ESTATUTO ONTOLÓGICO DA TEORIA SOCIAL MARXIANA E “QUESTÃO DO MÉTODO”

Pablo Polese de QUEIROZ

Resumo


Neste texto expomos as principais questões que permeiam e constituem a teoria do conhecimento em K. Marx, tendo como eixo a questão do trabalho como fundamento ontológico do método científico. Demonstramos, pautado especialmente nos trabalhos de G. Lukács e I. Mészáros, o caráter ontológico do pensamento de Marx e quais são os elementos teóricos fundamentais a serem observados no entendimento da relação entre ontologia, epistemologia e método. Para Marx, qualquer categoria científica só adquire concretude quando assentada nos fundamentos que tornam o Homem, Homem. Uma vez estatuída a base ontológica que sustenta a produção das ideias, “sujeito” e “objeto” do conhecimento aparecem enquanto unidade (que não deve ser confundida com identidade), enquanto subjetividade humana objetivada e enquanto realidade apreendida subjetivamente, de forma aproximativa, através das formas específicas de espelhamento ideal da realidade. O núcleo do texto reside na concepção que entende ser a categoria trabalho o “ponto de Arquimedes” de toda a teoria marxiana e que qualquer tentativa de resolução da problemática do método deve ter presente o caráter central determinante dessa categoria no Mundo dos Homens.

Texto completo:

PDF