Um estudo sobre a acessibilidade física em nove escolas municipais do ensino fundamental de uma cidade do interior paulista

Vanessa Cristina Paulino, Priscila Moreira Corrêa, Eduardo José Manzini

Resumo


Tendo em vista as predisposições do paradigma da inclusão e do desenho universal espera-se que os espaços escolares sejam construídos levando em conta a sua possibilidade de utilização por todos os alunos. Assim, objetivou-se com essa pesquisa avaliar a acessibilidade física em nove escolas do ensino fundamental da cidade de Marília-SP. Após a concessão da autorização por parte da Secretaria Municipal da Educação, realizou-se a coleta em nove escolas selecionadas: CX, GC, CC, MP, NG, NM, RP, PF e AC. Dentre os resultados, pode-se mencionar o fato de nenhuma das escolas avaliadas terem em suas dependências: bebedouro adaptado, reserva de vagas para pessoas com deficiência nas arquibancadas ou balcão de atendimento na secretaria na altura adequada. No geral, pode-se observar um reflexo das recomendações sugeridas pela inclusão e pelo desenho universal principalmente nas edificações construídas após a municipalização do ensino fundamental proposta pela LDB, no entanto, mesmo essas necessitam de algumas reformas para que seus espaços possam ser cada vez mais acessíveis.

Texto completo:

PDF