1
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
DIMENSÕES DA COMPETÊNCIA EM
INFORMAÇÃO EM RELATOS DE EXPERIÊNCIA
DE PRÁTICAS EDUCATIVAS
Dimensions of information literacy in experience reports on educational practices
Aurea Celeste Pires de Souza (1), Adriana Rosecler Alcará (2)
(1) Universidade Estadual de Londrina (UEL), Brasil, aureaceleste.souza@uel.br,
(2) alcara@uel.br (2)
Resumo
A competência em informação por ser multifacetada, pode ser observada por meio de quatro dimensões:
técnica, estética, ética e política. Objetivo: Relacionar práticas educativas de bibliotecários às dimensões
da competência em informação. Metodologia: A pesquisa é bibliográfica não exaustiva, descritiva, com
abordagem qualitativa. Resultados: Foram apresentados quatro relatos de experiência com ações
promotoras da competência em informação, que foram correlacionadas às dimensões técnica, estética, ética
e política. Conclusões: Observa-se que as ações correspondem às quatro dimensões, umas com atividades
mais explícitas em uma dimensão do que em outras, pois são complementares e agem conjuntamente em
um todo que é a competência em informação. Destaca-se o papel do bibliotecário como agente
multiplicador da competência em informação ao promover no espaço da biblioteca um ambiente acolhedor,
de pertencimento e que propicia o aprender a aprender.
Palavras-chave: Competência em informação; Dimensões da competência em informação; Relatos de
experiência; Práticas educativas
Abstract
Information literacy, being multifaceted, can be observed through four dimensions: technical, aesthetic,
ethical and political. Objective: Relate educational practices of librarians to the dimensions of information
competence. Methodology: The research is non-exhaustive, descriptive bibliographic, with a qualitative
approach. Results: Four experience reports were presented with actions promoting information literacy,
which were correlated to the technical, aesthetic, ethical and political dimensions. Final considerations: It
is observed that the actions correspond to the four dimensions, some with more explicit activities in one
dimension than in others, as they are complementary and act together in a whole, which is information
competence. The role of the librarian as a multiplier of information literacy is highlighted by promoting a
welcoming environment in the library space, of belonging and that encourages learning to learn.
2
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
Keywords: Information literacy; Dimensions of information literacy; Experience reports; Educational
practices
1 Introdução
A competência em informação tem entre suas características a promoção do
desenvolvimento das múltiplas habilidades informacionais que compõem seu caráter de
metacompetência. Os indivíduos, não apenas no ambiente acadêmico, mas cotidianamente,
precisam de habilidades relacionadas ao buscar, avaliar, usar e comunicar a informação e, como
observado por Mata (2018 p. 59), “[...] de maneira ética e legal, visando que os indivíduos
desenvolvam conhecimentos (saber ser), habilidades (saber fazer) e atitudes (saber agir) no que
tange ao universo informacional.”
Nesse sentido, é vista também como um processo de ensino e aprendizagem, considerando
que esse processo é inerente ao ser humano, ao longo de sua vida, do início ao fim. Portanto,
Miranda (2020 p. 52) reflete “[...] que o processo educativo passa por uma série de instituições,
tais como a família, a escola, a biblioteca, o museu, a igreja, as redes sociais digitais, entre outros,
que poderão contribuir com o desenvolvimento dessa relação do sujeito com o mundo.” E é no
contexto educacional que Okada e Alcará (2021) afirmam que o bibliotecário assume papel de
protagonista ao desenvolver ações educativas que contribuem para multiplicar a competência em
informação.
Sob esse aspecto que se indaga, como as práticas educativas dos bibliotecários se
relacionam com as dimensões da competência em informação? De tal maneira a possibilitar ao
estudante gerar significados que promovam a efetivação de habilidades para criação e apropriação
de novo conhecimento. Nessa conjuntura, o documento da Association of College & Research
Libraries (ACRL 2016) destaca a importância de discussões sobre o tema, com encontros e
estudos; busca de parcerias dos bibliotecários com corpo docente, pesquisadores, coordenadores
de curso, profissionais de informática e demais agentes envolvidos; sugere ainda a promoção da
criatividade e inovação, além do compartilhamento e avaliação de resultados e experiências.
Por conseguinte, sendo a competência em informação multifacetada, ou seja, formada por
vários elementos e aspectos a serem observados, Vitorino e Piantola (2009) propuseram quatro
3
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
dimensões (técnica, estética, ética e política) para compreender melhor essa metacompetência.
Dessa forma, serão descritas diferentes ações realizadas para a formação da competência em
informação, com apresentação de relatos de experiências de bibliotecários, propondo-se relacionar
essas práticas educativas às dimensões técnica, estética, ética e política da competência em
informação.
O período pandêmico, no qual houve a necessidade do ensino remoto, devido ao
distanciamento imposto pelas circunstâncias, expôs o quanto é necessário e faz falta estar no
ambiente de uma biblioteca e em sala de aula. A escolha foi por pesquisas com atividades
presenciais, com o propósito de evidenciar a importância dessa modalidade de ensino e
aprendizagem, para o convívio, a partilha de experiências e, como afirmado pela bibliotecária
Silveira, a relevância [...] do atendimento presencial [pois] é o espaço aberto para os estudos, a
interação e o calor humano que o on-line não substitui” (Oliveira 2021).
Quanto aos procedimentos metodológicos, a pesquisa é bibliográfica não exaustiva,
descritiva, com abordagem qualitativa. Buscou-se na Base de Dados Referencial de Artigos de
Periódicos em Ciência da Informação (BRAPCI), por possuir vasta cobertura de publicações na
área da Ciência da Informação, com disponibilização de resumos, palavras-chave e referências de
periódicos e anais de eventos de abrangência nacional.
Para o processo de busca utilizou-se palavras-chave e operadores booleanos. O período de
abrangência da coleta foi de 2018 a 2023. As publicações referentes ao ano de 2023 não
representam o total da produção científica na BRAPCI, considerando que a coleta foi no mês de
setembro de 2023. A seleção e avaliação foi efetuada em duas etapas: a primeira identificação
de palavras-chave, leitura de título e resumo dos resultados de busca; a segunda etapa consistiu na
leitura do texto completo para análise. Como critério de exclusão foram observados textos em
duplicidade; atividades não presenciais. Além disso, também foram excluídos alguns relatos
considerados fora do escopo do estudo como, por exemplo, sem foco em práticas educativas para
a competência em informação. As expressões utilizadas nas estratégias de busca e os resultados
podem ser visualizados no Quadro 1.
4
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
Quadro 1 Estratégia de busca e seleção do período de 2018 a 2023
Estratégias de busca
Recuperados
Duplicados
Fora do
objeto
Não
presencial
Selecionados
competência em
informação” AND “relatos de
experiência”
18
4
4
6
4
competência informacional”
AND "relato de experiência"
5
4
0
1
0
CoInfo AND “relato de
experiência”
0
0
0
0
0
Total
23
8
4
7
4
Fonte: Dados da pesquisa (2023)
Conforme Gil (2008), a análise se destina a organizar e sintetizar os dados, possibilitando
obter respostas à questão da pesquisa. No caso do presente artigo, após a seleção e avaliação, os
textos foram lidos na íntegra e os dados foram ordenados, organizados, compilados, tomando como
base o objetivo do presente estudo. Foram apresentados quadros com os tipos de atividade, tema
ou ação e o propósito da atividade, para a análise dos resultados em relação ao referencial teórico,
de forma a apresentar reflexões que contribuam para o desenvolvimento de práticas bibliotecárias
que proporcionem o aprendizado ao longo da vida.
Na sequência, apresenta-se uma breve contextualização teórica e em seguida a descrição
das práticas educativas e suas relações com as dimensões da competência em informação.
2 Competência em Informação e suas Quatro Dimensões
A definição da competência em informação foi atualizada pela ACRL em 2016, como um
grupo de habilidades incorporadas que abarca o reconhecimento reflexivo da informação, “[...] a
compreensão de como informações são produzidas e valorizadas, e o uso de informações na
criação de novos conhecimentos e na participação ética em comunidades de aprendizagem.”
(ACRL 2016 p. 8, tradução nossa). O documento direciona para a necessidade de envolvimento
comportamental, afetivo, cognitivo e metacognitivo, que conduz a autorreflexão avaliativa.
Na definição do Chartered Institute of Library and Information Professionals CILIP
(2018) a competência em informação, para am de um conjunto de habilidades, envolve a
5
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
qualidade na busca, interpretação e uso da informação. Para tal, abrange a atitude reflexiva em que
a pessoa precisa discernir as questões éticas e políticas no uso da informação.
Para melhor observar todos os aspectos da competência em informação, Vitorino e Piantola
(2020) iniciaram as pesquisas sob o olhar de quatro dimensões (técnica, estética, ética e política)
em 2009, tendo como base a obra de Rios (2006), que é direcionada à docência. Vale salientar que
as dimensões possibilitam ões práticas de formação continuada, que beneficiam os profissionais,
cidadãos e a sociedade como um todo, por meio das ações dos bibliotecários, pois na realidade
brasileira, esses profissionais da informação têm vínculos com todas as áreas sociais.
Na dimensão técnica, o termo técnico pode ser visto como habilidade no agir e executar
determinada função. Essa dimensão está relacionada às atividades práticas do dia a dia. Como é
mais explícita, é fundamento para a maior parte das definições da competência em informação
encontradas na literatura. A dimensão técnica é, com frequência, relacionada às habilidades para
a busca, avaliação e uso adequado da informação (Vitorino e Piantola 2020). Oliveira e Vitorino
(2020) ressignificam conceitualmente essa dimensão quando a embasam na habilidade em
informação, tendo como sustentação valores pessoais, tais como, as formas de agir na sociedade.
Com essa perspectiva, a dimensão técnica se amplia, deixando de ser relacionada apenas às
habilidades para o saber fazer. Por conseguinte, essa dimensão depende das demais, pois em
equilíbrio as quatro dimensões contribuem para a formação da competência em informação.
A dimensão estética está relacionada à sensibilidade, criatividade, percepção, harmonia e
ao belo. Vitorino (2020 p. 57), com a produção do novo, em situações diversas, afirma que a
experiência estética faz parte de todos os aspectos de uma pessoa, “[...] constituindo-se como fator
fundamental na construção da subjetividade e determinante do próprio caráter do homem.” Orelo
e Vitorino (2020) entendem que a dimensão estética também está presente na própria informação,
porque pode ser percebida externamente, por meio de dados objetivos e internamente pelo refletir,
perceber, pela sensibilidade e imaginação. Além disso, essa dimensão, quando alia o pensamento
reflexivo à prática profissional, pode direcionar à criatividade (com a produção do novo, em
situações diversas) e à sensibilidade (por exemplo: a capacidade de ser flexível). Assim,
desempenha “[...] a função de enaltecer os aspectos humanos, a capacidade de se comover e se
6
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
preocupar com o outro, resultando em um exercício da cidadania e da solidariedade.” (Orelo e
Vitorino 2020 p. 127).
A dimensão ética percorre as dimensões técnica, estética e política, pois norteia o fazer do
bibliotecário. Dessa dimensão prescinde o juízo de valor, que conduz à autonomia para tomada de
decisões, por meio de reflexões sobre os possíveis resultados produzidos por suas ões, no âmbito
pessoal e coletivo. Dessa forma, a dimensão ética favorece a atuação sociopolítica. No que tange
ao uso ético da informação, corresponde a usá-la de forma responsável, com vistas ao bem comum
(Vitorino e Piantola 2011). Para o uso responsável e ético da informação, Pellegrini (2016) observa
que é necessário ter conhecimento das leis normativas do uso legal dessa informação.
Portanto, além do uso responsável e legal da informação, sob suas respectivas leis e normas,
a dimensão ética embasa-se “[...] nos princípios éticos de respeito, justiça, solidariedade e
compromisso, que resultam no bem coletivo e na cidadania.” (Pellegrini 2016 p. 126). Em
consonância, Pellegrini e Vitorino (2018) entendem que essa dimensão corresponde ao agir do ser
humano baseado em princípios que conduzem à boa conduta, em um contexto controverso, em
questões comunicativas e informacionais. Assim, a dimensão ética também se relaciona ao
equilíbrio no informar e no comunicar, para que o indivíduo não se aparte da justiça e bem coletivo,
principalmente quando há conflitos de valores.
Dentre os aspectos que dão suporte para a compreensão da dimensão política, De Lucca
(2019 p. 69) destaca “[...] a cidadania, a liberdade e as relações em sociedade. São esses aspectos,
nessa ocasião [da dimensão política], que se manifesta a competência em informação do sujeito.”
Para De Lucca e Vitorino (2020) a competência em informação, sob a perspectiva da dimensão
política, propicia que a pessoa entenda seus direitos e deveres e favoreça a atitude reflexiva do
contexto a sua volta, do que decorre a promoção do bem comum. Por conseguinte, a política faz
parte do indivíduo como ser social, que pertence a um contexto, que edifica relações e interage
dinamicamente em reciprocidade.
7
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
3 Práticas Educativas de Bibliotecários: relações possíveis com as Dimensões
da Competência em Informação
Após a busca e seleção dos artigos pertinentes ao objetivo deste estudo, conforme já
mencionado, foram lidos os artigos na íntegra e serão apresentadas sucintamente as ações
relatadas, estabelecendo-se algumas relações com o referencial teórico. As relações também serão
estabelecidas no Quadro 5, que será apresentado mais adiante, com síntese das características das
dimensões propostas por Vitorino e Piantola (2011 p. 109).
No primeiro relato, intitulado Competência em informação na educação profissional: relato
de experiência do II Faróis de Alexandria do IFCE, campus Cedro, Silva (2021) discutiu o papel
da competência em informação na educação profissional. Trata-se da edição do ano de 2018, do
evento anual realizado e dirigido pela biblioteca do campus Cedro do Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), uma instituição de nível técnico e superior. As
atividades foram propostas sob a perspectiva da Declaração de Alexandria, baseado nos eixos
Saúde, Educação, Cidadania e Desenvolvimento Econômico, direcionados à competência em
informação, na Educação Profissional. Por meio das ações pretendeu-se promover as habilidades
no acesso, avaliação e uso da informação. Foram realizadas cinco rodas de conversa e quatro
oficinas, apresentadas no Quadro 2.
Quadro 2 Ações do primeiro relato
TEMA
OBJETIVO
1
Alimentação na Era da
Informação: Trabalhar para
Comer ou Comer para Trabalhar
Orientar estudantes sobre as principais fontes de informação nutricional para
viver uma vida saudável, devido à dificuldade dos profissionais em acessar,
avaliar e usar informação nutricional para atender às suas necessidades no
trabalho ou na vida cotidiana.
2
Competência em Informação:
Acessar, Avaliar e Usar para um
Aprendizado Efetivo
Proporcionar aos estudantes um momento no qual pudessem conhecer a
Competência em Informação e a sua importância para a vivência nos
contextos escolar, acadêmico e de trabalho, para o acesso eficiente, a
avaliação reflexiva, o uso ético da informação e para uma participação
integral na sociedade contemporânea.
3
Inclusão/Trabalho/Educação:
escola inclusiva para acessar a
informação e o conhecimento
Discutir junto de estudantes de licenciatura o papel docente de trabalhar para
que a escola seja cada vez mais inclusiva e que essa inclusão abranja
também o acesso, avaliação e uso da informação e do conhecimento.
8
SOUZA, Aurea Celeste Pires de; ALCARÁ, Adriana Rosecler. Dimensões da Competência em Informação em
Relatos de Experiência de Práticas Educativas. Brazilian Journal of Information Science: research trends,
vol . 17, publicação contínua, 2023, e023060. DOI: 10.36311/1981-1640.2023.v17.e023060.
4
Avaliação da Aprendizagem
Discutir com futuros docentes a necessidade de incluir na avaliação
educacional indicadores que apontem para a busca eficiente, a avaliação
reflexiva e o uso responsável da informação na realização de atividades,
trabalhos e apresentações individuais e em grupo.
5
Microempreendedorismo
Individual
Abordar um dos meios utilizados para impulsionar a economia e regularizar
o trabalho informal no contexto brasileiro e como a busca, a avaliação e o
uso de informação e de fontes de informação sobre a temática pode se tornar
complexa e demandar orientação específica.
1
Introdução aos serviços da
biblioteca
Debateu-se como as habilidades para o uso da biblioteca e de seus recursos e
serviços informacionais são essenciais para introduzir estudantes no processo
de aprendizagem informacional pautada na competência em informação.
2
Como criar um currículo
profissional?
Perspectiva de que a criação de um currículo profissional demanda reflexão
e seleção de informações adequadas para atender aos requisitos propostos
por uma vaga de emprego, a proposta principal da oficina foi trazer dicas de
como elaborar um currículo profissional e como usar as informações
pessoais, de formação e profissionais para serem bem-sucedidos em
entrevistas de emprego.
3
Estratégias de Estudo Individual e
em Grupo
Apresentar aos estudantes formas para otimizar suas práticas de estudo e
fortalecer o uso e a organização da informação como imprescindíveis no
processo de aprendizagem autônoma.
4
Educação Financeira
Enquanto competência que facilita o processo de organização das
informações financeiras pessoais e coletivas, influenciando na tomada de
decisão e na resolução de problemas relacionados às compras e
investimentos, por exemplo.
Fonte: Silva (2021)
As atividades promovidas, conforme Quadro 2, revelam necessidades informacionais
básicas do cotidiano dos estudantes que, em primeiro lugar, suscitaram a sensibilidade da dimensão
estética por parte dos bibliotecários para tais percepções. As ações direcionaram ao
desenvolvimento da dimensão técnica ao orientar o estudante a acessar, avaliar e usar as
informações nutricionais adequadas para, em meio ao dia a dia, ter uma alimentação e vida mais
saudável.
A promoção das habilidades da dimensão estética é observada em momentos de reflexão,
como nas rodas de conversa, sobre o valor da competência em informação no contexto acadêmico
e profissional, quando compreendem, relacionam e significam a informação. A conscientização
dos estudantes quanto à responsabilidade do professor em trabalhar para que a instituição
educacional seja inclusiva, em sentido amplo, ou seja, também no acesso à informação, está
relacionada à dimensão ética, no que se refere ao uso responsável da informação.