Mudanças na regulação do mercado de trabalho no Brasil: percepções e impactos sobre o emprego

Palavras-chave: Trabalho, Desemprego, Reforma Trabalhista, Mídia

Resumo

O texto analisa o comportamento do mercado de trabalho no período entre 2012 e 2018. A partir das informações disponíveis na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (Pnadc) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o trabalho destaca as principais alterações ocorridas neste mercado. A hipótese do estudo é de que, mesmo ao longo do período mais vigoroso, problemas estruturais da economia colocaram um grande contingente de trabalhadores em condições de precariedade em relação à inserção no mercado. Posteriormente, alterações na legislação trabalhista exerceram influências significativas sobre o comportamento desse mercado e, junto com a crise econômica, acentuaram o quadro de precarização. No tocante ao levantamento dos dados é importante destacar que as alterações implementadas pela Pnadc possibilitaram identificar, de modo mais detalhado, as fragilidades no mercado de trabalho brasileiro, seguindo as recomendações da última reunião da Organização Internacional do Trabalho a respeito da caracterização da desocupação. A partir das novas categorias que surgiram, demonstram-se, ao longo do período analisado, aspectos que as taxas de desocupação ocultaram.

Submetido em: 18/06/2019
Aceito em: 04/08/2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jefferson Mariano, Faculdade Cásper Líbero

Analista Socioeconômico da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e professor da Faculdade Cásper Líbero. São Paulo, São Paulo, Brasil.

Lívia Inglesis Barcellos, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Bauru. Bauru, São Paulo, Brasil.

Publicado
2019-12-11
Seção
Artigos