Foco e Escopo

A Schème - Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas é uma revista eletrônica acadêmica especializada que tem por missão publicar e divulgar pesquisas inéditas, teóricas ou experimentais, em Epistemologia e Psicologia Genéticas de Jean Piaget, nas áreas da Filosofia, Psicologia, Sociologia, Educação e Interdisciplinar. A Revista tem apoio institucional da Universidade Estadual Paulista (Unesp), da Pró-Reitoria de Pesquisa, do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Psicologia da Educação da Unesp de Marília. Na última avaliação trienal da CAPES (Quadriênio 2013-2016), a Schème recebeu Qualis B3 nas áreas de Filosofia, Educação e Interdisciplinar, e Qualis B4 nas áreas de Ensino e Psicologia.

Política de Seção

Os textos são encaminhados a pareceristas ad hoc em sistema blind review e o resultado das avaliações são comunicado ao(s) autor(es). Todos os avaliadores são doutores com experiência em pesquisa e docência. O princípio adotado para o recrutamento destes avaliadores preza pela especialidade e por um conhecimento amplo na área. Os conteúdos trabalhos publicados na Schème são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Os autores mantém os direitos autorais e concedem à Revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado conforme declarado na Política de Acesso Livre.

Política de Acesso Livre

A Schème permite acesso aberto distribuído sob os termos da Creative Commons Attribution segundo a licença Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International. Esta licença permite que outros, a partir dos trabalhos publicados na Schème, remixem, adaptem e criem para fins não comerciais, desde que atribuam à Schème o devido crédito e que licenciem as novas criações sob termos idênticos. 

Periodicidade

Seus números são publicados semestralmente. A Schème recebe trabalhos em fluxo contínuo. 

Modalidades de Publicação

A Schème publica, em conformidade com as Diretrizes para Autores, as seguintes modalidades de trabalhos:

Artigos: originais e inéditos, resultados de estudos e pesquisas relacionados com a área, e que não foram e nem estão sendo submetidos a outros periódicos.

Resenhas: originais e inéditas de obras relevantes na área, sobre conteúdos de obras nacionais, com até 1 ano de publicação, e de obras internacionais, com até 4 anos de publicação.

Traduções: originais e inéditas de textos relevantes na área,  acompanhados de seus originais e de autorização de publicação do autor e/ou da editora.

Entrevistas: originais e in´éditas de pesquisadores com relevância na área ou na sua especialidade; devem ser submetidas aos editores que farão uma análise da entrevista de acordo com a política editorial da revista; os editores terão toda autonomia para aceitar ou rejeitar as mesmas.  

Relatos de Grupo de Pesquisa: originais e inéditos, e devem conter uma apresentação do grupo, sua trajetória e sua relevância para os estudos em Epistemologia Genética no Brasil ou no exterior. 

Debates: originais e inéditos, com o fito de apresentar ideias e reflexões de debates entre pesquisadores registrados por escrito ou transcritos a partir de vídeos ou áudios.  

Para outras modalidades de publicações os editores devem ser consultados.

Política de Combate ao Plágio

A Schème não aceita nenhum tipo de plágio. A notificação sobre plágio deve ser enviada através do contato da revista. Os autores que submeterem seus textos devem assegurar a originalidade de seus trabalhos. Qualquer caso de suspeita de plágio nos textos publicados será investigado. A Schème exigirá, nesse caso, esclarecimentos, retratações e pedido de desculpas por parte de autores. As orientações sobre como lidar com casos de má conduta em pesquisa e publicação são seguidas a partir de orientações da Committee on Publication Ethics (COPE).

Fluxo Editorial

O fluxo do trabalho editorial da Schème segue a seguinte processo:

Submissão: os textos serão recebidos pelos editores no sistema; é necessário entrar em Acesso com login e senha.

Análise do editor: verifica-se se o texto atende ao Foco e Escopo ou as Diretrizes para Autores, podendo rejeitados ou devolvidos para adequação.

Avaliação: os textos serão submetidos para avaliação às cegas por pares; este processo dura em média 2 meses.

Revisão: os textos aprovados seguirão para o processo de revisão com ajustes textuais e formais.

Produção: formatação das versões finais dos textos e lançamento do número do site.

Políticas de Taxas

A Schème não cobra nenhum tipo de taxa  para submissão, avaliação ou publicação dos textos.

Sobre o nome da Revista

O termo francês "schème”, que intitula nossa revista, foi escolhido por expressar uma noção central das Epistemologia e Psicologia Genéticas, em especial, no que concerne aos schèmes d'action. O termo permeia toda a obra de Jean Piaget (a gênese dos schèmes d'action é detalhadamente estudada por Piaget em La naissance de l'intelligence chez l'enfant) e, em especial, é famosa a passagem do livro Biologie et connaissance (Paris: Gallimard, 1967, p.14-15) que diz que: “[…] todo conhecimento está ligado a uma ação e que conhecer um objeto ou acontecimento é os utilizar, assimilando-os aos esquemas de ação (schèmes d'action)”.

O termo “Schème” é traduzido, em geral, pelo termo português “esquema”. Entretanto, este não traduz toda a riqueza de sentido que aquele possui. Em especial, não traduz a distinção entre schème e schéma, tão cara a expressão rigorosa do pensamento de Piaget. Por exemplo, Piaget, em L'image mentale chez l'enfant (Paris: Presses Universitaires de France, 1966, p. 431) escreve: “Se chamarmos 'schème' a um instrumento de generalização que permite destacar os elementos comuns a condutas análogas sucessivas, então existem schèmes perceptivos tal como schèmes sensório-motores, schèmes operatórios, etc.; e existem também, nesse sentido, os schèmes imagéticos que permitem ao sujeito construir imagens análogas em situações comparáveis.

Mas se chamarmos 'schéma' a um modelo simplificado destinado a facilitar a apresentação (como um esquema topográfico, etc.), então não existem schémas perceptivos, pois o schéma serve apenas à evocação e a figuração, enquanto a figuração imagética é esquematizada sobretudo no sentido do schéma, embora comportando a possibilidade de schèmes”.

Apesar das diferenças de acepções, o termo “esquema” já se consagrou na tradução de “schème”. E se escolhemos “schème” ao invés de “esquema” para intitular nossa revista, não foi para rivalizar com a escolha adotada, mas para remeter à necessidade de um estudo profundo dos temas tratados pela Epistemologia Genética e pela Psicologia Genética.