LINGUAGEM E SUBJETIVIDADE EM NIETZSCHE E FOUCAUL

  • Caio Augusto T. SOUTO (UFSCar)
Palavras-chave: Linguagem. Subjetividade. Nietzsche. Foucault.

Resumo

Este artigo aborda as relações entre linguagem e subjetividade tomando como mote o pensamento de Nietzsche e de Foucault. Nietzsche trabalhou a questão da linguagem pelo menos em dois momentos cruciais de sua pesquisa: na juventude, em textos como Sobre verdade e mentira no sentido extra-moral, e na maturidade, como no Livro V de A gaia ciência e em outras publicações da época. Foucault também conferiu atenção ao tema em fases diferentes de sua produção. Já suas primeiras publicações, como a “Introdução a Binswanger”,
constituíam pesquisas acerca do tema da linguagem, bem como As palavras e as coisas, até finalmente, em seus últimos textos, tratar a questão da relação entre a linguagem, a produção de verdade e a constituição de si. Percorreremos brevemente essas diferentes fases do pensamento dos dois autores para tentar encontrar relações de toque entre linguagem e subjetividade tal como cada um deles as concebeu e, por fim, demonstrar em que Foucault se afasta de Nietzsche nos seus últimos escritos no que tange a uma relação entre linguagem e subjetividade, em direção a uma política da verdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Augusto T. SOUTO (UFSCar)

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Publicado
2014-12-18
Seção
Artigos