[1]
H. Santiago, “O Compêndio de Gramática Hebraica de Espinosa é uma obra more geometrico demonstrata?”, Trans/Form/Ação, vol. 36, nº 2, p. 23–44, jul. 2013.