal e ao art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Brasília, DF: Presidência da República, 2006. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Emendas/Emc/emc53.htm. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua.Informativo Educação, 2018a. Rio de Janeiro, 2019. ISBN:9788524044953. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101657_informativo.pdfAcesso em: 08 nov.2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da Educação Básica 2019: Resumo Técnico. Brasília, DF: Inep,2020. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/documents/186968/0/Resumo+T%C3%A9cnico+%28vers%C3%A3o+preliminar%29+-+Censo+da+Educa%C3%A7%C3%A3o+B%C3%A1sica+2019/73e6de67-2be3-413f-9e4c-90c424d27d96?version=1.0. Acesso em:18 mar.2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. Brasília, DF: Inep,2015. 404p.: il.ISBN 978-85-7863-046-1.

BRASIL. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Brasília, 11 de agosto de 1971; 150º da Independência e 83º da República. Disponível em:https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1970-1979/lei-5692-11-agosto-1971-357752-publicacaooriginal-1-pl.html.Acesso em: 06 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília,DF: Presidência da República,1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Lei nº11. 494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb, de que trata o art.60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a Lei nº 10.195, de 14 de fevereiro de2001; revoga dispositivos das Leis nº 9.424, de 24 de dezembro de 1996, nº 10.880, de 9 de junho de 2004, e nº 10.845, de 5 de março de 2004; e dá outras providências.Brasília,DF: Presidência da República 2007a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11494.htm.Acesso em: 02 maio 2020.

BRASIL. Lei nº 12.796, de 04 de abril de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2013. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12796.htm#:~:text=LEI%20N%C2%BA%2012.796%2C%20DE%204%20DE%20ABRIL%20DE%202013.&text=Altera%20a%20Lei%20n%C2%BA%209.394,educa%C3%A7%C3%A3o%20e%20dar%20outras%20provid%C3%AAncias.Acesso em: 20 maio 2020.

BRASIL. Lei n° 13.005, de 25 de junho de 2014.Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm.Acesso em:18 mar.2020.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Básica – SEB. Parâmetros Nacionais de Qualidade da Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2018b. 80p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=141451-public-mec-web-isbn-2019-003&category_slug=2020&Itemid=30192. Acesso em: 01 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 1, de 11 de dezembro de 2019. Aprova as ponderações aplicáveis entre diferentes etapas, modalidades e tipos de ensino da educação básica, para vigência no exercício de 2020. Diário Oficial da União. Brasília,12 dez.2019a.
Disponível em:http://www.in.gov.br/web/dou/-/resolucao-n-1-de-11-de-dezembro-de-2019-232942143. Acesso em: 28 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 4, de 13 de julho de 2010. Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para Educação Básica, Brasília, 2010a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_10.pdf. Acesso em: 09 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, Brasília, 2009a. Disponível em: http://www.seduc.ro.gov.br/portal/legislacao/RESCNE005_2009.pdf.Acesso em: 08 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer nº 3, de 26 de março de 2019.Reexame do Parecer CNE/CEB nº 8/2010, que estabelece normas para aplicação do inciso IX do artigo 4º da Lei nº 9.394/96 (LDB), que trata dos padrões mínimosde qualidade de ensino para a Educação Básica pública, Brasília, 2019b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download alias=5063-parecercne-seb8-2010&Itemid=30192. Acesso em: 29 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer nº 7, de 7 de abril de 2010. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica, Brasília, 2010b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=5367-pceb007-10&category_slug=maio-2010-pdf&Itemid=30192.Acesso em: 08 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer nº 8, de 5 de maio de 2010.Estabelece normas para aplicação do inciso IX do artigo 4º da Lei nº9.394/96(LDB), que trata dos padrões mínimos de qualidade de ensino para a Educação Básica pública, Brasília, 2010c. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=5063-parecercne-seb8-2010&Itemid=30192.Acesso em: 26 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Parecer nº 20, de 11 de novembro de 2009. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, Brasília, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/pceb020_09.pdf.Acesso em: 08 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/#introducao#os-fundamentos-pedagogicos-da-bncc. Acesso em: 16 mar.2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2009b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9769-diretrizescurriculares-2012&category_slug=janeiro-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 23 jun.2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental.Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil.Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.: il. Volume 1: Introdução. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf.
Acesso em: 23 jun. 2020.

BRASIL. Portaria Normativa nº41, de 27 de dezembro de 2007. Divulga a especificação das ponderações entre diferentes etapas, modalidades e estabelecimentos de ensino, a serem seguidas em 2008, no âmbito do Fundeb. [2007b]. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/index.php/acessoainformacao/institucional/legislacao/item/3662-portaria-normativa-n%C2%BA-41 de-27-de-dezembro-de-2007.Acesso em: 28 maio 2020.

CAMPOS, Maria Malta. A legislação, as políticas nacionais para a educação infantil e a realidade: encontros e desencontros. In: MACHADO, Maria Lucia A. Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002. 303 p.

GUIMARÃES, José Luiz. O financiamento da educação infantil: quem paga a conta? In: MACHADO, Maria Lucia A. Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002. 303 p.

KRAMER, Sonia. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96 - Especial, p. 797-818, out. 2006. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 26 abril 2020.

KRAMER, Sonia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 5. ed. São Paulo: Cortez, 1995. 140 p.

KUHLMANN JÚNIOR, Moysés. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998. 210 p.

KUHLMANN JÚNIOR, Moysés. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação, n. 14, p. 5-18, mai./jun./jul./ago, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n14/n14a02.pdf. Acesso em: 11 maio 2020

MAINARDES, Jefferson. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade,Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em: 16 julho 2020.

MEDEIROS, Marcelo. A trajetória do Welfare State no Brasil: papel redistributivo das políticas sociais dos anos de 1930 aos anos de 1990. Instituto de Pesquisa Econômica aplicada –IPEA, Brasília, 2001.
OLIVEIRA, Zilma Ramos. O trabalho do professor na educação infantil. 3. ed. São Paulo: Biruta, 2019. 376p.

ROSEMBERG, Fúlvia. Organizações multilaterais, estado e políticas de educação infantil.Cadernos de Pesquisa, n. 115, p. 25-63, março. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/n115/a02n115.pdf. Acesso em: 02 julho 2020.

ROSEMBERG, Fúlvia. Panorama da Educação Infantil brasileira contemporânea. In: Simpósio Educação Infantil: construindo o presente. Brasília, de 23 a 25 de abril de 2002. Anais[...].Brasília: Unesco Brasil, 2003. 260p. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ue000311.pdf. Acesso em: 02 julho 2020.

Downloads

Publicado

2021-02-12

Edição

Seção

Artigos