A Batalha da Síria e a nova geopolítica do Oriente Médio

  • Marcelo Buzetto Pós-doutorando em Ciências Sociais UNESP – Marília, professor do Instituto Federal São Paulo (IFSP) – Campus São Roque e do Centro Universitário Fundação Santo André; membro do Núcleo de Estudos de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS-PUC/SP).
Palavras-chave: Guerra na Síria, imperialismo, política externa dos EUA no Oriente Médio.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar o papel e os interesses dos EUA e seus aliados regionais na guerra que está se desenvolvendo na República Árabe Síria desde 2011. Partimos do pressuposto que o governo dos EUA é o único país do mundo que patrocina, ao mesmo, tempo, inúmeras “guerras híbridas”, “guerras por procuração”, se utilizando de táticas conhecidas da época da Guerra Fria, como as “operações de guerra psicológica” e a “guerra de informação”. Consideramos que a Batalha da Síria e seus ensinamentos estão mudando o equilíbrio de forças na geopolítica do Oriente Médio, interrompendo um desejo do imperialismo estadunidense, que é o controle absoluto do território que vai do Mar Mediterrâneo ao Golfo Pérsico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-06-30