Imperialismo, formação econômica russa e Revolução de 1917

  • Fábio Antonio de Campos Coordenador da Pós-Graduação em História Econômica e professor do Instituto de Economia da Unicamp.
Palavras-chave: imperialismo, Rússia, formação econômica

Resumo

O objetivo deste artigo é mostrar como a combinação entre o imperialismo no limiar do século XX e a particularidade da formação econômica russa determinou a Revolução de 1917. Para tanto, o artigo se apoia na tese de “desenvolvimento desigual e combinado” de Lênin e Trotsky e sua relação com os principais fatos históricos que compõem temas como: industrialização, capital internacional, questão agrária e guerra. Nossa conclusão é de que a Revolução de 1917 se apresenta ao mesmo tempo como uma fratura no modo de produção capitalista, impondo-se como marco mundial que influi sobre outros espaços capitalistas, e a especificidade de um caso de economia dependente cujo enfrentamento de suas contradições criou um experimento social inovador contra o capitalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-06-30