Psicologia na escola

a violação dos direitos humanos e a construção da subjetividade no contexto escolar

Autores

  • Merie Bitar Moukachar Universidade do Estado de Minas Gerais/Faculdade de Educação - Belo Horizonte
  • Thais Alves de Paula Centro Universitário UNA de Belo Horizonte https://orcid.org/0000-0002-8478-3668

DOI:

https://doi.org/10.36311/2236-5192.2021.v22nEdição%20Especial.p127

Palavras-chave:

Direitos Humanos, Escola, Subjetividade

Resumo

Este artigo é resultado de uma pesquisa cujo tema central foi a violação dos direitos humanos e a construção da subjetividade no contexto escolar considerando a contribuição da Psicologia. O objetivo geral da pesquisa foi compreender como o exercício desses direitos influencia na construção da subjetividade nas escolas e o papel da Psicologia nesse contexto. Desenvolveu-se uma pesquisa bibliográfica e foram consultados livros, monografias e artigos sobre o tema, na perspectiva da Psicologia Sócio histórica, tomando Vygotsky como referência central. Como resultados, vimos que a subjetividade se constitui a partir do contexto material, político, econômico, histórico e social. A escola foi o recorte para a investigação, por ser aqui compreendida como um espaço sociocultural que cumpre também uma função social e de transformação dos sujeitos. Identificamos os direitos das crianças e adolescentes a partir da legislação brasileira e constatamos que seu exercício ou violação pode ocasionar efeitos na construção da subjetividade. Assim, destacamos a importância do profissional da Psicologia nas escolas e nas Políticas Públicas de Educação, considerando seu papel e compromisso social, com a população brasileira menos favorecida e com a garantia do exercício dos direitos humanos no ambiente escolar.

Recebido em: 06/10/2020.
Aprovado em: 25/11/2020.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Merie Bitar Moukachar, Universidade do Estado de Minas Gerais/Faculdade de Educação - Belo Horizonte

Doutorado em Educação (UFMG, 2013) e Pós-Doutorado, com projeto aprovado pela Fapemig e vinculado ao curso de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais (2014-2015); professora com cargo efetivo na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG).

Thais Alves de Paula, Centro Universitário UNA de Belo Horizonte

Possui graduação em Psicologia pelo Centro Universitário UNA (2019); atualmente, atua em área clínica como psicoterapeuta.

Referências

ABRAMOVAY, Miriam; RUA, Maria das Graças. Violência nas Escolas. Versão Resumida. Brasília: UNESCO Brasil, REDE PITÁGORAS, Coordenação DST/AIDS do Ministério da Saúde, a Secretaria do Estado dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, CNPq, Instituto Ayrton Senna, UNAIDS, Banco Mundial, USAID, Fundação Ford, CONSED, UNDIME, 2002.

BOCK, Ana Mercês Bahia. Psicologia e Compromisso Social. São Paulo: Editora Cortez, 2003.

BOCK, Ana Mercês Bahia; FURTADO, Odair; TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia. 10ª edição. São Paulo: Saraiva, 2008.

BOCK, Ana Mercês Bahia; GONÇALVES, Maria da Graça Marchina; FURTADO, Odair. Psicologia Sócio-Histórica: Uma visão crítica em Psicologia. 3ª edição. São Paulo: Cortez, 2007.

BRANCO, Maria Tereza Castelo. Que Profissional Queremos Formar? Psicologia Ciência e Profissão. Brasília, n. 3, p. 28-35, vol 18, 1998. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1414-989319980003&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 28 de março de 2020.

BRASIL. Lei no 8.069. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Brasília, DF, julho de 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm#art266>. Acesso em: 20 de abril de 2020.

BRASIL. Lei 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. (LDBEN). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1996 Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf>.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/2191-plano-nacional-pdf/file>. Acesso em: 30 de outubro de 2019.

CHAUÍ, Marilena. Um Convite a Filosofia. 1ª edição. São Paulo: Editora Ática, 2000.

COIMBRA, C. As Funções da Instituição Escolar: Análise e Reflexões. Psicologia: Ciência e Profissão. Brasília, v. 9, n. 3, p. 14-16, 1989.

Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931989000300006>. Acesso em: 06 de nov de 2019.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA (CRP-MG) e COMISSÃO DE PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL (orgs). Práticas e Pesquisas em Psicologia e Educação: Experiências em Minas Gerais. Belo Horizonte: CRP 04, 2017. Disponível em: <https://crp04.org.br/crp-mg-publica-livro-digital-sobre-praticas-em-psicologia-e-educacao/>. Acesso em: 09 de abr de 2020.

DAYRELL, Juarez. A escola como espaço sociocultural. In: DAYRELL, Juarez (org.) Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. Assembleia Geral das Nações Unidas. Paris, 10 dezembro de 1948. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/direitoshumanos/declaracao/>. Acesso em: 27 de abr de 2020.

FERNANDES, A. & PALUDETO, M. Educação em Direitos Humanos: desafios para a escola contemporânea. Caderno Cedes, Campinas, vol. 30, n. 81, p. 233-249, mai-ago. 2010. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 30 de out de 2019.

MAIA, Ana Paula et al. A Escola na Rede de Proteção dos Direitos de Crianças e Adolescentes: guia de referência. São Paulo: Ação Educativa, 2018.

MARTINEZ, Albertina Mitjáns (org). Psicologia Escolar e Compromisso Social. 3ª edição. Campinas, SP: Editora Alínea, 2015.

MOLON, S. Notas Sobre Constituição Do Sujeito, Subjetividade e Linguagem. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 16, n. 4, p. 613-622, out./dez. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pe/v16n4/a12v16n4.pdf>. Acesso em: 08 de jun de 2019.

OLIVEIRA, Fernanda Morais de. Tendências Pedagógicas Progressistas Brasileiras: Concepções e Práticas. Dissertação (Mestrado em Estudos profissionais especializados em Educação: Especialização em Administração das Organizações Educativas). Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Educação (ESE), Porto, Portugal, 2017. Disponível em: <https://recipp.ipp.pt/bitstream/10400.22/10743/1/DM_FernandaOliveira_2017.pdf>. Acesso em: 08 de abr de 2020.

SANTANA, Ruth Bernardes de. Interface entre a Psicologia Social e a Educação Infantil: as contribuições do interacionismo de G. H. Mead. In: GUERRA, Andrea M. C.; KIND, Luciana; AFONSO, Lucia; PRADO, Marco Aurélio M. (orgs). Psicologia Social e Direitos Humanos. ABRAPSO-MG, Programa de Pos-Graduação em Psicologia/UFMG. Belo Horizonte: Edições do Campo Social, 2003.

SANTOS, Roberto Ferreira dos. Tendências Pedagógicas: o que são e para que servem. Educação Pública. Publicado em 17 de abril de 2012. Disponível em: <http://www.educacaopublica.rj.gov.br/biblioteca/educacao/0327.html>. Acesso em: 08 de abr de 2020.

VIGOTSKY, Lev Semionovich. Psicologia Pedagógica. 3ª edição. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes Ltda, 2010.

VIGOTSKY, Lev Semionovich. Teoria Social da Mente. 6ª edição. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1998

Downloads

Publicado

2021-02-12

Edição

Seção

Artigos