A crítica de Wittgenstein ao seu "Tractatus" nas "Investigações Filosóficas"

Ricardo Peraça Cavassane

Resumo


O pensamento de Ludwig Wittgenstein é comumente dividido em duas as fases: a do “primeiro” Wittgenstein, representada por sua obra de juventude, o "Tractatus Logico-Philosophicus"; e a do “segundo” ou “último” Wittgenstein, cuja obra principal é as "Investigações Filosóficas". Entre as duas fases não há transformação, mas ruptura e inovação. É evidente que há pontos de ligação conceitual entre as fases, mas a abordagem de suas observações acerca da linguagem – seu principal objeto de investigação – torna-se diametralmente oposta. Como se dá, no entanto, tal ruptura? O que levou este filósofo a desenvolver dois pensamentos tão distintos? Compreendendo como se deu essa ruptura, poderemos apreender a natureza da crítica do segundo Wittgenstein à primeira fase de seu pensamento.

Texto completo:

PDF