Comentário ao artigo “A dimensão literária do diagnóstico do presente em Foucault” de Daniel Verginelli Galantin

Palavras-chave: Foucault, Kant, Dimensão Literária

Resumo

Em texto publicado em 1984, pouco antes de sua morte, Foucault volta-se uma vez mais para o clássico texto de Kant sobre a Aufklärung, que assume para ele uma decisiva centralidade na autocompreensão de sua própria tarefa e trajetória como filósofo. Em seu texto, Kant se empenha por compreender o presente buscando antes pela diferença que ele instaura em relação ao passado, em vez de procurar compreendê-lo a partir de alguma totalidade ou de alguma realização futura. Foucault acaba por indicar que independentemente de o diagnóstico de Kant de uma saída da menoridade poder não ser tomado por acurado em nossos dias, resta claro que em sua interrogação sobre o presente e sobre nós mesmos ele revelou um modo de filosofar que não teria perdido sua atualidade e seu vigor. Foucault conclui indicando que a ontologia crítica de nós mesmos “tem de ser compreendida como uma atitude, um êthos, uma vida filosófica em que a crítica do que somos é simultaneamente a análise histórica dos limites que nos são impostos e um experimento com a possibilidade de ir além deles” (FOUCAULT, 1984, p. 50).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Correia, Universidade Federal de Goiás - UFG

Docente na Universidade Federal de Goiás - UFG – Goiás.

Publicado
2020-09-10
Seção
Artigos/Articles