CAROL GILLIGAN E A ÉTICA DO CUIDADO NA PRODUÇÃO DE PESQUISA EM PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO MORAL DE TRÊS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (2008-2019)

Palavras-chave: Psicologia do Desenvolvimento Moral, Desenvolvimento Moral, Carol Gilligan, Ética do Cuidado

Resumo

Trata-se da apresentação de resultados parciais de uma pesquisa concluída financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e dos primeiros resultados de um Programa de Pesquisa, em andamento, culminado a partir dela. Objetiva-se conhecer o estado atual das ideias de Carol Gilligan sobre o desenvolvimento moral das mulheres e de sua proposta de Ética do Cuidado na produção de pesquisa em Psicologia do Desenvolvimento Moral no Brasil, com recorte ao contexto paulista da produção. Analisou-se a produção de teses de doutorado e dissertações de mestrado provenientes de Programas de Pós-Graduação stricto sensu. Por meio de buscas na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) a partir dos descritores “Carol Gilligan” e “Ética do cuidado”, sem delimitação temporal, foram encontrados 45 trabalhos, 38 dissertações e 07 teses, mas, considerando-se apenas pesquisas que tinham o desenvolvimento moral como tema de pesquisa, restaram apenas cinco, 03 dissertações e 02 teses. Devido a essa escassez, buscou-se mapear e analisar as produções de três Programas de Pós-Graduação em Educação vinculados a três diferentes Universidades públicas paulistas, em que parte de suas produções volta-se para o campo da Psicologia do Desenvolvimento Moral em intersecção com a Educação. No período delimitado de 2008-2019, foram encontrados 70 trabalhos, 41 dissertações e 29 teses, sendo 18 dissertações e 07 teses do apenas 06 dissertações e 09 teses citam Gilligan, limitando-se, quase em sua totalidade, a referi-la como uma crítica à teoria de Lawrence Kohlberg e sem maiores aprofundamentos em seu trabalho. Programa A, 10 dissertações e 10 teses do Programa B e 13 dissertações e 12 teses do Programa C, todas com o desenvolvimento moral como tema de pesquisa. Após a leitura de seu conteúdo, observou-se que são predominantemente fundamentados pelas teorias piagetiana e kohlberguiana. Dessas pesquisas,

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith. A “revisão bibliográfica” em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis – o retorno. In: BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto (Orgs.). A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação e escrita de teses e dissertações. 2. ed. Florianópolis: Editora da UFSC; São Paulo: Cortez, 2006. p. 25-41.

ARANTES, Valéria Amorim. Afetividade, cognição e moralidade na perspectiva dos modelos organizadores do pensamento. In: ARANTES, Valéria Arantes; AQUINO, Julio Groppa (Org.). Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 2003. p. 109-128.

ARANTES, Valéria Amorim. Cognição, afetividade e moralidade. São Paulo, Educação e Pesquisa, v. 26, n. 2, p. 136-156, 2000.

ARAUJO, Ulisses Ferreira. Conto de escola. São Paulo: Moderna, 1999.

BATAGLIA, Patrícia Unger Raphael; MORAIS, Alessandra de; LEPRE, Rita Melissa. A teoria de Kohlberg sobre o desenvolvimento do raciocínio moral e os instrumentos de avaliação de juízo e competência moral em uso no Brasil. Estud. psicol., Natal, v. 15, n. 1, p. 25-32, jan./abr., 2010.

BENHABIB, Seyla. Situating the self: gender, community and postmodernism in contemporary ethics. New York: Routlege, 1992.

BIAGGIO, Ângela Maria Brasil. Psicologia do desenvolvimento. 19. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

CAMPBELL, Robert L.; CHRISTOPHER, John Chambers. Moral development theory: a critique of its Kantian presuppositions. Developmental Review, v. 16, p. 1-47, 1996.

CARRACEDO, José Rubio. Educación moral, post modernidad y democracia: más allá del liberalismo y del comunitarismo. Madrid: Editorial Trotta, 2000.

CHODOROW, Nancy. Psicanálise da maternidade: uma crítica de Freud a partir da mulher. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1990.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 79, ago., p. 257-272, 2002.

FINI, Lucila Diehl Tolaine. Análise do desenvolvimento moral em Kohlberg. 1979. 98 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação (FE), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, 1979.

FLANAGAN, Owen. Varieties of moral personality: ethics and psychological realism. Cambridge: Harvard University Press, 1993.

GILLIGAN, Carol. Hearing the difference: theorizing connection. Anuario de Psicología, v. 34, n. 2, p. 155-161, 1995/2003.

GILLIGAN, Carol. In a different voice: women’s conceptions of self and of morality. Harvard Educational Review, v. 47, n. 4, p. 481-517, nov., 1977.

GILLIGAN, Carol. Looking back to look forward: revisiting in a different voice. Classics@, Issue 9, online, 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2019.

GILLIGAN, Carol. Mapping the moral domain. Cambridge: Harvard University Press, 1988.

GILLIGAN, Carol. Moral orientation and moral development. In: KITTAY, Eva Feder; MEYERS, Diana T. Women and moral theory. New Jersey: Rowmand and Littlefield, 1987.

GILLIGAN, Carol. Remembering Larry. Journal of Moral Education, v. 27, n. 2, p. 125-140, 1998.

GILLIGAN, Carol. Responses to temptation: an analysis of motives. Tese (Doutorado em Psicologia Social) – Universidade de Harvard, Cambridge, 1964.

GILLIGAN, Carol. Uma voz diferente: psicologia da diferença entre homens e mulheres da infância à idade adulta. Trad. Nathanael C. Caixeiro. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1982.

GILLIGAN, Carol; ATTANUCCI, Jane. Two moral orientations: gender differences and similarities. Merrill-Palmer Quarterly, Detroit, v. 34, n. 3, p. 223-237, jul., 1988.

GILLIGAN, Carol; WIGGINS, Grant. The origins of morality in early childhood relationships. In: KAGAN, Jerome; LAMB, Sharon (Orgs.). The emergence of morality in young chidren. Chicago: University of Chicago Press, 1987.

HERRERO, Mónica Timón; SASTRE, Genoveva. Los sentimientos en el ámbito de la moral. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 219-234, 2003.

HISSAMURA, Isabella; HISSAMURA, Paula; BERNUCI, Marcelo Picinin; MASSUDA, Ely Mitie. Estado da arte da produção científica brasileira sobre saúde mental do idoso: uma revisão sistemática de literatura. Revista Kairós – Gerontologia, São Paulo, v. 20, n. 4, p. 263-277, 2017.

KOHLBERG, Lawrence. Essays on moral development: vol. II. The psychology of moral development: the nature and validity of moral stages. San Francisco: Harper & Row, 1984.

KOHLBERG, Lawrence. Psicologia del desarrollo moral. Bilbao, Espanha: Editorial Desclée de Brower, 1992.

KOHLBERG, Lawrence. The development of modes of moral thinking and choice in the years 10 to 16. 1958. 491 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade de Chicago, Chicago, 1958.

KOHLBERG, Lawrence; GILLIGAN, Carol. The adolescent as a philosopher: the discovery of the self in a postconventional world. Daedalus, v. 100, n. 4, p. 1051-1086, fall, 1971.

KUHNEN, Tânia A. A ética do cuidado como alternativa à ética de princípios: divergências entre Carol Gilligan e Nel Noddings. ethic@, Florianópolis, v. 9, n. 3 p. 155-168, set., 2010.

LA TAILLE, Yves de. Desenvolvimento humano: contribuições da psicologia moral. Psicologia USP, São Paulo, v. 18, n. 1, 11-36, 2007.

LA TAILLE, Yves de. Moral e ética: dimensões intelectuais e afetivas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

LA TAILLE, Yves de. Para um estudo psicológico das virtudes morais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 109-121, 2000.

LEMOS DE SOUZA, Leonardo. Epistemes feministas e a psicologia do desenvolvimento: percursos na pesquisa sobre gêneros, sexualidades e juventudes. 2017. 144 f. Tese (Livre-Docência em Psicologia do Desenvolvimento) – Faculdade de Ciências e Letras (FCL), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Assis, 2017.

LEMOS DE SOUZA, Leonardo. Epistemes feministas na produção da Psicologia do Desenvolvimento: o gênero como dispositivo de problematização dos processos de mudança. Projeto de pesquisa. Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), São Paulo, Processo n.º 17/06531-9, 2018.

LEMOS DE SOUZA, Leonardo; VASCONCELOS, Mario Sergio. Juízo e ação moral: desafios teóricos em psicologia. Psicologia & Sociedade, Florianópolis, v. 21, n. 3, p. 343-352, 2009.

MONTENEGRO, Thereza. Diferenças de gênero e desenvolvimento moral das mulheres. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 11, n. 2, p. 493-508, jul./dez., 2003.

NODDINGS, Nell. O cuidado: uma abordagem feminina à ética e educação moral. São Leopoldo: Usininos, 2003.
NOGUEIRA, Conceição. Interseccionalidade e psicologia feminista. Salvador: Devires, 2017.

PIAGET, Jean. O juízo moral na criança. Trad. Elzon Lenardon. São Paulo: Summus, 1994.

ROMANOWSKI, Joana Paulin; ENS, Romilda Teodora. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educ., Curitiba, v. 6, n.19, p.37-50, set./dez. 2006.

SILVA, Matheus Estevão Ferreira da; BRABO, Tânia Suely Antonelli Marcelino; MORAIS, Alessandra de. Educação em direitos humanos e desenvolvimento moral na formação docente: a influência da religiosidade em tempos de “ideologia de gênero”. Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 21, n. esp. 2, p. 1260-
1282, nov., 2017.

SILVA, Nelson Pedro. Entre o público e o privado: um estudo sobre a fidelidade à palavra empenhada. 2002. Tese (Doutorado em Psicologia) – Instituto de Psicologia (IP), Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2002.

SKOE, Eva E. A. Measuring care-based moral development: The Ethic of Care Interview. Behavioral Development Bulletin, v. 19, n. 3, p. 95-104, 2014.

SNAREY, John. Cross-cultural universality of socio-moral development: a critical review of kohlbergian research. Psychological Bulletin, v. 97, n. 2, p. 202-232, 1985.

TELO, César; MAINARDES, Jefferson. Revisitando o enfoque das epistemologias da política educacional. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 10, n. 1, p. 153-178, jan./jun., 2015.

TRONTO, Joan C. Care ethics: moving foward. Hypatia, v. 14, v. 1, Winter, p. 112-119, 1999.

VILARRASA, Genoveva Sastre; MARIMON, Montserrat Moreno. Nuevas perspectivas sobre el razonamiento moral. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 26, n. 2, p. 123-135, jul./dez., 2000.

ZHAO, Shanyang. Metatheory, metamethod, meta-data-analysis: what, why, and how?. Sociological perspectives, v. 34, n. 3, p. 377-390, 1991.
Publicado
2020-08-06
Seção
Artigos