Um estudo sobre a acessibilidade física em nove escolas municipais do ensino fundamental de uma cidade do interior paulista

  • Vanessa Cristina Paulino
  • Priscila Moreira Corrêa
  • Eduardo José Manzini

Resumo

Tendo em vista as predisposições do paradigma da inclusão e do desenho universal espera-se que os espaços escolares sejam construídos levando em conta a sua possibilidade de utilização por todos os alunos. Assim, objetivou-se com essa pesquisa avaliar a acessibilidade física em nove escolas do ensino fundamental da cidade de Marília-SP. Após a concessão da autorização por parte da Secretaria Municipal da Educação, realizou-se a coleta em nove escolas selecionadas: CX, GC, CC, MP, NG, NM, RP, PF e AC. Dentre os resultados, pode-se mencionar o fato de nenhuma das escolas avaliadas terem em suas dependências: bebedouro adaptado, reserva de vagas para pessoas com deficiência nas arquibancadas ou balcão de atendimento na secretaria na altura adequada. No geral, pode-se observar um reflexo das recomendações sugeridas pela inclusão e pelo desenho universal principalmente nas edificações construídas após a municipalização do ensino fundamental proposta pela LDB, no entanto, mesmo essas necessitam de algumas reformas para que seus espaços possam ser cada vez mais acessíveis.
Publicado
2008-04-22
Seção
Artigos