“ESOTERISMO” E CONHECIMENTO EM PLOTINO

  • Rafael Vieira GOMES (UNIFESP)
Palavras-chave: retorno, conversão, purificação, visão, união, conhecimento.

Resumo

Diferentemente dos diálogos de Platão, considerados “exotéricos”, ou seja, escritos para o público exterior à Academia, os escritos de Plotino, segundo o depoimento de Porfírio, parecem ser apenas para alguns. Se buscarmos compreender as razões internas em seu pensamento para que sua filosofia e seus textos sejam direcionados para um público interno selecionado e reduzido, encontraremos alguns princípios fundamentais que estão intimamente relacionados com a sua concepção de conhecimento e filosofia. O “verdadeiro conhecimento”, aquele do qual dependem todos os outros, segundo Plotino, está para além do discurso e dos raciocínios e se dá como “intuição”, “visão” direta e “experiência” inteligível e só pode ser acessado por aqueles que, por um esforço heroico moral e intelectual (espiritual), voltam-se para
si mesmos em um movimento purificador de retorno e simplificação e se unem a si e ao princípio superior no interior da própria alma divina. O que Plotino reconhece como o desejo intrínseco de toda alma e como o percurso da verdadeira filosofia: o de divinização e assimilação a deus (homoíosis theôi), unindo o conhecimento à bem-aventurança (makaría). O verdadeiro conhecimento, portanto, supõe a capacidade de desprendimento e liberação dos
demais amores, desejos, dispersão e preocupações exteriores, bem como da identificação excessiva com as paixões e as afecções que nos chegam pelos sentidos. Além de exigir a superação, no limite do percurso, inclusive, do discurso. O que faz desse caminho um percurso reservado a poucos, e do “verdadeiro conhecimento” um bem intimamente atrelado à prática das
“verdadeiras virtudes”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Vieira GOMES (UNIFESP)

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Publicado
2014-12-18
Seção
Artigos