Clausewitz e a guerra absoluta na era nuclear

  • Anna Carolina Monéia Farias

Resumo

Clausewitz, general prussiano, refletiu acerca da guerra e da política no contexto de guerras napoleônicas, no qual o autor participou ativamente como soldado. Entretanto, sua teorização não se restringiu ao seu período histórico, sendo, portanto, base de reflexão para muitos acadêmicos em diferentes épocas. Uma de suas máximas diz respeito à elaboração dos conceitos de guerra real e guerra absoluta. A primeira, segundo o autor, é aquela que está no plano da experiência histórica e real, existente em toda a sua complexidade, probabilidades, sorte, acasos e imprevistos, enquanto que a última é avaliada em termos abstratos. Ela tem somente um exemplo prático de uma certa aproximação com a realidade no contexto da inovação histórica quanto à intensidade da mobilização e recursos das batalhas decisivas sob a liderança de Napoleão Bonaparte. Desta forma, as vitórias da França napoleônica configuraram uma novidade histórica, uma aproximação com a guerra absoluta não somente pelos motivos já mencionados, mas também porque a guerra alcançou a intensidade extrema da violência manifestada de uma só vez, pontos que caracterizam a sua feição absoluta. A guerra absoluta tomou formas reais com as inovações da era nuclear na explosão das armas atômicas a partir de Hiroshima e Nagasaki. O trabalho objetiva um exame sobre a literatura que aborda tal perspectiva na aplicação contemporânea de Clausewitz no tocante ao conceito de guerra absoluta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Carolina Monéia Farias

Bacharel em Relações Internacionais

Publicado
2014-09-03
Seção
Artigos