DJANGO LIVRE

Luiz Bernardo PERICÁS

Resumo


O artigo faz uma análise crítica do filme “Django Livre” de Quentin Tarantino, ressaltando seu resultado insatisfatório e, segundo diversos críticos, um filme racista. O autor defende que o que Tarantino provavelmente chama de “homage”, de tributo, pode ser visto como “cópia”. O filme seria uma reprodução que fica apenas na superfície e nos aspectos essencialmente estéticos, destituindo sua obra de qualquer profundidade ou sofisticação em termos de enredo e mensagem.

Texto completo:

PDF