http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/sobama/issue/feed REVISTA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ATIVIDADE MOTORA ADAPTADA 2019-12-09T20:37:31-02:00 Eduardo José Manzini eduardo.manzini@unesp.br Open Journal Systems <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">A Revista da Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada é uma publicação semestral que foi criada para atender às necessidades de divulgação e discussão da produção científica e de assuntos da área de Atividade Motora Adaptada. É órgão oficial da&nbsp;Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada &nbsp; &nbsp; &nbsp;&nbsp;</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">A Revista aceita a submissão de manuscritos originais de profissionais e pesquisadores de diferentes áreas como Educação Física e Esportes, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Educação Especial, Psicologia e outras, cujos manuscritos tenham perfis direcionados à área de Atividade Motora Adaptada ou pertinente aos interesses dos leitores da revista da Sobama.</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">&nbsp;</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;"><strong>Revista da Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada</strong><br>e-ISSN 2674-8681<br><em>Continuação de</em>:&nbsp;<strong>Revista da Sociedade Brasileira de Atividade Motora Adaptada</strong> -&nbsp;e-ISSN 2359-2974 | ISSN 1413-9006</p> http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/sobama/article/view/9007 AVALIAÇÃO MOTORA DE CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA DE ESCOLA REGULAR E ESCOLA ESPECIAL 2019-08-14T12:19:46-03:00 Luan Henrique Moreira De Lima hlhgs123@gmail.com Carlos Henrique Prevital Fileni prof.hprevital@outlook.com <p>O autismo é definido como um transtorno complexo do desenvolvimento que se divide em leve, moderado e severo, tendo sua condição de saúde caracterizada por déficit em três importantes áreas do desenvolvimento: comunicação, socialização e comportamento. Este estudo teve como objetivo verificar o desenvolvimento motor de crianças com TEA (transtorno do espectro do autista), sendo de escola regular e escola especial (APAE). Trata-se de um estudo descritivo e quantitativo. Para avaliação do desenvolvimento motor foi utilizado o teste Körperkoordination Test für Kinder (KTK). Foram avaliados 16 participantes de 8 a 12 anos de ambos os sexos. O teste nos possibilita analisar a coordenação de cada sujeito e verificar qual grupo possui um melhor desempenho. Na análise estatística descritiva e comparativa foi adotada significância p&lt;0,05. Podemos destacar o quociente motor dos alunos da escola especial que 87,5% estão baixos em sua classificação e 12,5% se encontram regular, já na escola regular cerca de 37,5% estão com uma classificação regular e 62,5% dos alunos estão com sua classificação baixa. Diante do estudo podemos verificar um melhor desempenho no grupo escolar em relação ao grupo de escola especial, isso pode se dar ao fato da inclusão desses alunos nas aulas de educação física, porém quando analisamos estatisticamente os grupos não possuíram diferenças significantes.</p> <p>Recebido em: 17/06/2019<br>Reformulado em: 30/07/2019<br>Aceito em: 30/07/2019</p> ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/sobama/article/view/9310 AVALIAÇÃO FUNCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM PARALISIA CEREBRAL PRATICANTES DE REMO INDOOR 2019-12-09T19:42:42-02:00 Fernanda Géa de Lucena Gomes fernandaglucena@gmail.com Moisés de Freitas Laurentino moislaurentino@gmail.com Patricia Moreno Grangeiro patricia.moreno@hc.fm.usp.br Cristina dos Santos Cardoso de Sá cristina.sa@uol.com.br <p>Este estudo objetivou avaliar o controle de tronco, o sentar e a força de preensão manual de crianças e adolescentes com Paralisia Cerebral (PC) e caracterizou o movimento de remar. Participaram do estudo crianças e adolescentes com idade entre 8 e 18 anos, com diagnóstico de PC, do tipo espástica diparética GMFCS III e IV. Foram utilizados os respectivos instrumentos de avaliação: para o controle do tronco - Avaliação Segmentar do Controle de Tronco (SATCo-Br); para a avaliação do sentar, a escala Medida da Função Motora Grossa-66 (GMFM-66) e para avaliação da medida de força de preensão manual utilizaremos um dinamômetro. A análise de correlação da força muscular direita (D) e os movimentos durante a ação de remar revelou correlação moderada entre a força de preensão manual a D nos indivíduos com PC espástica diparética, independente da classificação pelo GMFCS e o movimento de estender os joelhos durante a ação de remar (r=-0,510; p=0,044). Não houve correlação da FPM D com os demais movimentos durante a ação de remar. O presente estudo caracterizou o movimento de remar em crianças e adolescentes com PC classificadas no GMFCS III e IV. Esses dados podem ser úteis no direcionamento e planejamento das intervenções clínicas de indivíduos com PC praticantes de remo.</p> <p>Recebido em: 11/10/2019<br>Aceito em: 01/12/2019</p> 2019-12-09T19:25:18-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/sobama/article/view/9501 PRÁTICA DELIBERADA DE ATLETAS DA NATAÇÃO DA SELEÇÃO PARALÍMPICA BRASILEIRA 2019-12-09T19:44:17-02:00 Walkiria Gomes de Moraes walkiriademoraes@gmail.com Ciro Winckler de Oliveira Filho cirowin@gmail.com <p>O acúmulo de horas despendidas na prática regular, de maneira intencional e com objetivos delineados caracteriza a prática deliberada, e os atletas da seleção paralímpica brasileira se enquadram nesse tipo de prática. OBJETIVO: analisar a prática deliberada dos nadadores da seleção paralímpica brasileira. MÉTODO: Este trabalho foi aprovado pelo CEP nº 116.075. A amostra foi composta por 20 nadadores sendo, 12 atletas homens e oito mulheres, idades de 25,6±7,7 anos, todos integrantes do Programa de Seleções da natação do Comitê Paralímpico Brasileiro. Foi utilizado para coleta do tempo de prática deliberada um questionário misto e a Tabela de Tanner para avaliar a maturação biológica secundária. A análise dos dados foi realizada de forma descritiva, de acordo com as divisões das perguntas, os resultados foram expressos de forma quantitativa, principalmente quanto às horas despendidas de prática deliberada. RESULTADOS: 18 atletas com deficiência física e dois com deficiência visual, na prática deliberada à média de horas acumuladas foram de 12.789 horas, e a mediana foi de 10.290 horas. A maturação biológica secundária foi de 16,41±1,31 anos para o gênero masculino e 12,75±2,25 anos para o gênero feminino. CONCLUSÃO: O acúmulo de horas em prática deliberada dos nadadores da seleção Paralímpica Brasileira é semelhante a outros atletas preditos na literatura. Relacionando a maturação biológica secundária com a prática deliberada dos nadadores, observou-se que estas coincidem, predizendo que, a fase de treinamento para a especialização dos atletas na natação paralímpica ocorre após ou dentro de certos marcadores biológicos da adolescência.</p> <p>Recebido em: 01/12/2019</p> <p>Aceito em: 02/12/2019</p> 2019-12-09T19:16:14-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/sobama/article/view/9395 A PRÁTICA PEDAGÓGICA DE UM PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI EM MACEIÓ - ALAGOAS 2019-12-09T20:37:31-02:00 Arlindo Lins Melo Júnior arlindoef@hotmail.com Guilherme Vasconcelos Pereira guilhermevasconcelos79@hotmail.com James Dean Bastos jamesdeanbastos@gmail.com <p>O presente artigo tem como objetivo identificar como um professor de Educação Física da Associação Pestalozzi de Maceió - Alagoas conduz sua prática pedagógica para suprir as necessidades educacionais de seus alunos com deficiência. Nosso estudo é de cunho qualitativo, além disso, utilizamos o estudo de caso. Ademais, foi realizado em uma instituição especializada em atendimento pedagógico. A amostra representativa desse estudo é composta por uma entrevista concedida pela professora de Educação Física da instituição. Como instrumento de coleta de dados foi utilizado uma entrevista semiestruturada com a educadora e três observações das aulas ministradas que foram devidamente registradas em diários de campo. Para a interpretação dos dados foi utilizada a análise de conteúdo temática. Os resultados demonstram que práticas pedagógicas dos professores de Educação Física necessitam de uma melhor elaboração e valorização, isto é, a professora acredita que deve-se buscar mais formação continuada e estratégias de ensino próprias por parte dos educadores para trabalharem os conteúdos da cultura corporal, mesmo a instituição sendo especializada em Educação Especial, existe a necessidade de pensar em uma aula voltada para grande diversidade das deficiências.&nbsp; Dentro das deficiências podemos citar: intelectual, física, visual, auditiva, múltipla e surdocegueira. Ainda, compreende-se a importância das práticas pedagógicas onde o papel do professor deverá encontrar-se estrategicamente contextualizado com deficiência e particularidades de seus alunos.</p> <p>Recebido em: 26/10/2019</p> <p>Reformulado em: 02/12/2019</p> <p>Aceito em: 02/12/2019</p> 2019-12-09T20:37:31-02:00 ##submission.copyrightStatement##