Programa Escola sem Partido: despolitização radical e redirecionamento ideológico na Educação Pública

  • Leonardo Dorneles Gonçalves Universidade Federal do Rio Grande - FURG
  • Ricardo Gonçalves Severo Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Palavras-chave: Escola Sem Partido, Educação Pública, Ideologia

Resumo

Analisamos o programa Escola Sem Partido considerando suas características históricas, fundamentos e proposições. Explicitar os princípios ideológicos do programa, ao contrário do discurso de neutralidade proferido por seus principais representantes, e alertar para as consequências ao caráter público da educação brasileira constituem-se como objetivos deste texto. Considerando os trabalhos de Fernandes (1976), Iasi (2011), Marenco (2014), Singer (2012), entre outros, o trabalho foi produzido a partir de palestras e conferências de seus autores para estudantes e professores junto a escolas e universidades no Sul do Brasil. Entendemos que o programa Escola Sem Partido, a despeito da retórica em prol da neutralidade política e científica, guarda relações com orientações conservadoras, religiosas e de grupos sociais ligados a partidos que, no espectro político brasileiro, se situam à direita. Por isso, sua atuação tem posição ideológica clara e explícita no combate aos postulados que sustentam a democracia, o acesso ao amplo conhecimento científico, atingindo as possibilidades da formação humana de crianças e jovens nas escolas públicas brasileiras.

Recebido em: 12/11/2017.
Aprovado em: 13/06/2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Dorneles Gonçalves, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Doutor em Educação. (UFPEL). Docente do Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Ricardo Gonçalves Severo, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Doutor em Sociologia. (PUCRS) Docente do Instituto de Ciencias Humanas e da Informação da Universidade Federal do Rio Grande - FURG
Publicado
2019-06-28
Seção
Artigos