CORRELACIONISMO E SUBJETALISMO DE MEILLASSOUX COMO CHAVE DE LEITURA DA HISTÓRIA DA FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA FRANCESA

  • Thiago Luiz de Sousa Doutorando no Programa de Pós-graduação em Filosofia (PPGFIL) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: Correlacionismo, Subjetalismo, Quentin Meillassoux, História da filosofia contemporânea francesa

Resumo

A história da filosofia é marcada por eventos singulares que servem de base interpretativa para compreensão do pensamento de um grupo ou de uma época. Neste sentido, esse estudo trata de modos de classificação e tipologia da filosofia contemporânea, em particular da filosofia contemporânea francesa. Partindo das caracterizações já tomadas como canônicas, em especial a de giro linguístico (linguistic turn), apresentada por Michael Dummett em Origins of analytical philosophy, e a de giro teológico (theological turn), apresentada por Dominique Janicaud em Phenomenology and the "theological turn": the French debate, pretende-se interrogar em que medida os conceitos de correlacionismo (corrélationisme) e subjetalismo (subjectalisme), apresentados por Quentin Meillassoux em Après La Finitude: Essai sur la Nécessité de la Contingence e em Interação, reiteração, repetição - Uma análise especulativa do signo desprovido de sentido, podem superar as lacunas daquelas. Com isso, almeja-se uma complementação do esboço feito por Alain Badiou sobre a história da filosofia contemporânea francesa em A aventura da filosofia francesa no século XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-31
Seção
Artigos