http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/issue/feed Revista ORG & DEMO 2020-02-25T10:28:47-03:00 Neusa Maria Dal Ri neusa@marilia.unesp.br Open Journal Systems <p>A Revista <strong>ORG &amp; DEMO</strong> é uma publicação semestral do Grupo de Pesquisa Organizações e Democracia da Universidade Estadual Paulista (UNESP) destinada a promover a socialização do conhecimento e resultados de pesquisas produzidas por cientistas sociais nacionais e internacionais.</p> <p>&nbsp;A sua denominação é <strong>ORG &amp; DEMO</strong>, que deve ser usada em bibliografias, notas de rodapé e em referências e legendas bibliográficas.</p> http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9565 EDITORIAL 2020-01-24T09:46:31-02:00 Neusa Maria Dal Ri neusamdr@terra.com.br <p>Apresentamos aos leitores e às leitoras o número 2, do volume 20 de ORG&amp;DEMO relativo ao ano de 2019, que está composto por oito artigos. <br>A área de estudo das relações entre educação e trabalho foi perpassada, no processo de sua constituição e desenvolvimento, por debates teóricos, mudanças conceituais, definição e redefinição de problemáticas. A articulação do sistema de educação ou de unidades escolares com o sistema produtivo não constitui apenas um objeto de pesquisa, mas a mediação da estrutura de classes é o ponto fundamental que separa as teorias, mesmo quando os autores não tratam diretamente desta articulação. <br>Nessa perspectiva, ORG&amp;DEMO publica cinco artigos que apresentam alguns dos principais problemas e avanços teórico-práticos na temática educação e trabalho, definida de acordo com alguns temas e objetos de investigação.</p> 2019-12-18T18:05:52-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9396 A democracia participativa como esfera de reconhecimento 2020-01-24T16:25:07-02:00 Evaldo José Guerreiro Filho evaldoguerreiro@yahoo.com.br <p>Este artigo procura fazer uma análise da democracia, como instituição da modernidade, a partir dos novos movimentos sociais sustentados em paradigmas identitários, surgidos na segunda metade do século XX, e da teoria do reconhecimento que os acompanha. A partir desta análise, sobretudo sob o a teria de Axel Honneth, em especial em O Direito de Liberdade, constata-se as limitações das formas tradicionais de democracia (direta e representativa) para incorporarem as lutas dos movimentos sociais por reconhecimento e desenvolve-se a hipótese de que a democracia participativa surge para dar vazão a estas lutas e como reflexo e produto delas, bem como para resgatar a legitimidade da democracia como esfera institucional moderna.</p> <p>Submetido em: 28/10/2019<br>Aceito em: 05/12/2019</p> 2019-12-18T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9466 A relativa (e Pseudo-Centralizadora) revisão liberal presente no Manifesto de 1932 2020-01-24T16:21:27-02:00 Marcelo Augusto Totti marcelo.totti@unesp.br Adair Umberto Simonato Junior ajsimonato@yahoo.com.br <p><em>O Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova de 1932</em> simbolizou um marco nas discussões sobre as políticas educacionais que refletiram nas diretrizes filosóficas e ao papel que o Estado assumiria para a consubstanciação dessas políticas, o que produziu um importante arcabouço histórico para o pensamento social e educacional brasileiros. <em>Os Pioneiros da Educação Nova</em> se posicionavam perante as gerações de intelectuais pretéritas como um grupo dotado de capacidade inédita para realização de uma reforma social, por meio da educação, reclamada pelas bases produtivas no primeiro quarto do século XX, mas que eram obstadas, segundo eles, devido a inépcia das reformas parciais e principalmente pelo particularismo das oligarquias regionais. Nesse sentido, o documento redigido por Fernando de Azevedo trouxe de maneira indireta uma crítica ao liberalismo clássico adotado pelo federalismo do Estado brasileiro no período pós-monárquico, que objetivava trilhar novos caminhos para a atuação mais congruente do Estado (músculo central) com a realização dos postulados defendidos para o complexo educacional apresentados no documento. Ademais, mesmo atuando por meio de uma crítica àqueles particularismos o documento em questão não representou em sua finalidade subjetiva e objetiva um projeto alternativo para a sociabilidade brasileira e sim a realocação formal em novas bases universais a peculiaridade de nossa Revolução Burguesa, conservando a doutrina liberal de maneira particularizada.&nbsp;</p> <p>Submetido em: 17/11/2019<br>Aceito em: 10/12/2019</p> 2019-12-18T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9562 La Educación Social como derecho de la ciudadanía: la profesión de educación social en España y en Europa. 2020-01-24T16:17:18-02:00 María-Isabel VIANA-ORTA M.Isabel.Viana@uv.es Joan María SENENT SÁNCHEZ joan.m.senent@uv.es António George Gonçalves CAMACHO CAMACHO george.camacho@ese.ipsantarem.pt <p>A profissão de Educador Social é uma profissão recente na Europa e ainda mais recente nos países do Sul da Europa, como é o caso de Espanha. Neste país, a Educação Social definiu-se como um direito de cidadania e destacou-se o seu caráter pedagógico. Em Espanha, a profissão surge entre os anos de 1990 e 2000, com o aparecimento da graduação em Educação Social nas Universidades e com a criação das Associações Profissionais nos diferentes territórios nacionais. Na Europa não existe um conceito comum, porque existe uma grande diversidade em relação a esta profissão, havendo países que a colocam em um ámbito mais amplo do Trabalho Social, outros que a consideram como uma profissão polivalente e outros que o que têm são profissionais muito especializados em ámbitos de trabalho próprios dos educadores e educadoras sociais.</p> <p>Submetido em: 27/09/2019<br>Aceito em: 04/11/2019</p> 2019-12-18T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9564 Racionalidades Instrumental e Substantiva no Terceiro Setor 2020-01-24T16:29:24-02:00 Jean Carlos Mendes da ROCHA jean.rocha@outlook.com <p>Este ensaio teórico desenvolveu um estudo sobre as racionalidades instrumental e substantiva nas organizações do terceiro. O terceiro setor surge para fazer frente à incapacidade do Estado em atender às demandas da sociedade. Diferente das organizações produtivas, cujas ações são motivadas pela racionalidade instrumental, sua lógica é voltada para valores como solidariedade, reciprocidade e satisfação social. Por esse motivo, essas organizações são consideradas como substantivas, ou seja, suas ações são motivadas pela racionalidade substantiva. Observa-se, hoje, que a racionalidade instrumental se faz presente no terceiro setor, no qual se espera predominância da racionalidade substantiva. Contudo, como é possível afirmar que essas organizações são motivadas predominantemente pela racionalidade substantiva? A partir da utilização de um método adaptado do modelo de análise de racionalidade nas organizações proposto por Serva et al. (2015), o objetivo deste ensaio foi identificar as expressões das racionalidades instrumental e substantiva nas organizações do terceiro setor. Após a análise teórica, foi possível identificar as expressões das racionalidades instrumental e substantiva nas organizações do terceiro setor e constatar a predominância da racionalidade substantiva nessas organizações.</p> <p>Submetido em: 06/08/2019<br>Aceito em: 25/10/2019</p> 2019-12-18T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9324 A contraface do mundo do trabalho: narrativas sobre vidas e direitos de pessoas em situação de rua na cidade de Goiânia 2020-01-24T16:00:53-02:00 Ricardo Barbosa de Lima ricardobl@ufg.br Lucas Sena de Souza Dembogurski lucas.demb@hotmail.com Dijaci David de Oliveira dijaci@ufg.br <p>Este texto procura desenvolver uma análise das narrativas de pessoas em situação de rua em Goiânia, capital do Estado de Goiás. Portanto, analisaremos a promessa de inclusão no contrato moderno via a educação para o trabalho abstrato. Para realizar esse trabalho tomamos com referência os dados do Censo e Perfil da População de Rua realizado em Goiânia (2015), mais particularmente, nove entrevistas sobre trajetórias de vida. A partir dos dados pudemos observar que os valores morais do trabalho são parte do universo das pessoas, contudo, o trabalho mudou e suas mudanças interferiram de forma radical a vida das pessoas. A ideia foi se aproximar dos processos primeiramente descritos como necessários à educação para o trabalho abstrato, para depois, buscar compreender, como ainda hoje, por meio de suas próprias narrativas, esses outros sujeitos, presentes nas sombras desses acontecimentos que deram forma ao mundo do trabalho moderno, e que povoaram as cidades e burgos europeus dos séculos XV ao XVIII, voltam a dominar a paisagem das áreas centrais das grandes cidades. Agora, esse sujeito, já disciplinado, vê-se, ao não participar do mundo do trabalho para qual foi educado, como um excluído da sociedade. O que era estranhamento e resistência, agora é desejo que não insiste em não se concretizar.</p> <p>Submetido em: 23/09/2019<br>Aceito em: 04/11/2019</p> 2019-12-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9521 Mudanças na regulação do mercado de trabalho no Brasil: percepções e impactos sobre o emprego 2020-01-24T16:05:00-02:00 Jefferson Mariano jefferson.mariano@ibge.gov.br Lívia Inglesis Barcellos liviaibarcellos@gmail.com <p>O texto analisa o comportamento do mercado de trabalho no período entre 2012 e 2018. A partir das informações disponíveis na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (Pnadc) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o trabalho destaca as principais alterações ocorridas neste mercado. A hipótese do estudo é de que, mesmo ao longo do período mais vigoroso, problemas estruturais da economia colocaram um grande contingente de trabalhadores em condições de precariedade em relação à inserção no mercado. Posteriormente, alterações na legislação trabalhista exerceram influências significativas sobre o comportamento desse mercado e, junto com a crise econômica, acentuaram o quadro de precarização. No tocante ao levantamento dos dados é importante destacar que as alterações implementadas pela Pnadc possibilitaram identificar, de modo mais detalhado, as fragilidades no mercado de trabalho brasileiro, seguindo as recomendações da última reunião da Organização Internacional do Trabalho a respeito da caracterização da desocupação. A partir das novas categorias que surgiram, demonstram-se, ao longo do período analisado, aspectos que as taxas de desocupação ocultaram.</p> <p>Submetido em: 18/06/2019<br>Aceito em: 04/08/2019</p> 2019-12-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9524 A prevenção e o combate do trabalho escravo de imigrantes no brasil por meio da educação em direitos humanos 2020-01-24T15:56:20-02:00 Aline Oliveira Gotardo aline_gotardo@live.com Luciano Meneguetti Pereira lmeneguetti@gmail.com <p>O presente texto tem como objetivo analisar o trabalho escravo contemporâneo no Brasil, notadamente sob a perspectiva de seu combate e prevenção por meio da educação em direitos humanos. A pesquisa justifica-se em razão de se tratar de uma prática violadora de direitos humanos fundamentais, ainda amplamente presente em várias partes do país, constituindo um problema que precisa ser enfrentado seriamente tanto pelas autoridades estatais como pela sociedade em geral. No desenvolvimento do texto, em um primeiro momento é feita uma breve análise da história da escravidão no Brasil, do trabalho escravo contemporâneo que acontece no país e de alguns aspectos correlatos à questão; na sequência aborda-se a intensificação dos fluxos migratórios e a proteção normativa dos trabalhadores migrantes, tanto no contexto nacional como internacional; ao final é analisada a educação em direitos humanos como mecanismo de prevenção e erradicação do trabalho escravo, concluindo-se que esse espécie de educação precisa ser amplamente fortalecida e melhor implementada no país, uma vez que pode constituir uma importante ferramenta para o enfrentamento da questão no país. Na pesquisa é empregado o método dedutivo, lançando-se mão de sólida fundamentação teórica, pautada em pesquisa à doutrina autorizada, tanto de índole nacional quanto internacional, dados estatísticos oficiais, visando a uma adequada formulação, desenvolvimento e conclusão dos pontos desenvolvidos.</p> <p>Submetido em: 19/09/2019<br>Aceito em: 08/11/2019</p> 2019-12-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9525 Aprendizado e Serviço (ApS): uma alternativa para a educação para a cidadania 2020-01-24T16:09:37-02:00 Beatriz García Dávila beatriz.garcia@feyalegria.org.ec Vicente Palop Esteban vicente.palop@esj.es <p>Este artigo tem como objetivo contextualizar o conceito de Aprendizado e Serviço, no âmbito das estratégias de treinamento que ele reúne, como capacitação para cidadania e mudança social. Pretende-se, não apenas a descrição metodológica, mas também refletir sobre esse tipo de capacidades e como elas podem ser construídas, do ponto de vista deontológico, em uma educação formal ou não formal. Para isso, o texto começa com o contexto macro da educação em valores e para a cidadania, coloca nesse contexto o Aprendizado e o Serviço analisando sua contribuição para essa educação, focando progressivamente a discussão em um caso prático, convenientemente refletido.</p> <p>Submetido em: 19/09/2019<br>Aceito em: 30/10/2019</p> 2019-12-11T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/7678 Formação de professores: currículo mínimo e política educacional da ditadura civil-militar (1964-1985) 2020-02-25T10:28:35-03:00 Renata Bento LEME rb.leme@yahoo.com.br Tania Suely Antonelli Marcelino BRABO tamb@terra.com.br <p>O texto discute as implicações e as concepções educacionais implantadas durante o período da Ditadura Civil-Militar (1964-1985), em que o tecnicismo e a fragmentação do conhecimento acabaram por serem reforçados e consolidados no sistema educacional do país, inclusive na formação de professores (as). A educação passou a ser organizada com um caráter técnico, reforçando tendências históricas de ofertar tipos distintos de ensino, conforme a classe social atendida. Entender a educação hoje passa pela compreensão histórica, na qual a usaram para cumprir um papel de transmissora de ideologia, particularmente no momento em que a rede pública de ensino sofreu com o processo de modernização. Buscou-se em documentos oficiais e não oficiais informações que nortearam a implantação do tecnicismo no campo educacional, além de analisar-se o processo de fragmentação do conhecimento decorrente de tal concepção tecnicista, que levou ao esvaziamento no currículo de várias disciplinas. Trata-se de pesquisa de cunho qualitativo interpretativo, cujo procedimento principal foi a pesquisa bibliográfica, com levantamento de obras e artigos em bases de dados com informações importantes sobre as definições das concepções de ensino no período determinado.</p> <p>Submetido em: 25/04/2019<br>Aceito em: 30/06/2019</p> 2019-10-04T08:44:21-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9116 Agronegócio e Agrotóxico: uma parceria para o (in) sucesso da produção de alimentos 2020-02-25T10:28:37-03:00 Raimunda Áurea Dias de SOUSA aurea.souza@upe.br Luciano Alves PEREIRA aurea.souza@upe.br <p>O pacote tecnológico de modernização na agricultura brasileira acompanhou o discurso global de combate à fome, especialmente, nos países subdesenvolvidos como o Brasil. Essa política se consolida, todavia, com a transformação dos produtos em <em>commodities</em> com o intuito de exportar para Europa e Estados Unidos e assim, obter maiores rendimentos. Nesse sentido, o presente trabalho tem por objetivo, analisar o agronegócio e os agrotóxicos no campo, como parceiros inseparáveis na busca pelo (in)sucesso da produção de alimentos indispensáveis à existência do ser humano. A percepção do (in)sucesso encontra-se na consolidação do agronegócio que tem promovido a concentração de terras, utilização excessiva de agrotóxicos, produção de sementes transgênicas, imposição de&nbsp; pacotes tecnológicos à agricultura familiar, retirando dela a soberania alimentar.</p> <p>Submetido em: 25/06/2019<br>Aceito em: 30/06/2019</p> 2019-10-04T08:15:29-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9305 Editorial 2020-02-25T10:28:38-03:00 Neusa Maria Dal Ri neusamdr@terra.com.br <p>Apresentamos aos leitores e às leitoras o número 1, do volume 20 de ORG&amp;DEMO relativo ao ano de 2019, que está composto por seis artigos. O primeiro artigo apresentado denomina-se Régimen de trabajo y participación en los procesos de recuperación de empresas en Argentina en el nuevo siglo e foi escrito por María Victoria Deux Marzi da Universidad Nacional de Rosario, Argentina. O segundo artigo é intitulado Agronegócio e agratóxico: uma parceria para o (in)sucesso da produção de alimentos e foi elaborado por Raimunda Áurea Dias de Sousa e Luciano Alves Pereira da Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina.&nbsp;O terceiro artigo apresentado foi elaborado por José Marcos Nunes Benevenute, Sheila Ataíde Domingues de Souza e Ângela Maria do Amaral Abreu Carvalho do Instituto Federal do Espírito Santo, Campus de Alegre.&nbsp;Problemáticas que dificultan el desarrollo de investigaciones en escuelas secundarias de sectores medios-altos. Dos experiencias en la Provincia de Buenos Aires, Argentina é o título do quarto artigo escrito por Pablo Kopelovich da Universidad Nacional de La Plata, Argentina.&nbsp;O quinto artigo foi escrito por Renata Bento Leme, da Universidade Estadual de Londrina, Paraná, e Tania Suely Antonelli Marcelino Brabo da Universidade Estadual Paulista, Campus de Marília, São Paulo.&nbsp;Traços de pesquisa no cotidiano docente: os horários pedagógicos como oportunidade de estudos é o sexto artigo apresentado e foi elaborado por Débora Roquini de Souza e Celso Vallin da Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais.</p> <p>Aos nossos leitores e leitoras desejamos uma boa leitura.</p> 2019-06-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/7894 Qualidade de Vida no Trabalho: a percepção dos servidores públicos 2020-02-25T10:28:42-03:00 José Marcos Nunes BENEVENUTE jmbenevenute@ifes.edu.br Sheila Ataíde Domingues de SOUZA sadsouza@ifes.edu.br Ângela Maria do Amaral Abreu CARVALHO amaabreu@ifes.edu.br <p class="Standard">O estudo objetivou investigar junto aos trabalhadores quais aspectos que podem influenciar na qualidade de vida no trabalho e oferecer elementos para o desenvolvimento de ações futuras que contribuam para um ambiente laboral de bem-estar e satisfação. Utilizou-se metodologia quantitativa de corte transversal por meio de questionário criado por Walton (1973) que avalia qualidade de vida no trabalho em 8 dimensões e 36 subdimensões.&nbsp; Os resultados indicaram&nbsp; que&nbsp;&nbsp; existe satisfação com o trabalho na maioria das dimensões avaliadas, o que sugere um ambiente de trabalho que contribui para a boa qualidade de vida dos servidores. Contudo, em todas as dimensões avaliadas existe algum grau de insatisfação e um elevado número de neutralidade possibilitando inferir que o método adotado pode não ter contribuído para expressões mais genuínas.</p> <p class="Standard">Submetido em: 23/05/2018<br>Aceito em: 10/06/2019</p> 2019-06-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/8459 Problemáticas que dificultam o desenvolvimento de pesquisas em escolas de ensino médio de setores medios-altos. Duas experiências no Estado de Buenos Aires, Argentina 2020-02-25T10:28:41-03:00 Pablo KOPELOVICH kopelovichp@gmail.com <pre id="tw-target-text" class="tw-data-text tw-ta tw-text-small" dir="ltr" data-placeholder="Traducción" data-fulltext="">Este artigo tem como objetivo apresentar e desenvolver uma série de reflexões sobre as dificuldades apresentadas ao se ingressar na investigação de problemas ao redor do corpo de escolas de ensino médio de elite ou setores médios-altos da sociedade. Refere-se ao início e desenvolvimento de um trabalho de campo, a partir da metodologia qualitativa, que inclui, por exemplo, observação participante e entrevistas em profundidade com atores sociais. Para isso, duas experiências estão incluídas em instituições de ensino da província de Buenos Aires, Argentina. Estima-se que esta é uma questão que contribuiria para a compreensão do modo de funcionamento desses tipos de instituições, além de contribuir para a discussão sobre metodologia de pesquisa. Ou seja, poderia ser tomada como uma característica importante das escolas em relação, por exemplo, ao modo de ver, pensar, imaginar, tratar, outros, pessoas fora dos estabelecimentos. Pode-se também pensar no grau de fechamento social realizado por certos grupos.<br>Submetido em: 14/12/2018<br>Aceito em: 02/05/2019</pre> 2019-06-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/8848 Regime trabalhista e participação nos processos de recuperação de fábricas na Argentina no novo século 2020-02-25T10:28:40-03:00 María Victoria DEUX MARZI mvictoriadeux@gmail.com <p>Neste artigo descrevemos e analisamos os processos de recuperação de empresas desenvolvidas no período de 2000 a 2015. Vinte anos após as primeiras recuperações de empresas, é particularmente interessante analisar e caracterizar processos que conseguiram se manter com relativa estabilidade durante um período que consideramos aqui, transpôs a da recuperação estrita (estágio fundacional e recuperação incipiente). Assim, enfocando a fase de consolidação dos processos, nos questionamos sobre as características das formas econômicas e relações sociais efetivamente consolidadas nos processos analisados ?e sobre a natureza e abrangência das transformações que tanto relações econômicas e sociais). Tudo isso nos aproxima de saber se as novas configurações de trabalho constituem uma experiência de trabalho socialmente diferente.</p> <p>Submetido em: 10/04/2019<br>Aceito em: 01/06/2019</p> 2019-06-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9114 Traços de pesquisa no cotidiano docente: os horários pedagógicos como oportunidade de estudos 2020-02-25T10:28:39-03:00 Débora Roquini de SOUZA debora.roquini@gmail.com Celso VALLIN celso.vallin@gmail.com <p>A preocupação com um tempo para os estudos do professor nasceu em 1996 com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n° 9394 que definiu que os sistemas de ensino assegurariam um período reservado a estudos, planejamento e avaliação, incluídos na carga de trabalho. Considerando a palavra estudos, nos propomos a investigar que condições favorecem ou impossibilitam professores de estudar com o objetivo de conhecer como esses estudos auxiliam na articulação entre teoria e prática, ainda que não apresentem a sistematicidade exigida pela pesquisa científica. Trata-se de um estudo de caso descritivo na abordagem qualitativa com pesquisa de campo com professores do Ensino Fundamental de duas escolas estaduais do Sul de Minas Gerais. Encontramos traços de pesquisa no cotidiano docente e o caso de uma escola que resgatou o objetivo das reuniões pedagógicas que nos levou a concluir que é possível estudos mais aprofundados através do engajamento e participação dos professores. Ressaltamos uma relação entre pesquisa e formação continuada, apontando a necessidade de apoio das secretarias de ensino de modo que a pesquisa seja tratada como atitude cotidiana incluída na carga de trabalho.</p> <p>Submetido em: 19/01/2019<br>Aceito em: 10/06/2019</p> 2019-06-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/9306 Instruções aos Colaboradores 2019-10-04T08:57:08-03:00 Neusa Maria Dal Ri neusamdr@terra.com.br <p>ORG &amp; DEMO é uma publicação semestral do Grupo de Pesquisa Organizações e Democracia da Universidade Estadual Paulista (UNESP) e da Faculdade de Filosofia e Ciências, Campus de Marília. Destinada a promover a socialização do conhecimento e resultados de pesquisas de cientistas nacionais e internacionais, ORG &amp; DEMO aceita trabalhos inéditos, sob forma de artigos, comentários de livros, comunicações de pesquisas e também relatos de experiências autogestionárias ou de vivências democráticas das organizações. Os trabalhos deverão ter interesse acadêmico e social.</p> 2019-06-28T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/8357 RELAÇÕES DE GÊNERO E SEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: 2020-02-25T10:28:46-03:00 Valéria Pall ORIANI labeditorial@marilia.unesp.br Cláudio Rodrigues Silva silvanegrao@gmail.com <p>Trata-se de resenha de Tese de Doutorado em Educação, de autoria de Valéria Pall Oriani.</p> 2018-12-17T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/8677 EDITORIAL 2020-02-25T10:28:44-03:00 Neusa Maria Dal Ri neusamdr@terra.com.br <p>Apresentamos aos leitores e às leitoras o número 2, do volume 19 de ORG&amp;DEMO relativo ao ano de 2018.</p> 2018-12-17T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement## http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/orgdemo/article/view/8304 LEGISLACIÓN EN SALUD MENTAL Y ETNIA-RAZA 2020-02-25T10:28:47-03:00 Mónica Elizabeth Olaza López monicaolaza@hotmail.com Viviana Lorena CABRERA SANGUINETTI cuchota@gmail.com <p>El objetivo de este trabajo es presentar la incorporación del enfoque étnico?racial en las leyes de salud mental latinoamericanas. En el análisis documental se constató que a fines del siglo xx y principios del xxi comienzan, a nivel global y particularmente en América, los cambios de paradigma a nivel multidimensional y cultural; en esta línea, resurgen culturas que por mucho tiempo estuvieron «olvidadas». En 2005, lo étnico-racial toma mayor protagonismo dentro del Estado uruguayo, debido, en parte, a condiciones de salud desfavorables y a inequidades sociales de larga data: esto provocó cambios en los principios rectores de las políticas públicas. Dentro de estos principios se destacan la equidad, la promoción y la prevención: ellos se ven reflejados en las directivas de las leyes de salud mental analizadas. También se reconoce la importancia de no ser discriminados ni por tener un trastorno mental ni por el color de piel. De todas formas, consideramos que falta aún mucho camino por recorrer para fortalecer y mejorar aquellas políticas que buscan ser más igualitarias.</p> 2018-12-17T00:00:00-02:00 ##submission.copyrightStatement##