https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/issue/feed Brazilian Journal of Information Science 2020-09-25T14:10:14-03:00 Helen de Castro S. Casarin brajis.marilia@unesp.br Open Journal Systems <p>O Brazilian Journal of Information Science: Research Trends (BRAJIS) - ISSN 1981-1640 -&nbsp; é uma revista científica de acesso aberto com periodicidade trimestral, publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"- UNESP, campus de Marília-SP.&nbsp;&nbsp;Tem como público-alvo pesquisadores, professores, profissionais e estudantes da Ciência da Informação e suas subáreas.&nbsp;</p> <p>O Brazilian Journal of Information Science: research trends (BRAJIS) iniciou sua publicação com o v.0, n.0, de junho/dezembro de 2006.&nbsp;</p> <p>Os textos submetidos para publicação devem ser textos originais, no formato de artigo contendo resultados de pesquisa científica na área de Ciência da Informação, incluindo Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia. O texto pode estar escrito em português, inglês ou espanhol.&nbsp;</p> <p>A revista possui uma política de avaliação no sistema "blind review", e cada texto será encaminhado para avaliação por pelo menos dois <em>referees</em>.</p> <p>BRAJIS adota o modelo de acesso aberto, não há cobrança de taxas de submissão ou avaliação (APC).</p> <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license"><img src="https://revistas.marilia.unesp.br/public/site/images/adm/88x31.png" alt="Creative Commons License"></a><br>Os artigos são licenciados sob&nbsp; <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license">Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License</a>.&nbsp;</p> https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/10171 Criação de conhecimento em acordos de cooperação internacionais com uso e geração de dados abertos 2020-09-25T14:04:47-03:00 Ana Carolina Benelli carolbenelli@hotmail.com Faimara do Rocio Strauhs faimara@utfpr.edu.br <p>As cooperações interorganizacionais podem proporcionar um espaço interativo para a criação do conhecimento por meio de relações entre atores como universidades, empresas e governos. À troca de dados e de informação dessas relações é conferida importante contribuição para a convergência em um ambiente de cooperação organizacional efetivo à ampliação do conhecimento. Esse estudo tem o objetivo de mapear o processo de criação de conhecimento e seus resultados, especialmente, aqueles com o uso e a geração de dados abertos que possam contribuir para o desenvolvimento de cidades. Trata-se de uma pesquisa aplicada, de campo, com caso de estudo a partir dos resultados gerados em acordos de cooperação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) realizados entre dezembro/2017 a dezembro/2018. Utilizou-se de entrevistas semiestruturadas e de pesquisa documental, suportadas pela Análise de Conteúdo como método principal, configurando-se esta como uma pesquisa fundamentalmente qualitativa. Os principais resultados apontam para o mapeamento de evidências da criação do conhecimento, segundo modelos clássicos, nos acordos de cooperação estudados. Além de um descritivo dos ambientes de conhecimento e de cooperação dos acordos estudados, uma síntese quantitativa dos documentos dos acordos de cooperação; um <em>framework</em> e um fluxo de documentos proposto para ações cooperativas interorganizacionais.</p> 2020-09-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Ana Carolina Benelli, Faimara do Rocio Strauhs https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/9987 Arquivo paradigmático 2020-09-25T14:04:46-03:00 Taiguara Villela Aldabalde taiguara.aldabalde@ufes.br Rodrigo Lastra Cid rodrigorlcid@unifap.br <p>Este artigo objetiva apresentar as propriedades universais dos Arquivos, pensados como instituição arquivística, a partir de uma reflexão filosófica a priori, estabelecer fundamentos para determinar a gradação dessas propriedades – e seu nível máximo no Arquivo Paradigmático – e confirmar essas propriedades a partir das formas observadas no Arquivo Geral das Índias, que as exibe em certo grau. Com isso, almeja-se construir um modelo para os Arquivos, determinando como eles devem ser. A abordagem interdisciplinar, entre ontologia e arquivologia, foi adotada, integrando o método de reflexão filosófica aos procedimentos de pesquisa documental, com base em peças de fundos do Arquivo Geral das Índias, coleção pessoal de imagens fotográficas do autor e fontes. A discussão aborda aspectos de práticas, formas e funções, que indicam a essência dos Arquivos e seu caminho para a sua idealidade paradigmática. O Arquivo Geral das Índias é apresentado como um particular que exemplifica essas propriedades essenciais. Nossa conclusão é que há certas propriedades universais essenciais dos Arquivos, ou instituições arquivísticas, que são: a acessibilidade, a durabilidade e a praticabilidade. Somado a isso, o modelo proposto é aplicável para a institucionalização de Arquivos e também para a construção, as reformas, as implantações, a criação de novos espaços, as adaptações, as reestruturações em edifícios e usos institucionais dos espaços do Arquivo.</p> 2020-09-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Taiguara Villela Aldabalde, Rodrigo Lastra Cid https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/10528 Convergências e divergências entre a Diplomática Digital e a Ciência Forense Digital 2020-09-25T14:10:14-03:00 Raquel Torrão Valentim raquel_valentim@id.uff.br Natalia Bolfarini Tognoli nataliatognoli@id.uff.br <p>Fundamentando-se em recentes discussões no âmbito dos estudos arquivísticos acerca do aporte teórico-metodológico da Diplomática na criação, manutenção e preservação de documentos arquivísticos digitais autênticos, o que se convencionou denominar de Diplomática Digital, o presente artigo busca contribuir para os estudos dos documentos arquivísticos digitais ao propor uma análise conjunta à também emergente Ciência Forense Digital. A pesquisa constitui-se de uma sistematização dos conceitos, definições e, sobretudo, de projetos existentes sobre a Diplomática Digital comparando-a com a Ciência Forense Digital. Para tanto, foi realizou-se uma análise da literatura científica da área encontrada em bases de dados internacionais, dos conceitos, definições e, sobretudo, de projetos existentes sobre a Diplomática Digital comparando-a com a Ciência Forense Digital, a fim de delimitar os aspectos que as unem e os que as separam no tocante à análise da autenticidade de documentos digitais. Os resultados demonstram que as áreas convergem no tocante ao uso de ferramentas, na compreensão do contexto jurídico no qual os documentos estão inseridos, na busca por identificar de forma imparcial o contexto de seus objetos digitais, na aplicação de conceitos e métodos semelhantes e na capacidade que seus profissionais possuem de atestar a integridade, autenticidade e confiabilidade de objetos digitais em audiência jurídica.</p> 2020-09-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Raquel Torrão Valentim, Natalia Bolfarini Tognoli https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/10979 Editorial 2020-09-25T14:04:47-03:00 Editor BRAJIS brajis.marilia@unesp.br <p>Editorial do&nbsp;quarto número de 2020</p> 2020-09-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Helen de C. S. Casarin