A MÚSICA DA FILOSOFIA DE ADORNO

  • Rafael Reis POMBO (UFU)
Palavras-chave: Filosofia interpretativa. Música atonal. Conceito. Dificuldade.

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar algumas afinidades estruturais existentes entre a filosofia de Adorno e a música de Schoenberg. A mais evidente delas é a dificuldade intencional de apreensão das obras de ambos os autores, que se demonstra possuir um motivo social e um motivo técnico. Vemos também a semelhança de alguns procedimentos adotados pela música atonal com procedimentos utilizados por Adorno em seu projeto filosófico, o que confere o mesmo estatuto e importância à tensão presente nos discursos. O estudo procura,
dessa forma, discutir como e porque o filósofo se aproxima da linguagem da arte, da música e, mais especificamente, da música atonal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Reis POMBO (UFU)

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Publicado
2014-12-18
Seção
Artigos