Revista ORG & DEMO http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo <p>A Revista <strong>ORG &amp; DEMO</strong> é uma publicação semestral do Grupo de Pesquisa Organizações e Democracia da Universidade Estadual Paulista (UNESP) destinada a promover a socialização do conhecimento e resultados de pesquisas produzidas por cientistas sociais nacionais e internacionais.<br>A sua denominação é <strong>ORG &amp; DEMO</strong>, que deve ser usada em bibliografias, notas de rodapé e em referências e legendas bibliográficas.</p> Faculdade de Filosofia e Ciências pt-BR Revista ORG & DEMO 1519-0110 Editorial http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/10683 Neusa Maria DAL RI ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 5 8 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p5-8 Democracia e a inalcançável igualdade: um paradoxo justificado por crenças e preconceitos http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/10004 <p>Este ensaio tem por objetivo questionar as desigualdades oriundas de Estados autointitulados democráticos a respeito dos direitos sexuais e reprodutivos. Primeiramente, o estudo analisa o desacordo entre o texto constitucional, que preconiza o Brasil um Estado laico, e o reiterado desinteresse no apartamento da relação entre Estado e religião. Num segundo momento, chega-se à concepção de democracia trazida pelo filósofo francês Jacques Rancière (2014) e às desigualdades oriundas da representatividade política que reproduzem conjunturas assimétricas, ao privilegiar as inclinações sexuais e os arranjos familiares pretensiosamente sentenciados como modelares. Por fim, é exposta a importância da implementação de processos democráticos embasados em lutas, que têm o escopo de deslocar as esferas pública e privada, promovendo discussões que abracem posições antagônicas, mas não desiguais.</p> <p>Submetido em: 31/03/2020<br>Aceito em: 01/06/2020</p> Vanessa Lima Blaudt Lima BLAUDT Rodrigo Rocha de JESUS ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 93 108 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p93-108 Vertentes educativa e inclusiva na seara da alimentação escolar http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9484 <p>Destaca as vertentes educativa e inclusiva no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Plano de Ac?a?o da Cimeira Mundial da Alimentac?a?o, das Nações Unidas, Lei Orgânica da Segurança Alimentar e Nutricional (LOSAN) e Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, no Brasil. A análise tem suporte na pesquisa descritiva e em incursões histórico-dialéticas, salientando as dinâmicas e enlaces dos retrocitados documentos. Conclui, realçando convergências na formação de hábitos alimentares saudáveis, inclusão alimentícia local e regional, fortalecimento de comunidades da Agricultura Familiar, povos e comunidades indígenas, quilombolas, entre outros. Ressalta, por último, o fato de a sintonia dos documentos nacionais e internacionais não elidir a instabilidade da segurança alimentar e nutricional brasileira, após sucessivas interrupções à atuação do Conselho de Segurança Alimentar, no Brasil (CONSEA).</p> <p>Encaminhado em: 12/02/2020 <br>Aceito em: 22/05/2020</p> Elenilce Gomes de OLIVEIRA Antonia de Abreu SOUSA Francisca das Chagas Silva LIMA ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 41 56 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p41-56 Pré-vestibulares populares e a democratização do acesso ao ensino superior http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9651 <p><span style="font-weight: 400;">No Brasil, embora a Constituição Federal garanta o direito à educação pública e gratuita a todos, o que se observa, na prática, é que determinados níveis educacionais – em especial o Ensino Superior – continuam limitados à classe dominante, que utiliza desses espaços para perpetuar a divisão social do trabalho. Neste artigo, discute-se o papel dos cursinhos pré-vestibulares populares na democratização do acesso ao ensino superior. Parte-se do pressuposto que tais projetos contribuem para uma luta mais ampla pela superação da própria sociedade de classes à medida que atuam socializando os saberes e viabilizando sua apropriação pela sociedade.</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Submetido em: 20/01/2020<br>Aceito em: 01/06/2020</span></p> Felipe Pinto SIMÃO Nathanael da Cruz e SILVA NETO Julio Cesar TORRES ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 57 70 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p57-70 A constituição das políticas sociais no Brasil http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9843 <p>Tanto no Brasil quanto em nível mundial, vem acontecendo um amplo processo de redefinições globais das esferas política e social ao longo das últimas décadas. Este projeto envolve a criação de um espaço em que se torne impossível pensar o econômico, o político e o social fora das categorias que justificam o arranjo capitalista. A política praticada faz com que noções de igualdade e justiça social recuem no espaço e na discussão pública. O ensaio teórico em questão discute os conceitos basilares para se compreender a constituição das políticas sociais brasileiras. Assim, reflete sobre a realidade das políticas sociais, considerando seu vínculo direto, sobretudo, neste estudo, com a pobreza. As reflexões teóricas sinalizam que as políticas sociais são consideradas estratégias promovidas pelo poder político com o objetivo de desenvolver um determinado modelo social. Estas estratégias se compõem de planos, projetos e diretrizes específicas em cada área de ação social. Em termos, globais, integram as políticas ligadas à saúde, educação, habitação e previdência social. Finalmente, é possível destacar que cabe ao governo prover um conjunto de ações que cubram, reduzam ou previnam a pobreza e o aprofundamento da vulnerabilidade social.</p> <p>Submetido em: 27/03/2020<br>Aceito em: 08/06/2020</p> Egeslaine de NEZ ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 9 26 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p9-26 Perspectivas sobre o protagonismo hipermidiático: estudos contemporâneos http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/10684 <p>Este texto desenvolve uma discussão crítico-reflexiva a respeito de protagonismo hipermidiático e tangencia temas como fake news e pós-verdade. A partir de políticas sociais no Brasil, esse protagonismo está na (in)consistência da informação e seus feixes de efeitos, os quais circulam na sociedade atual, sobretudo na internet. A abordagem qualitativa, de cunho bibliográfico, desenha estrategicamente o percurso metodológico desta investigação. E os estudos contemporâneos, como referenciais teóricos, elencam duas categorias: experiência e subjetividade. A discussão transversaliza o sujeito e seu desempenho como usuário/a-interator/a na cultura digital. Os resultados aqui apontam para a condição humana em expansão, verificada para além de natureza e virtualidade, pois há uma expectativa de (re)considerar o ideal de protagonismo.</p> <p>Submetido em: 02/03/2020<br>Aceito em: 29/05/2020</p> Wilton GARCIA ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 27 40 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p27-40 Protagonismo estudantil http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/10685 <p>Muitos educadores estão bem preocupados com a escola na qual grande parte dos estudantes não se sente bem, não tem motivação para estudar, sobretudo termina o Ensino Médio sem aprender quase nada, em especial em matemática. Esta prostração aparece na Base Nacional Comum Curricular, no capítulo sobre o Ensino Médio, onde se fala, de modo muito surpreendente, de recriação da escola e, depois, do itinerário formativo e projeto de vida, no contexto do protagonismo estudantil que, de fato, implicaria virar a escola pelo avesso. Esta ideia faz a escola atual tremer na base, porque logo se imagina dispensar o professor, em especial dispensar as aulas e quebrar os 45 minutos de aula. Vamos tentar neste texto defender a ideia de fazer experimentos localizados e bem burilados de estudantes que conduzem sua própria aprendizagem, com participação muito ativa dos docentes, na posição de orientadores e avaliadores, sobretudo, de compromisso pedagógico formativo. </p> <p>Submetido em: 02/05/2020<br>Aceito em: 15/06/2020</p> Pedro DEMO Renan Antônio da SILVA ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 71 92 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p71-92 Direitos Humanos, Educação e Diversidade Sexual http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/10686 <p>Desde 17 de maio de 1990, com a retirada da Classificação Internacional de Doenças (CID) da homossexualidade pela Organização Mundial da Saúde, esta data passa a ter um significado para milhões de pessoas no mundo, pois é uma primeira movimentação para se afastar as práticas homofóbicas, tão constantes e banalizadas. A intolerância, a discriminação, a violência e a opressão fazem parte de um agir nos últimos anos em vários locais, sendo que, em alguns Estados, tais práticas são legalizadas e até consentidas por muitos, o que não pode prevalecer. Nesse contexto, o presente artigo estuda e aborda os direitos humanos e o tratamento conferido pela Declaração Universal dos Direitos Humanos a todas as pessoas, ou seja, reconhece-se a dignidade inerente a todos os membros da família humana, sendo todos dotados de liberdade e igualdade, nos moldes do preâmbulo e artigo 1º da Declaração. O que se almeja é a expansão da proteção a todos, a universalidade, independente de suas escolhas pessoais e afetivas. Essa questão da vida social tem sido pauta constante de matérias jornalísticas e recorrentes pedidos judiciais, especialmente pela ADo 26/DF.</p> <p>Submetido em: 27/11/2019<br>Aceito em: 12/04/2020</p> Cláudia Mansani Queda de TOLEDO Lúcia Helena Polleti BETTINI ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 109 122 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p109-122 Políticas públicas educacionais: construindo a cidadania nas prisões http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/10687 <p>A educação no cárcere visa promover formação e tem o papel de contribuir para a ressocialização e reinserção do indivíduo na sociedade. Este trabalho tem como objetivos i) descrever as Políticas Educacionais brasileiras para a educação no cárcere e seu panorama no estado de São Paulo; ii) compreender a relevância de se educar dentro do cárcere, como forma de resgate da dignidade e da cidadania e iii) compreender o posicionamento da sociedade civil sobre a educação do sujeito provado de liberdade. Como método, esta pesquisa realiza o uma revisão documental e da literatura, faz um levantamento nos marcos legais em sítios governamentais e apresenta uma pesquisa de opinião da sociedade civil acerca da educação do preso. Os resultados demonstraram que na letra da lei essa educação existe, que a sociedade concorda que a educação auxilia a ressocialização, índices estatísticos demonstram que há infraestrutura para que ela se efetive, mas na prática a violência e criminalidade apresentam índices alarmantes, principalmente dos sujeitos das classes sociais mais vulneráveis.</p> <p>Submetido em: 13/01/2020<br>Aceito em: 12/06/2020</p> Luiz Fernando da COSTA Francisco ITAPEMA NETO Luci Mendes de Melo BONINI ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 123 140 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p123-140 Evolução dos serviços prestados por um sindicato profissional e os impactos causados pelo fim da contribuição sindical obrigatória http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/10688 <p>O objetivo desta pesquisa é detectar a evolução dos serviços prestados por um sindicato profissional durante os anos de 2017, 2018 e 2019 e impactos causados pela reforma trabalhista de 2017 em relação ao fim da contribuição sindical obrigatória. Foi feita uma revisão bibliográfica para se conhecer o estado da arte sobre o assunto e entrevistas com o presidente, diretores, funcionários e sócios do sindicato, e também foram solicitados relatórios para todos os setores. Os resultados mostram que devido ao fim da contribuição sindical obrigatória, houve redução no fornecimento de alguns serviços; fechamento de unidade; e reestruturação organizacional para redução de custos. </p> <p>Submetido em: 02/02/2020<br>Aceito em: 26/05/2020</p> Luiz Teruo KAWAMOTO JÚNIOR Eduardo Seige IANAGUIVARA Wilson Yoshio TANAKA ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-07-28 2020-07-28 21 1 141 156 10.36311/1519-0110.2020.v21n1.p141-156 EDITORIAL http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9565 <p>Apresentamos aos leitores e às leitoras o número 2, do volume 20 de ORG&amp;DEMO relativo ao ano de 2019, que está composto por oito artigos. <br>A área de estudo das relações entre educação e trabalho foi perpassada, no processo de sua constituição e desenvolvimento, por debates teóricos, mudanças conceituais, definição e redefinição de problemáticas. A articulação do sistema de educação ou de unidades escolares com o sistema produtivo não constitui apenas um objeto de pesquisa, mas a mediação da estrutura de classes é o ponto fundamental que separa as teorias, mesmo quando os autores não tratam diretamente desta articulação. <br>Nessa perspectiva, ORG&amp;DEMO publica cinco artigos que apresentam alguns dos principais problemas e avanços teórico-práticos na temática educação e trabalho, definida de acordo com alguns temas e objetos de investigação.</p> Neusa Maria Dal Ri ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-18 2019-12-18 21 1 5 6 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.01.p5 A democracia participativa como esfera de reconhecimento http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9396 <p>Este artigo procura fazer uma análise da democracia, como instituição da modernidade, a partir dos novos movimentos sociais sustentados em paradigmas identitários, surgidos na segunda metade do século XX, e da teoria do reconhecimento que os acompanha. A partir desta análise, sobretudo sob o a teria de Axel Honneth, em especial em O Direito de Liberdade, constata-se as limitações das formas tradicionais de democracia (direta e representativa) para incorporarem as lutas dos movimentos sociais por reconhecimento e desenvolve-se a hipótese de que a democracia participativa surge para dar vazão a estas lutas e como reflexo e produto delas, bem como para resgatar a legitimidade da democracia como esfera institucional moderna.</p> <p>Submetido em: 28/10/2019<br>Aceito em: 05/12/2019</p> Evaldo José Guerreiro Filho ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-18 2019-12-18 21 1 143 162 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.08.p143 A relativa (e Pseudo-Centralizadora) revisão liberal presente no Manifesto de 1932 http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9466 <p><em>O Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova de 1932</em> simbolizou um marco nas discussões sobre as políticas educacionais que refletiram nas diretrizes filosóficas e ao papel que o Estado assumiria para a consubstanciação dessas políticas, o que produziu um importante arcabouço histórico para o pensamento social e educacional brasileiros. <em>Os Pioneiros da Educação Nova</em> se posicionavam perante as gerações de intelectuais pretéritas como um grupo dotado de capacidade inédita para realização de uma reforma social, por meio da educação, reclamada pelas bases produtivas no primeiro quarto do século XX, mas que eram obstadas, segundo eles, devido a inépcia das reformas parciais e principalmente pelo particularismo das oligarquias regionais. Nesse sentido, o documento redigido por Fernando de Azevedo trouxe de maneira indireta uma crítica ao liberalismo clássico adotado pelo federalismo do Estado brasileiro no período pós-monárquico, que objetivava trilhar novos caminhos para a atuação mais congruente do Estado (músculo central) com a realização dos postulados defendidos para o complexo educacional apresentados no documento. Ademais, mesmo atuando por meio de uma crítica àqueles particularismos o documento em questão não representou em sua finalidade subjetiva e objetiva um projeto alternativo para a sociabilidade brasileira e sim a realocação formal em novas bases universais a peculiaridade de nossa Revolução Burguesa, conservando a doutrina liberal de maneira particularizada.&nbsp;</p> <p>Submetido em: 17/11/2019<br>Aceito em: 10/12/2019</p> Marcelo Augusto Totti Adair Umberto Simonato Junior ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-18 2019-12-18 21 1 121 142 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.07.p121 La Educación Social como derecho de la ciudadanía: la profesión de educación social en España y en Europa. http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9562 <p>A profissão de Educador Social é uma profissão recente na Europa e ainda mais recente nos países do Sul da Europa, como é o caso de Espanha. Neste país, a Educação Social definiu-se como um direito de cidadania e destacou-se o seu caráter pedagógico. Em Espanha, a profissão surge entre os anos de 1990 e 2000, com o aparecimento da graduação em Educação Social nas Universidades e com a criação das Associações Profissionais nos diferentes territórios nacionais. Na Europa não existe um conceito comum, porque existe uma grande diversidade em relação a esta profissão, havendo países que a colocam em um ámbito mais amplo do Trabalho Social, outros que a consideram como uma profissão polivalente e outros que o que têm são profissionais muito especializados em ámbitos de trabalho próprios dos educadores e educadoras sociais.</p> <p>Submetido em: 27/09/2019<br>Aceito em: 04/11/2019</p> María-Isabel VIANA-ORTA Joan María SENENT SÁNCHEZ António George Gonçalves CAMACHO CAMACHO ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-18 2019-12-18 21 1 99 120 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.06.p99 Racionalidades Instrumental e Substantiva no Terceiro Setor http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9564 <p>Este ensaio teórico desenvolveu um estudo sobre as racionalidades instrumental e substantiva nas organizações do terceiro. O terceiro setor surge para fazer frente à incapacidade do Estado em atender às demandas da sociedade. Diferente das organizações produtivas, cujas ações são motivadas pela racionalidade instrumental, sua lógica é voltada para valores como solidariedade, reciprocidade e satisfação social. Por esse motivo, essas organizações são consideradas como substantivas, ou seja, suas ações são motivadas pela racionalidade substantiva. Observa-se, hoje, que a racionalidade instrumental se faz presente no terceiro setor, no qual se espera predominância da racionalidade substantiva. Contudo, como é possível afirmar que essas organizações são motivadas predominantemente pela racionalidade substantiva? A partir da utilização de um método adaptado do modelo de análise de racionalidade nas organizações proposto por Serva et al. (2015), o objetivo deste ensaio foi identificar as expressões das racionalidades instrumental e substantiva nas organizações do terceiro setor. Após a análise teórica, foi possível identificar as expressões das racionalidades instrumental e substantiva nas organizações do terceiro setor e constatar a predominância da racionalidade substantiva nessas organizações.</p> <p>Submetido em: 06/08/2019<br>Aceito em: 25/10/2019</p> Jean Carlos Mendes da ROCHA ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-18 2019-12-18 21 1 163 184 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.09.p163 A contraface do mundo do trabalho: narrativas sobre vidas e direitos de pessoas em situação de rua na cidade de Goiânia http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9324 <p>Este texto procura desenvolver uma análise das narrativas de pessoas em situação de rua em Goiânia, capital do Estado de Goiás. Portanto, analisaremos a promessa de inclusão no contrato moderno via a educação para o trabalho abstrato. Para realizar esse trabalho tomamos com referência os dados do Censo e Perfil da População de Rua realizado em Goiânia (2015), mais particularmente, nove entrevistas sobre trajetórias de vida. A partir dos dados pudemos observar que os valores morais do trabalho são parte do universo das pessoas, contudo, o trabalho mudou e suas mudanças interferiram de forma radical a vida das pessoas. A ideia foi se aproximar dos processos primeiramente descritos como necessários à educação para o trabalho abstrato, para depois, buscar compreender, como ainda hoje, por meio de suas próprias narrativas, esses outros sujeitos, presentes nas sombras desses acontecimentos que deram forma ao mundo do trabalho moderno, e que povoaram as cidades e burgos europeus dos séculos XV ao XVIII, voltam a dominar a paisagem das áreas centrais das grandes cidades. Agora, esse sujeito, já disciplinado, vê-se, ao não participar do mundo do trabalho para qual foi educado, como um excluído da sociedade. O que era estranhamento e resistência, agora é desejo que não insiste em não se concretizar.</p> <p>Submetido em: 23/09/2019<br>Aceito em: 04/11/2019</p> Ricardo Barbosa de Lima Lucas Sena de Souza Dembogurski Dijaci David de Oliveira ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-11 2019-12-11 21 1 41 58 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.03.p41 Mudanças na regulação do mercado de trabalho no Brasil: percepções e impactos sobre o emprego http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9521 <p>O texto analisa o comportamento do mercado de trabalho no período entre 2012 e 2018. A partir das informações disponíveis na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (Pnadc) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o trabalho destaca as principais alterações ocorridas neste mercado. A hipótese do estudo é de que, mesmo ao longo do período mais vigoroso, problemas estruturais da economia colocaram um grande contingente de trabalhadores em condições de precariedade em relação à inserção no mercado. Posteriormente, alterações na legislação trabalhista exerceram influências significativas sobre o comportamento desse mercado e, junto com a crise econômica, acentuaram o quadro de precarização. No tocante ao levantamento dos dados é importante destacar que as alterações implementadas pela Pnadc possibilitaram identificar, de modo mais detalhado, as fragilidades no mercado de trabalho brasileiro, seguindo as recomendações da última reunião da Organização Internacional do Trabalho a respeito da caracterização da desocupação. A partir das novas categorias que surgiram, demonstram-se, ao longo do período analisado, aspectos que as taxas de desocupação ocultaram.</p> <p>Submetido em: 18/06/2019<br>Aceito em: 04/08/2019</p> Jefferson Mariano Lívia Inglesis Barcellos ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-11 2019-12-11 21 1 59 78 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.04.p59 A prevenção e o combate do trabalho escravo de imigrantes no brasil por meio da educação em direitos humanos http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9524 <p>O presente texto tem como objetivo analisar o trabalho escravo contemporâneo no Brasil, notadamente sob a perspectiva de seu combate e prevenção por meio da educação em direitos humanos. A pesquisa justifica-se em razão de se tratar de uma prática violadora de direitos humanos fundamentais, ainda amplamente presente em várias partes do país, constituindo um problema que precisa ser enfrentado seriamente tanto pelas autoridades estatais como pela sociedade em geral. No desenvolvimento do texto, em um primeiro momento é feita uma breve análise da história da escravidão no Brasil, do trabalho escravo contemporâneo que acontece no país e de alguns aspectos correlatos à questão; na sequência aborda-se a intensificação dos fluxos migratórios e a proteção normativa dos trabalhadores migrantes, tanto no contexto nacional como internacional; ao final é analisada a educação em direitos humanos como mecanismo de prevenção e erradicação do trabalho escravo, concluindo-se que esse espécie de educação precisa ser amplamente fortalecida e melhor implementada no país, uma vez que pode constituir uma importante ferramenta para o enfrentamento da questão no país. Na pesquisa é empregado o método dedutivo, lançando-se mão de sólida fundamentação teórica, pautada em pesquisa à doutrina autorizada, tanto de índole nacional quanto internacional, dados estatísticos oficiais, visando a uma adequada formulação, desenvolvimento e conclusão dos pontos desenvolvidos.</p> <p>Submetido em: 19/09/2019<br>Aceito em: 08/11/2019</p> Aline Oliveira Gotardo Luciano Meneguetti Pereira ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-11 2019-12-11 21 1 7 40 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.02.p7 Aprendizado e Serviço (ApS): uma alternativa para a educação para a cidadania http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9525 <p>Este artigo tem como objetivo contextualizar o conceito de Aprendizado e Serviço, no âmbito das estratégias de treinamento que ele reúne, como capacitação para cidadania e mudança social. Pretende-se, não apenas a descrição metodológica, mas também refletir sobre esse tipo de capacidades e como elas podem ser construídas, do ponto de vista deontológico, em uma educação formal ou não formal. Para isso, o texto começa com o contexto macro da educação em valores e para a cidadania, coloca nesse contexto o Aprendizado e o Serviço analisando sua contribuição para essa educação, focando progressivamente a discussão em um caso prático, convenientemente refletido.</p> <p>Submetido em: 19/09/2019<br>Aceito em: 30/10/2019</p> Beatriz García Dávila Vicente Palop Esteban ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-12-11 2019-12-11 21 1 79 98 10.36311/1519-0110.2019.v20n2.05.p79 Formação de professores: currículo mínimo e política educacional da ditadura civil-militar (1964-1985) http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/7678 <p>O texto discute as implicações e as concepções educacionais implantadas durante o período da Ditadura Civil-Militar (1964-1985), em que o tecnicismo e a fragmentação do conhecimento acabaram por serem reforçados e consolidados no sistema educacional do país, inclusive na formação de professores (as). A educação passou a ser organizada com um caráter técnico, reforçando tendências históricas de ofertar tipos distintos de ensino, conforme a classe social atendida. Entender a educação hoje passa pela compreensão histórica, na qual a usaram para cumprir um papel de transmissora de ideologia, particularmente no momento em que a rede pública de ensino sofreu com o processo de modernização. Buscou-se em documentos oficiais e não oficiais informações que nortearam a implantação do tecnicismo no campo educacional, além de analisar-se o processo de fragmentação do conhecimento decorrente de tal concepção tecnicista, que levou ao esvaziamento no currículo de várias disciplinas. Trata-se de pesquisa de cunho qualitativo interpretativo, cujo procedimento principal foi a pesquisa bibliográfica, com levantamento de obras e artigos em bases de dados com informações importantes sobre as definições das concepções de ensino no período determinado.</p> <p>Submetido em: 25/04/2019<br>Aceito em: 30/06/2019</p> Renata Bento LEME Tania Suely Antonelli Marcelino BRABO ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2019-10-04 2019-10-04 21 1 83 98 10.36311/1519-0110.2019.v20n1.06.p83