HUME E LEIBNIZ: ENTRE O INATISMO E O EMPIRISMO

  • Suzane da Silva ARAÚJO (UFPA)
Palavras-chave: Ideias. Empirismo. Sentidos. Inatismo.

Resumo

Nosso texto busca fazer uma análise das hipóteses levantadas, para as explicações acerca da origem das ideias e de suas conexões, pelo filósofo David Hume (um dos principais representantes da corrente de pensamento empirista na modernidade), e, Gottfried Leibniz, que, junto com Descartes, apresenta, em suas obras, as principais teorias da corrente de pensamento racionalista. Para isso, encontramos a base de nossa proposta na Investigação sobre o
entendimento humano, de Hume, e nos Novos ensaios sobre o entendimento humano, de Leibniz. Como sabemos, a obra de Leibniz aqui referida é uma tentativa de refutação do Ensaio acerca do entendimento humano, de Locke, o que pode nos levar a fazer algumas referências ao precursor de Hume, e, também, a René Descartes, uma vez que o Ensaio de Locke foi escrito
com o objetivo de combater o cartesianismo, e, mais diretamente sua teoria de que nossas ideias seriam inatas. Embora nosso texto envolva quatro filósofos, a preocupação que nos move recai sobre Hume e Leibniz, servindo-nos Locke e Descartes, apenas, como pontos de apoio, devido o entrecruzamento entre suas teorias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suzane da Silva ARAÚJO (UFPA)

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Publicado
2014-12-18
Seção
Artigos