ALUNOS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA NA ESCOLA REGULAR: RELATOS DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

  • Juliana Maia Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Giandra Anceski Bataglion Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Janice Zarpellon Mazo
Palavras-chave: Pessoa com Deficiência, Transtorno do Espectro Autista, Educação Física Escolar, Educação Inclusiva.

Resumo

O objetivo deste estudo é apresentar a percepção de docentes de Educação Física de Porto Alegre e Região Metropolitana, no Rio Grande do Sul, acerca da inclusão de alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA) na escola regular. Nesse contexto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com oito professores de Educação Física que possuem alunos com TEA. A interpretação das informações ocorreu por meio da análise temática de conteúdo. A partir dos relatos dos professores, identificaram-se aspectos da participação dos alunos com TEA nas aulas de Educação Física escolar: tendência em seguir rotinas, incluindo atividades, materiais e pessoas; melhor engajamento em atividades exploratórias e de manipulação de objetos no Ensino Infantil; maior participação em atividades com etapas previamente definidas no Ensino Fundamental. As estratégias docentes incluem atentar para as particularidades das crianças com TEA, traçando-se objetivos e métodos condizentes com as necessidades e potencialidades individuais. Atividades e objetos próprios da rotina de cada aluno foram citadas como forma de se estabelecer o engajamento inicial nas aulas, seguidas pelo uso de distintas estratégias, a fim de se promover a inclusão nas aulas em igualdade aos pares sem deficiência. A mediação por pares foi mencionada, suscitando benefícios à turma de alunos. Ademais, o trabalho interdisciplinar foi referido como indispensável à efetiva Educação Inclusiva. Conclui-se que as características apresentadas pelos alunos com TEA nas aulas de Educação Física, levam os professores a buscarem estratégias que lhes permitam favorecer o ensino e a aprendizagem destes, sendo as habilidades sociais amplamente evidenciadas nesse processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, M. L. T.; FIORINI, M. L. S. Como promover a inclusão nas aulas de educação Física? A adaptação como caminho. Revista da Sociedade Brasileira de Atividade Motora Adaptada – SOBAMA, Marília, v. 19, n. 1, p. 03-16, 2018.


ASSMANN, A. B.; et al. Representações Sociais, Educação Física e Educação Especial: um debate contemporâneo. In: Missias-Moreira, R.; et al. (Org.). Representações Sociais na Contemporaneidade. 2 ed. Curitiba: CRV, v. 2, 2019, p. 101-116.


ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE PSIQUIATRIA. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-IV-TR). ed. 5, rev. Porto Alegre: Artmed, 2016.


APORTA, A. P.; LACERDA, C. B. F. de. Estudo de Caso sobre Atividades Desenvolvidas para um Aluno com Autismo no Ensino Fundamental I. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 24, n. 1, p. 45-58, 2018.


BEZERRA, T. L. Educação inclusiva e autismo: a educação física como possibilidade educacional. Paraíba: Realize, 2012.


BRASIL, 1988. Assembléia Nacional Constituinte. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal/Secretaria Especial de Editoração e Publicações, 1988.


BRASIL. Decreto nº 6.949/2009. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Disponível em: http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/publicacoes/convencaopessoascomdeficiencia.pdf. Acesso em: 22 fev. 2019.


BRASIL, 2012. Lei nº 12.764, de 11 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista e altera o § 3o do art. 98 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm. Acesso em: 15 jan. 2020.


BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 29 jun. 2015.


BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 2, de 11 de setembro de 2001. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 de setembro de 2001.


BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 4, de 02 de outubro de 2009: diretrizes operacionais para o atendimento educacional especializado na educação básica, modalidade educação especial. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05 de outubro de 2009b.


BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Especial. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.


BOSA, C. Autismo: atuais interpretações para antigas observações. In: BAPTISTA, C. R.; BOSA, C. (Orgs.). Autismo e educação: reflexões e propostas. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 21-39.


CAMARGO, S. P. H.; BOSA, C. A. Competência social, inclusão escolar e autismo: revisão crítica da literatura. Psicologia e Sociedade, Belo Horizonte, v. 21, n. 1, p. 65-74, 2009.


DAVID, A. P. B. et al. A prática regular de ginástica artística na minimização dos sintomas recorrentes do autismo em crianças: a perspectiva dos professores. Revista CPAQV – Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida, v. 8, n. 3, p. 2-7, 2016.


DIAS, S. A.; HENRIQUE, K. E. N. Adaptação de materiais e atividades para uma criança com transtorno do espectro do autismo: o trabalho colaborativo no processo educacional. Revista da Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada, Marília, v. 19, n. 1, p. 27-38, 2018.


FERREIRA, E. L. (Org.). Esportes e atividades físicas inclusivas. v. 1. Niterói: Intertexto, 2014.


FISCHER, M. L. Tem um Estudante Autista na minha Turma! E Agora? O Diário Reflexivo Promovendo a Sustentabilidade Profissional no Desenvolvimento de Oportunidades Pedagógicas para Inclusão. Revista Brasileira de Educação Especial, Bauru, v. 25, n. 4, p. 535-552, 2019.


FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3 ed. Porto alegre: Artmed, 2009.


GONÇALVES, W. R. D. et al. Barreiras e facilitadores para a prática de atividades físicas em crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista de Uruguaiana – RS. Revista da Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada, Marília, v. 20, n. 1, p. 17-28, 2019.


GREGUOL, M.; COSTA, R. F. da (Organizadores). Atividade Física Adaptada: qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais. 4 ed. Barueri/SP: Manole, 2019.


MELLO, L. A. de.; FIORINI, M. L. S.; COQUEIRO, D. P. Benefícios da educação física escolar para o desenvolvimento do aluno com Transtorno do Espectro Autista na percepção dos professores. Revista da Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada, Marília, v. 20, n. 1, p. 81-98, 2019.


MUNSTER, M. de A. V.; ALVES, M. L. T. Educação física e inclusão de estudantes com deficiências no Brasil: contrapontos entre legislação e produção científica. Revista da Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada, Marília, v. 19, n. 2, p. 171-184, 2018.


SANTOS, K. S.; BAPTISTA, C. R. Novos ‘referenciais’ cognitivos e normativos para a política nacional de educação especial no Brasil. Práxis Educacional, v. 10, n. 16, p. 15–33, 2014.


SASSAKI, R. Inclusão: construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1997.


SCHLIEMANN, A. L. Esporte e autismo: estratégias de ensino para inclusão esportiva de crianças com Transtornos do Espectro Autista (TEA). 55p. 2013. (Monografia de graduação), Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.


SILVA, I. C. P. da.; PREFEITO, C. R.; TOLOI, G. G. Contribuição da educação física para o desenvolvimento motor e social do aluno com Transtorno do Espectro do Autismo. Revista da Associação Brasileira de Atividade Motora Adaptada, Marília, v. 20, n. 1, p. 71-80, 2019.


TOMÉ, M. C. Educação Física como Auxiliar no Desenvolvimento Cognitivo e Corporal de Autistas. Movimento & Percepção, Espírito Santo do Pinhal, SP, v. 8, n. 11, 2007.


WING, L. A Abordagem Educacional para Crianças Autistas: Teoria, prática e avaliação. In: GAUDERER, E. C. Autismo e outros atrasos do desenvolvimento: uma atualização para os que atuam na área - do especialista aos pais. Brasília/DF: Ministério do Bem-Estar Social, Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 1993.


WINNICK, J. P. Adapted physical education and sport. 5th edition. Human Kinetics, 2010.
Publicado
2020-03-19
Seção
Relato de pesquisa