OS LIMITES TEÓRICOS (E POLÍTICOS) DA TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Luiz Eduardo MOTTA

Resumo


O presente artigo tem como escopo mostrar as fragilidades de caráter teórico da chamada Teoria das Organizações e da Administração Pública. De acordo com os manuais da Teoria das Organizações, Weber seria o “fundador” da burocracia moderna o que o associaria à denominada Escola Clássica da Administração, tratando-o como um autor normativo. Já na Administração Pública o problema refere-se à incompreensão do conceito de Estado moderno (ou Estado capitalista) já que há um forte predomínio da corrente neoinstitucionalista. Em oposição a esses falsos argumentos será analisada a contribuição crítica de Max Weber ao papel da burocracia moderna, como também a perspectiva do Estado relacional de Nicos Poulantzas que inovou o marxismo e a ciência política com essa nova concepção sobre o Estado moderno.

Texto completo:

PDF